Você está aqui: Página Inicial / O IEA / Quem somos / A USP / O IEA nos 80 anos da USP

O IEA nos 80 anos da USP

por Marilda Gifalli - publicado 25/08/2014 15:40 - última modificação 23/10/2015 17:14

Nesta seção encontra-se parte do documento encaminhado, em 2014, à comissão "USP 80 anos". Por uma questão do espaço oferecido às Unidades, para a inserção das atividades realizadas e as em andamento, não foi possível incluir um maior número delas no referido documento. Portanto, a seguir, apresentamos o conjunto ampliado das contribuições do IEA, ao longo dos seus 28 anos, à Universidade.

 

linhavermelha.gif

Logo 80 anos USP

Nos 80 anos da USP, o IEA relata suas principais realizações, que refletem as transformações ocorridas na Universidade e no país desde a redemocratização nos anos 80. O Instituto orgulha-se de ter contribuído com essa história e de ser componente essencial nos projetos a serem empreendidos pela Universidadue ao longo do século 21.

Criado em 29 de outubro de 1986, o Instituto de Estudos Avançados (IEA) da Universidade de São Paulo, primeiro instituto do gênero no Brasil, é um órgão de integração acadêmica destinado à pesquisa e discussão, de forma abrangente e interdisciplinar, das questões fundamentais da ciência e da cultura. (leia sobre sua História e Memória). Conta com polos nos campi de São Carlos e Ribeirão Preto.

O Instituto tem a atribuição de realizar, junto com segmentos representativos da sociedade, estudos sobre instituições e políticas públicas. Nesse campo, destacam-se os trabalhos sobre políticas para o desenvolvimento da ciência, tecnologia e inovação; propostas para a reforma de instituições políticas; observância dos direitos humanos, diretrizes ambientais; melhoria dos sistemas educacional, de saúde e de segurança pública; apoio e acesso à produção artística e cultural; e sobre uso social do conhecimento em termos gerais.

Essa atuação acadêmica e em sintonia com as principais demandas da sociedade só é possível graças ao esforço do IEA em manter-se com um canal de intercâmbio entre a USP e instituições brasileiras e estrangeiras (universidades, organizações governamentais e não-governamentais, entidades científicas e culturais etc.). Isso se dá através de convênios de cooperação e intercâmbio acadêmico; parcerias pontuais com instituições, entidades e organismos públicos ou privados; bem como por meio de convites específicos a pesquisadores e intelectuais de reconhecido mérito, do Brasil e do exterior.

DIVULGAÇÃO DA CIÊNCIA E CULTURA

Pioneiro na disponibilização online de suas conferências e demais atividades, todas transmitidas ao vivo desde agosto de 2005, o IEA tem dado ênfase ao seu site. Desde o dia 11 de abril de 2013, o IEA conta com um novo site, com mais informação, melhor organização do conteúdo e acesso facilitado aos acervos de vídeos, fotos, áudios e textos. A apresentação do conceito, do processo de desenvolvimento, das seções e da plataforma tecnológica do site podem ser analisadas no seu relatório de Gestão 2013, nas páginas 13 à 20.

Veja

 

linhavermelha.gif

RESULTADOS DE PESQUISAS E DESTAQUES DE TEMAS E SUBTEMAS


  • NUTRIÇÃO E POBREZA: O grupo de pesquisa, no IEA desde 2003, produziu inúmeros artigos e organizou várias atividades sobre o tema. Recentemente publicou 2 livros: Desnutrição, Pobreza e Sofrimento Psíquico, cujo tema principal é o relato de pesquisas realizadas em vários estados do Brasil sobre pobreza, desnutrição e sofrimento psíquico. O segundo livro é “Fisiologia da Nutrição na Saúde e na Doença - Da Biologia Molecular ao Tratamento” obra inédita, escrita por profissionais especialistas em nutrição que, baseados em evidências científicas, descrevem com didática clara, explícita e linear uma abordagem moderna da fisiologia da nutrição em que conceitos da ciência nutricional básica amparam práticas terapêuticas nutricionais para a manutenção da saúde, prevenção e tratamento de doenças. Mais informações (eventos, vídeos, artigos) no sub site do grupo.

 

 


  • BRASIL: O PAÍS DO FUTURO (2022): Para dar continuidade aos trabalhos que desenvolveu sobre identificação de cenários futuros e definição de metas estratégicas para o país, o IEA criou o programa que sucedeu sua participação nos projetos acima citados. O programa foi uma atividade independente e sob total responsabilidade do Instituto. O leque de temas foi ampliado, passando a incluir aqueles abordados por outras instituições de pesquisa no Projeto Brasil 3 Tempos e outros que não haviam sido contemplados no trabalho.

 

  • CAPITAL-TRABALHO: Por solicitação de entidades empresariais e de trabalhadores, o IEA iniciou em dezembro de 1991 o Fórum Capital-Trabalho, com o objetivo de tornar possível o diálogo sobre as convergências e divergências na análise dos principais problemas nacionais. Participaram do Fórum a Confederação Geral dos Trabalhadores, Central Única dos Trabalhadores, Força Sindical, Federação das Indústrias do Estado de São Paulo, Federação do Comércio do Estado de São Paulo, Confederação Nacional do Transporte, Pensamento Nacional das Bases Empresariais, Sociedade Rural Brasileira, Organização das Cooperativas do Brasil e Universidade de São Paulo.
    ARTIGOS: Fórum Capital-Trabalho: Conclusões e Recomendações; Carta Educação e Carta Ciência e Tecnologia (Revista Estudos Avançados, v.6, n.14 – 1992). Fórum Capital-Trabalho: CUT, CGT, CNT, FCESP, FIESP, FS, PNBE, SRB/OCB, IEA.

     

    • IDOSOS: ESTADO DA ARTE E DESAFIOS: Os objetivos do ciclo, realizado em 2010 e 2011, foi o de organizar uma agenda dedicada aos idosos, estudar um modelo para sua atenção integral e identificar ações que contribuam com as diretrizes da Política Nacional de Saúde da Pessoa Idosa, aprovada pela Portaria 2.528/06 do Ministério da Saúde.

    ............................................................................................................................................................................................

     


    linhavermelha.gif

       


      • CIÊNCIA AVANÇADA: O projeto especial, criado pela direção do Instituto em 2010, buscou trazer renomados cientistas brasileiros para contribuir com um panorama da ciência na atualidade. Os temas foram: Neurociência, Astronomia, Linguística e Genética.

        • DINÂMICA FÔNICADe 7 a 11 de junho de 2010, no Instituto de Matemática e Estatística (IME) da USP, o IEA e o Instituto de Estudos da Linguagem (IEL) da Unicamp realizaram a Escola São Paulo de Estudos Avançados em Dinâmica Fônica, iniciativa patrocinada pela Fapesp, com apoio do CNPq. A escola contou com a participação de 60 especialistas de vários países e foi organizada por: Eleonora Albano, do IEL-Unicamp; Didier Demolin, da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP e da Universidade Livre de Bruxelas, Bélgica; Beatriz Raposo de Medeiros, da FFLCH-USP; e Rui Rothe-Neves, da Faculdade de Letras da Universidade Federal de Minas Gerais.

        • EVOLUÇÃO DARWINIANA E CIÊNCIAS SOCIAIS: A pertinência dos conceitos darwinianos para as ciências sociais continua a ser uma questão bem controversa. Apesar de o biólogo Ernest Mayr (1904-2005) ter alertado, desde 1964, que a estrutura conceitual do darwinismo é um sistema filosófico, foram necessárias três décadas para que se começasse a nela reconhecer uma teoria geral dos sistemas evolutivos como categoria específica dos sistemas adaptativos complexos. E, mesmo entre os que passaram a pensar tecnologia, economia, sociedade e cultura em termos evolucionários, permanece o debate sobre a pertinência parcial ou universal do trinômio variação/seleção/replicação.

         

        linhavermelha.gif

        As atividades acima são pertinentes à Cátedra de Direitos Humanos do Instituto. As cátedras no IEA permitem a constituição de base de apoio para professores e pesquisadores visitantes, conferencistas, entre outras categorias, em iniciativas co-orientadas por instituições nacionais, estrangeiras ou transnacionais, com objetivos que perpassem as atribuições de grupos, programas e projetos em andamento.Trata-se de uma denominação usual dos convênios do IEA, que visam alocar recursos financeiros para promover temas de pesquisa e estudo de interesse acadêmico.

         

          linhavermelha.gif

          • EDUCAÇÃO E CONSTITUINTE: Em maio de 1987, formou-se no Instituto de Estudos Avançados um Grupo de Trabalho cuja finalidade era discutir as propostas educacionais formuladas pela Comissão de Sistematização da Assembleia Nacional Constituinte. O objetivo último do Grupo era intervir nos debates e no processo decisório do Congresso, mediante propostas tópicas que refletissem o estado da questão no interior da Universidade. Para informar sobre o andamento dos debates na Comissão de Sistematização, foi convidado a participar de uma das sessões do Grupo de Trabalho o então deputado prof. Florestan Fernandes. Findos os seus trabalhos, a 7 de agosto de 1987, o Grupo enviou aos constituintes um texto em que figuram as suas propostas. A numeração dos artigos mencionados reporta-se ao Projeto da Comissão de Sistematização (o segundo, de que foi relator o deputado Bernardo Cabral).

           

            • A QUALIDADE DA EDUCAÇÃO BÁSICA: Um dos temas consensuais da sociedade brasileira é o da urgente necessidade de melhoria substancial do padrão de qualidade da educação básica (ensino fundamental e ensino médio). Em sintonia com o esforço de vários setores e instituições empenhados nessa transformação, o IEA e Faculdade de Educação da USP, decidiram realizar em 2007, uma programação que possibilite uma análise crítica do problema e também forneça subsídios para a formulação de propostas para essa melhoria. A atividade teve quatro linhas de análise: o próprio conceito de qualidade da educação; os vários determinantes da qualidade; as experiências de gestão que podem se constituir em referências de qualidade; a atenção às diferenças.

             

            • TEMAS ATUAIS DE EDUCAÇÃO: O Grupo de Pesquisa foi aprovado pelo Conselho Deliberativo do IEA em agosto de 2008 (tendo suas atividades encerradas em 2012 por decisão do próprio grupo), a partir de projeto elaborado pelos professores Celso de Rui Beisiegel, Jaime F. Parreira Cordeiro, José Sérgio Fonseca de Carvalho, Maria Clara Di Pierro, todos da Faculdade de Educação da USP, e pela professora Maria Helena Souza Patto, do Instituto de Psicologia da Universidade. O incentivo para a criação do grupo partiu da direção do Instituto, com o objetivo de dar continuidade às discussões sobre o tema, sempre presente na agenda do IEA.

             

              linhavermelha.gif

              • BIOCOMBUSTÍVEIS: Pós-graduandos brasileiros de mestrado, doutorado ou pós-doutorado interessados em bioenergia e estudos avançados em biocombustíveis participaram do 1º Minicurso Brasil-EUA em Biocombustíveis: Propiciando Educação Interdisciplinar em Tecnologias de  Biocombustíveis, que aconteceu na USP de 27 de julho a 7 de agosto de 2009. O curso foi uma iniciativa da Rede de Biocombustíveis do Conselho Brasil-EUA de Educação Superior e do IEA, com apoio do Programa Fapesp de Pesquisa em Bioenergia (Bioen) na coordenação técnico-científica e patrocínio do CNPq. A coordenação geral da Comissão Fulbright no Brasil. Está disponível no site as 26 aulas ministradas em inglês.

