Você está aqui: Página Inicial / EVENTOS / Tinta Negra, Papel Branco: Escritas Afrodescendentes e Emancipação

Tinta Negra, Papel Branco: Escritas Afrodescendentes e Emancipação

por Sandra Sedini - publicado 02/08/2019 15:50 - última modificação 22/10/2019 11:02

Detalhes do evento

Quando

de 08/10/2019 - 09:30
a 08/10/2019 - 16:00

Onde

Sala Alfredo Bosi, Rua da Praça do Relógio, 109, térreo, Cidade Universitária, Sâo Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

O seminário tem como objetivo promover o debate em torno da publicação do dossiê Tinta Negra, Papel Branco: Escritas Afrodescendentes e Emancipação, organizado por Maria Helena P. T. Machado, publicado pela Revista do IEA, n. 96, 2019.

Ao analisar a escrita de escravos e escravas norte-americanos, Christopher Hager se utilizou de uma imagem muito eloquente: a de espargir tinta negra em uma folha de papel branca. Tal representação alude a complexos processos sociais vivenciados por homens e mulheres negros para se apropriar da escrita, confrontando o mundo letrado com novas vozes narrativas. Nesse contexto, o escrever surge impregnado da experiência de exclusão e de sua negação, tornando-se, assim, um ato de emancipação. Embora tenhamos nos acomodado à certeza de que a sociedade brasileira, pouco letrada no geral, apenas raramente produziu escritos pessoais e relatos de vida do punho de pessoas comuns, muito menos ainda de escravos, libertandos, libertos e pessoas negras livres, atualmente podemos desvelar outra realidade. Embora escassos, já foram localizados muitos textos de autoria de homens e mulheres afrodescendentes, que documentam a existência de vozes narrativas inéditas. O dossiê ambiciona analisar os parâmetros da narração da história pessoal como estratégia de apropriação do si mesmo e ainda como paradigma da emancipação. O objetivo é propor abordagens que nos permitam ler essa escrita, ressaltando tanto seu contexto de produção quanto sua visceral ligação com o processo de construção de uma poderosa voz narrativa ao mesmo tempo coletiva e individual.

Inscrições

Evento público e gratuito | Com inscrição prévia

Não há necessidade de inscrição para assistir à transmissão on-line.

Capacidade do auditório: 60 lugares

Onde estamos

Organização

IEA

Programação

9h30

Abertura

Lígia Fonseca Ferreira (IEA USP/Unifesp) e Maria Helena P. T. Machado (USP)

10h30

Mesa 1: Tinta Negra, Papel Branco: Literaturas de Emancipação

Coordenador:

Flávio dos Santos Gomes (UFRJ/USP)

Lima Barreto e a Escrita de Si

Lilia Schwarcz (USP/Princeton)

Luiz Gama Autor, Leitor, Editor: Revisitando as Primeiras Trovas Burlescas de 1859 e 1861

Lígia Fonseca Ferreira (IEA USP/Unifesp)

Maria Firmina dos Reis: Escrita Íntima na Construção do Si Mesmo

Maria Helena P. T. Machado (USP)

Debatedor:

Hélio de Seixas Guimarães (USP)

12h30

Intervalo

14h

Mesa 2: Tinta Negra, Papel Branco: escritos insubordinados

Coordenação:

Maria Helena P. T. Machado (USP)

Escritos Insubordinados: Letramento, Textos e Subtextos entre Escravizados e Libertos no Brasil da Escravidão e da Pós-abolição.

Iamara da Silva Viana (PUC/UFRJ)

Alexandre Ribeiro Neto (UERJ)

Flávio dos Santos Gomes (UFRJ/USP)

Duas Harriets Contam Suas Histórias: Narrativas de Mulheres Escravizadas nos Estados Unidos do Século XIX.

Marília Bueno de Araújo Ariza (UnB)

Frederick Douglass: o Olhar de um Abolicionista Negro Estadunidense Sobre Escravidão e Liberdade no Brasil.

Luciana da Cruz Brito (UFRB)

Debatedor:

Mário Medeiros (Unicamp)

16h

Encerramento

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

registrado em: