Você está aqui: Página Inicial / NOTÍCIAS / Censo de comunidades vizinhas à USP interrompe atividades presenciais por precaução contra o coronavírus

Censo de comunidades vizinhas à USP interrompe atividades presenciais por precaução contra o coronavírus

por Mauro Bellesa - publicado 24/03/2020 15:50 - última modificação 28/04/2020 16:26

Censo Pontes e Vivências de Saberes interrompe atividades presenciais em comunidades vizinhas à USP até 10 de maio.

Para colaborar com a luta contra a disseminação do coronavírus (Sars-CoV-2) causador da covid-19, o Censo Pontes e Vivências de Saberes suspendeu as atividades presenciais até 10 de maio. Dessa forma, ficam interrompidas entrevistas, reuniões de formação e a circulação de pesquisadores nas quatro comunidades da cidade de São Paulo abrangidas pelo projeto: Jardim São Remo, vizinho à Cidade Universitária, no Butantã; Vila Clô, Jardim Keralux e Vila Guaraciaba, próximas a Escola de Artes, Ciências e Humanidades (Each), em Ermelino Matarazzo.

comunicado distribuído pela coordenação do censo informa que, nesse período de interrupção, "os esforços serão voltados para a sistematização e a análise dos dados, para que, em breve, possamos divulgar alguns resultados desta pesquisa".

A decisão de suspender as atividades presenciais foi adotada em observância às diretrizes sanitárias estabelecidas pelo poder público e em conformidades com outras medidas já adotadas pela Reitoria da USP e pela direção do IEA.

Com isso, a coordenação do Censo "reafirma seu compromisso com os moradores dos territórios pesquisados e com os estudantes que integram a equipe responsável pelo levantamento de dados", somando-se a outras instituições preocupadas com "ações de prevenção entre os grupos sociais mais vulneráveis às crises e epidemias no campo da saúde".

A situação será reavaliada após 10 de maio e novas orientações serão fornecidas pela coordenação do Censo. Dúvidas podem ser esclarecidas por meio de mensagem a catedraarteculturausp@usp.br.

O censo é um dos projetos desenvolvidos pelo IEA sob a égide da Cátedra Olavo Setubal de Arte, Cultura e Ciência e coordenação geral da ativista social e cultural Eliana Sousa Silva, titular da cátedra em 2018 e atualmente professora visitante do Instituto. O levantamento de dados nas comunidades é feito por alunos de graduação da USP bolsistas do projeto, com a colaboração de moradores que atuam como articuladores locais.

O censo conta com o apoio da Pró-Reitoria de Pesquisa e a participação de diversos docentes da USP, que se envolveram na seleção e formação dos pesquisadores, na elaboração dos questionários e no processo de análise dos dados. Os professores Oswaldo Baquero (Projeto Saúde Única em Periferias, da Faculdade de Medicina Veterinária e Zootecnia), Ana Estela Haddad (Projeto Aproxima-Ação, da Pró-Reitoria de Cultura e Extensão) e Lucia Maciel Barbosa (Projeto Práticas Mediativas: Núcleo Educativo e Expositivo, da Escola de Comunicação e Artes) também são parceiros do Censo, por meio da concessão de bolsas de pesquisa e de pesquisadores.

 

Outras informações sobre a atuação da USP no combate à propagação do coronavírus estão em https://coronavirus.usp.br.