               

                 

                • PRÉ-SAL: O ciclo de seminários "Pré-Sal na USP" começou no dia 1º de dezembro de 2009 na Escola Politécnica (EP) da USP. O primeiro seminário teve como tema "O Contexto Energético, as Perspectivas do Pré-Sal e o Modelo de Organização da Indústria de Petróleo no Brasil". Na ocasião foi inaugurado o Tanque de Provas Numérico instalado no Departamento de Engenharia Naval e Oceânica da EP-USP. Tratou-se de uma realização do Programa de Pós-Graduação em Energia (PPGE) da USP, com patrocínio da Petrobras e apoio do IEA, Escola Politécnica, Instituto de Eletrotécnica e Energia, Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade, Instituto Oceanográfico, Instituto de Geociências e Fundação USP. A coordenação do ciclo: Ildo Luís Sauer, do IEE e coordenador do PPGE-USP.

                 

                  • Veja artigos da revista Estudos Avançados: Energia

                     

                    linhavermelha.gif

                    • INFORMAÇÃO E COMUNICAÇÃO: O grupo de pesquisa, instalado em dezembro de 1998 com atividade até 2007, teve como objetivos básicos a reflexão interdisciplinar sobre os impactos sociais, econômicos, políticos e culturais da Internet. Visou também imprimir uma atenção especial ao impacto das novas tecnologias de Informação e Comunicação nas atividades e na inserção social das Universidades. O ciclo temático “A Riqueza das Redes", realizado em 2007, teve como objetivo reunir tecnólogos, economistas, antropólogos, cientistas sociais e políticos, profissionais de comunicação e outros interessados em uma série de debates sobre a produção social intermediada pela Internet. O ciclo tomou como referência os temas tratados por Yochai Benkler, da Escola de Direito da Universidade Yale, EUA, no livro "The Wealth of Networks – How Social Production Transforms Markets and Freedom"; "A Riqueza das Redes Como a Produção Social Transforma Mercados e a Liberdade".

                     

                      linhavermelha.gif

                      • UBIAS: Os University-Based Institutes for Advanced Study (Ubias) são uma rede que reúne 33 institutos de estudos avançados vinculados a universidades de cinco continentes. Além do traço particular que os distinguem — todos operam dentro de uma estrutura universitária —, os integrantes apresentam como principais características o desenvolvimento de pesquisas de ponta; a vocação interdisciplinar; e o papel ativo na internacionalização das instituições que os acolhem.

                      • ACADEMIA INTERCONTINENTAL: A Academia funciona como um laboratório de como a universidade poderá trabalhar no futuro de maneira colaborativa. Trata-se de um projeto em pequena escala, mas com potencial para resultar num novo formato para a educação superior. A Academia é uma iniciativa do UBIAS, IEA e Universidade de Nagoya prevista para abril de 2015 na USP e em 2016 no Japão.

                       

                      • ESTUDOS COMPARADOS CIDADE DE SÃO PAULO E MÉXICO: O IEA e o Colégio do México realizarão a segunda etapa do Projeto Comparativo Cidade de São Paulo e Cidade do México, destinado à integração de pesquisadores brasileiros e mexicanos para os seguintes eixos temáticos: segregação, habitação e serviços urbanos; violência e direitos humanos; pobreza e lutas sociais; governo e políticas públicas e meio ambiente. Esta fase teve início em junho de 2014. A primeira fase do projeto e seus resultados estão disponíveis no site.

                       

                      • PROGRAMA SAINT-HILAIRE: Para fortalecer a cooperação franco-brasileira na área de ciências humanas e sociais, a Embaixada da França no Brasil, a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes) e o IEA lançaram em novembro de 2010 o Programa Saint-Hilaire. A iniciativa teve por objetivo o apoio à edição de obras científicas sobre as grandes questões ligadas ao Brasil contemporâneo, a fim de valorizar as pesquisas realizadas de forma conjunta e favorecer os intercâmbios científicos e institucionais entre os dois países.


                      • ASSUNTOS INTERNACIONAIS: Criada como uma Área de Concentração em 1989 a partir de proposições do Conselho Deliberativo do IEA, esta área teve por objetivo, entre outros, promover reflexões especulativas apoiadas em linhas temáticas, sem determinação de prazos, contando com a participação de pesquisadores acadêmicos (ou não) de alto nível e competências e de reconhecido mérito. Suas atividades ocorreram de 1989 a 2000, quando foi transferida para a reitoria, no âmbito da Comissão de Cooperação Internacional (CCint), dando origem em 2004, por iniciativa do reitor Jacques Marcovitch, ao Instituto de Relações Internacionais da USP.

                       

                       

                      • AMÉRICA DO SUL: Por iniciativa da direção do IEA, aconteceram dois encontros sobre o tema América do Sul. Em 2006, a política, economia, sociedade, integração, geoestratégia e segurança foram os tópicos em discussão no painel América do Sul: Integração, Geoestratégia e Segurança. Em 2007, pesquisadores brasileiros, chilenos e franceses reuniram-se no seminário internacional "Integração Política e Econômica da América do Sul" para debater os seguintes temas: "Espaços de Integração", "Energia e Comércio", "Aspectos Jurídicos e Políticos", "Sociedade Civil e Relações Internacionais" e "Perspectivas de Integração". Veja: Dossiê América Latina - Revista Estudos Avançados, 55

                       

                        Europa do LesteONUONU e a PazRússia - Política e Cultura,

                         

                          linhavermelha.gif

                          Um dos tema centrais do IEA desde a sua fundação, o assunto produziu inúmeras atividades cujos impactos podem ser mensurados nos seguintes resultados:

                          • REVISTA ESTUDOS AVANÇADOS:

                          ÁGUA (63 — maio-ago/2008); AMAZONIA BRASILEIRA (45 — maio-ago/2002); AMAZÔNIA BRASILEIRA I         (53 — jan-abr/2005); AMAZÔNIA BRASILEIRA II (54 — maio-ago/2005); BIOTECNOLOGIA (70 — set-dez/2010); BRASIL: DILEMAS E DESAFIOS I (38 — jan-abr/2000); BRASIL: DILEMAS E DESAFIOS II (39 — maio-ago/2000); BRASIL: DILEMAS E DESAFIOS III            (40 — set-dez/2000); BRASIL: O PAÍS DO FUTURO (56 — jan-abr/2006); CIÊNCIA E DESENVOLVIMENTO SUSTENTÁVEL (20 — jan-abr/1994); ENERGIA (59 — maio-ago/2010); PROJETO FLORAM (9 — maio-ago/1990); CONVENÇÕES E DECLARAÇÕES DA ECO 92 (15 — maio-ago/1990); QUESTÃO AGRÁRIA (31 — set-dez/1997); RECURSOS NATURAIS (33 — maio-ago/1998); SUSTENTABILIDADE (74 — jan-abr/2012); TEORIAS SOCIOAMBIENTAIS (68 — jan-abr/2010). ARTIGOS E LIVROS: A Contribution to Understanding the Regional Impacts of Global Change in  South America - Pedro Leite da Silva Dias, Wagner Costa Ribeiro e Luci Hidalgo; Um Diálogo Interdisciplinar sobre Mudanças Globais Relatório Científico da II Conferência Regional sobre Mudanças Globais: América do Sul - Eliezer Martins Diniz (editor); Os Grandes Problemas Ambientais do Mundo Contemporâneo - Paulo Nogueira-Neto; Mudança Climática — Rumo a um Novo Acordo Mundial Relatório Científico da 3ª Conferência Regional sobre Mudanças Globais: América do Sul

                          • LIVROS:

                          Eliezer Martins Diniz (editor); O Plano Brasileiro para um Futuro Sustentável Relatórios Técnico e Científico da 4ª Conferência Regional de Mudanças Globais - Eliezer Martins Diniz (editor e coordenador); A Proposta de São Paulo para um Acordo sobre a Política Climática Internacional Futura - Equipe 4 do Projeto Basic; Public Policy, Mitigation and Adaptation to Climate Change in South America
                          Pedro Leite da Silva Dias, Wagner Costa Ribeiro, João Lima Sant'Anna Neto e Jurandir Zullo Jr. (editores); Waterlat Network International Conference — The Tension Between Environmental and Social Justice in Latin America: the Case of Water Management; José Esteban Castro e Wagner Costa Ribeiro (coordenadores); Polinizadores no Brasil - contribuição e perspectivas para a biodiversidade, uso sustentável, conservação e serviços ambientais - Imperatriz-Fonseca, V. L.; Canhos, D. A. L.; Alves, D. A.; Saraiva, A. M. São Paulo, EDUSP.

                          • TEXTOS

                          www.iea.usp.br/publicacoes/textos

                          • GRUPOS DE PESQUISA ATUAIS

                          Amazônia em Transformação: História e Perspectivas

                          Meio Ambiente e Sociedade

                          Política Ambiental

                          Serviços dos Ecossistemas

                        • PROJETO
                        • FLORAM: www.iea.usp.br/pesquisa/projetos-especias-anteriores/floram-1

                        • PROGRAMA
                        • RIO + 20: www.iea.usp.br/pesquisa/projetos-especias-anteriores/rio-20

                             

                            linhavermelha.gif

                            Os temas de ponta desde a fundação do IEA, como poderá ser observado nas atividades do ex-grupo Política Científica e Tecnológica, no ciclo Inovação Tecnológica, foram tratados por diversos pesquisadores e em várias atividades criadas pelo Instituto. Destacam-se nesse percurso os recentes trabalhos do Observatório e Inovação e Competitividade (NAP) entre eles:

                            • E-BOOKS

                            Inovação: Estratégias de sete países; Inovação: estudos de jovens pesquisadores brasileiros (Vol.1); Inovação: estudos de jovens pesquisadores brasileiros (Vol.2); EngenhariaData - Tendências e Perspectivas da Engenharia no Brasil - Relatório 2011; A Engenharia no Amazonas: Avaliação do Estado Atual e Perspectivas; EngenhariaData - Tendências e Perspectivas da Engenharia no Brasil - Relatório 2013.

                             

                            linhavermelha.gif

                            • MUSEUS E UNIVERSIDADE: O Grupo Museus e Universidade, constituído por pesquisadores ligados aos acervos mais representativos da USP e coordenado pelas professoas Ana Mae Barbosa (ECA-USP e diretora do Museu de Arte Contemporânea-USP) e Maria Cristina Bruno (Instituto de Pré-História-USP), foi integrado ao ciclo de atividades do IEA a partir de maio de 1987. Durante o ano de 1986, as discussões foram centradas nas questões do relacionamento da Universidade com suas instituições que mantêm acervos e das possibilidades de articulação dessas instituições entre si e com a comunidade. Artigo: Arte-Educação no Brasil: realidade hoje e expectativas futuras. (Revista Estudos Avançados, vol.3, n.7 – 1989)

                             

                            • ÉTICA E UNIVERSIDADE: No dia 10 de abril de 2002, foi instalada a Comissão de Ética da USP, com sede no IEA. Seus integrantes foram os professores Alfredo Bosi (presidente), Willian Saad Hossne, Walter Colli, Joaquim José de Camargo Engler e Hector Francisco Terenzi e o representante não-docente, Eduardo Bonilha de Toledo Leite. A participação de um representante discente não foi possível naquela oportunidade. A partir de 2012 o IEA participou com a Comissão de Ética na organização de diversos temas: Os desafios éticos na universidade: Ética e Universidade: Segurança e Privacidade; Fabricação, Falsificação e Plágio nas Ciências e Humanidades; Sociabilidade e Ética na Universidade; A Greve e a Ética na Universidade; Tecnologia da Informação e Ética na Universidade. Publicação: Em 2014, a Comissão de Ética publicou um livro com textos dos seminários dos ciclos 2012 e 2013. O e-book na íntegra está disponível no site do IEA.

                             

                            • OS DESAFIOS DO ENSINO SUPERIOR NO BRASIL: O livro "Ensino Superior: Conceito & Dinâmica", co-edição IEA e Edusp, com apoio da Fapesp, foi lançado em 15 de maio de 2006. A obra reúne as participações de 18 pesquisadores na Temática Semestral "Os Desafios do Ensino Superior no Brasil", realizada de novembro de 2004 a abril de 2005.

                             

                            • USP EM DEBATE (1): No dia 20 de agosto de 2008, o Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP reuniu a reitora Suely Vilela e cinco ex-reitores da universidade num debate sobre as ações prioritárias para que na próxima década a USP integre o grupo das melhores instituições de pesquisa do mundo. A reitora falou sobre "O Cenário Atual da USP e suas Perspectivas". Os cinco ex-reitores e seus temas foram: José Goldemberg, "Ciências Básicas"; Adolpho José Melfi, "Ciências da Terra"; Antônio Hélio Guerra Vieira, "Engenharias"; Flávio Fava de Moraes, "Ciências Biomédicas"; e Jacques Marcovitch, "Humanidades". A coordenação será de César Ades, diretor do IEA.
                            • A USP PRECISA MUDAR (2): Debatedores: Renato Janine Ribeiro (FFLCH), Adalberto de Fazzio (IF), Hernan Chaimovich (IQ), Jorge Kalil Filho (FM), Marco Antonio Zago (FMRP), Vahan Agopyan (EP) e Glauco Arbix (FFLCH e IEA).
                            • A USP E A SOCIEDADE: ENCONTRO COM OS CANDIDATOS — 2009 (3): Os oito candidatos declarados ao cargo de reitor da USP participaram do encontro "A USP e a Sociedade", que o IEA realizou no dia 8 de outubro de 2009. Os candidatos trataram de quatro temas: o papel da extensão para que a USP tenha impacto positivo na solução de problemas sociais e no aproveitamento das oportunidades que o mundo hoje apresenta; a relação da USP com movimentos sociais e grupos da sociedade que não se reduzem ao âmbito empresarial; a relação da USP com o setor produtivo; o financiamento da USP por fontes não-acadêmicas. Os candidatos foram: Armando Corbani Ferraz (pró-reitor de Pós-Graduação), Francisco Miraglia Neto (professor do Instituto de Matemática e Estatística), Glaucius Oliva (diretor do Instituto de Física de São Carlos), João Grandino Rodas (diretor da Faculdade de Direito), Ruy Alberto Corrêa Altafim (pró-reitor de Cultura e Extensão Universitária), Sonia Penin (diretora da Faculdade de Educação), Sylvio Barros Sawaya (diretor da Faculdade de Arquitetura e Urbanismo) e Wanderley Messias da Costa (coordenador de Comunicação Social). A coordenação será de Renato Janine Ribeiro (Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas).
                            • O PAPEL DOS INSTITUTOS ESPECIALIZADOS FRENTE À NOVA UNIVERSIDADE (4): Com este tema o IEA reuniu, em março de 2011, os seus diretores com o objetivo de apresentar e discutir o papel dos Institutos Especializados da USP, ressaltando alguns temas como as áreas de atuação, o processo de criação, a evolução histórica, a infra-estrutura humana e material e as principais atividades de cada instituto no ensino, pesquisa e extensão. Esperava-se, com este evento, um maior entendimento do papel destes institutos e uma maior interação destes com outras unidades da USP e com o meio externo, dentro das suas áreas de atuação.
                            • IEA DEBATE O PROCESSO ELEITORAL DA USP (5): Em reunião no dia 1º de outubro, o Conselho Universitário aprovou uma série de mudanças no processo de escolha do reitor e do vice-reitor da USP. A escolha da lista tríplice de candidatos será feita em turno único pela Assembléia Universitária, a partir de chapas constituídas pelos nomes do candidato a reitor e de seu vice. O assunto foi debatido no IEA no dia 3 de setembro de 2013.
                            • REFLEXÕES SOBRE A CRISE NA USP (6): A grave crise da USP, revelada recentemente pelo estado de suas finanças e intensificada pelos movimentos de greve que paralisaram as suas atividades por quatro meses, desafia os dirigentes da instituição a encontrar soluções para problemas de grande complexidade, que vêm se acumulando ao longo dos anos. O IEA, o Núcleo de Pesquisa de Políticas Públicas (NUPPs) e o Grupo de Pesquisa Qualidade da Democracia do IEA promoveram debate sobre o tema e sobre a necessidade de uma ampla reforma da estrutura da universidade, capaz de adequá-la a enfrentar as distorções existentes, permitir o reequilíbrio do orçamento e evitar que novas crises ocorram. Vide, também, o dossiê "Desafios Institucionais da USP em 2014".

                            Aqui todos os seis encontros

                             

                            linhavermelha.gif

                            • REVISÃO CONSTITUCIONAL 1993: Dentre as iniciativas mais contundentes quanto a visão de um Instituto voltado para a formulação de propostas para o debate nacional, podemos citar a Revisão Constitucional de 1993. A partir do segundo semestre de 1992, diversos representantes da sociedade iniciaram o debate dos temas prioritários a serem formulados na Carta Magna brasileira. Os temas selecionados foram: Estrutura Político-Institucional; Ordem Econômica; Tributação e Orçamento, Relações Capital/Trabalho, Previdência, Instituições Judiciárias, Administração Pública; Educação, Ciência e Tecnologia. Coordenação: Bolívar Lamonier e Geraldo Forbes. ARTIGOS: O Modelo Institucional dos Anos 30 e a Presente Crise Brasileira. (Estudos Avançados, v. 6 (14) – 1992; Revisão Costitucional – 1993 (Publicações: Textos (Ciência Política).

                             

                            • QUALIDADE DA DEMOCRACIA: O Grupo, aprovado pelo Conselho Deliberativo do IEA, em 3 de maio de 2013, pretende reunir reflexões, artigos de opinião, livros, entrevistas e textos de resultados de pesquisas de autoria de acadêmicos, escritores, jornalistas e artistas, entre outros, que se dedicam ao tema da democracia da perspectiva de sua qualidade.

                             

                               

                               

                              • Outros debates sobre o tema:
                              1. Ética e Política no Brasil - Informativo IEA, ano II, n. 9, março de 1990, pág. 2
                              2. Multipartidarismo e Democracia - Informativo IEA, ano II, n. 10, abril de 1990, pág. 3
                              3. A Estrutura Partidária na Consolidação da Democracia - Informativo IEA, ano II, n. 12, junho de 1990, pag. 8
                              4. O Valor Ético da Democracia - Informativo IEA, ano II, n. 14, setembro de 1990, págs. 2 e 3
                              5. Qual Parlamentarismo? - Informativo IEA, ano III, n. 23, setembro de 1991, pág. 3
                              6. A Opção Parlamentarista. Informativo IEA, ano III, n. 24, outubro de 1991, pág. 3
                              7. Parlamentarismo, Presidencialismo e Democracia - Informativo IEA, ano IV, n. 25, março de 1992, pág. 4
                              8. A Revisão Constitucional - Informativo IEA, ano IV, n. 27, agosto de 1992, pág. 2
                              9. Em Busca de um Novo Federalismo - Informativo IEA, ano V, n. 29, janeiro de 1993, pág. 2

                              linhavermelha.gif