Você está aqui: Página Inicial / NOTÍCIAS / Criado Grupo de Filosofia, História e Sociologia da C&T

Criado Grupo de Filosofia, História e Sociologia da C&T

"Gênese e Significado da Tecnociência – Das Relações entre Ciência, Tecnologia e Sociedade" constitui-se o novo núcleo do Grupo de Filosofia, História e Sociologia da Ciência e Tecnologia, criado em junho no IEA. O grupo objetiva investigar os papéis desempenhados pelos valores éticos e sociais de indivíduos e instituições nas práticas científicas e tecnológicas da atualidade.

Em junho, foi criado o Grupo de Filosofia, História e Sociologia da Ciência e Tecnologia do IEA. O núcleo da nova equipe é constituído pelos pesquisadores participantes do Projeto Temático Fapesp "Gênese e Significado da Tecnociência – Das Relações entre Ciência, Tecnologia e Sociedade", iniciado em março e com duração prevista de quatro anos.

O objetivo central do projeto temático e, conseqüentemente, do grupo é investigar os papéis desempenhados pelos valores éticos e sociais de indivíduos e instituições nas práticas científicas e tecnológicas da atualidade.

A exploração desses papéis desdobra-se em dois conjuntos de investigações:

  • a importância contemporânea da tecnociência (inclusive o impacto de sua pesquisa e desenvolvimento nos processos e na institucionalização da pesquisa científica);
  • os aspectos centrais do desenvolvimento histórico da tecnociência.

Dentre as questões a serem analisadas no primeiro conjunto estão:

  • as mudanças ocorridas nas décadas recentes nos modos de produção social do conhecimento tecnocientífico com o aumento do financiamento privado (e diminuição do financiamento público) da pesquisa científica;
  • o modo pelo qual essas mudanças afetam o status dos valores de objetividade, neutralidade e autonomia aos quais a comunidade científica tradicionalmente adere;
  • a função dos direitos de propriedade intelectual nesse processo;
  • os problemas teóricos (artificial-natural, identidade biológica etc.) e práticos (crítica ética, proposta de alternativas etc.) da biotecnologia atual;
  • a relevância de alternativas às práticas tecnocientíficas (por exemplo, agroecologia) e o papel da bioética e de abordagens influenciadas pelo “princípio de precaução” para a avaliação do significado dessas mudanças.

As investigações do segundo conjunto incluem:

  • a idéia do "controle da natureza" e os valores do progresso tecnológico e seu impacto na formação da pesquisa científica moderna;
  • as relações entre a ciência e a tecnologia na modernidade, especialmente o papel representado pelas máquinas e pelas idéias mecanicistas.

As ligações entre os dois conjuntos de investigações serão reforçadas pelo uso de um modelo de atividade científica que identifica as relações mutuamente reforçadoras que existem entre a adoção, na pesquisa, de estratégias metodológicas particulares e a sustentação de valores éticos e sociais particulares.

Outro objetivo do projeto é propiciar, através de uma série de eventos e publicações, discussões entre cientistas, filósofos e cientistas sociais (brasileiros e de outros países) com abordagens metodológicas e perspectivas éticas divergentes e verificar como os resultados dessas discussões podem ter um impacto positivo na pesquisa científica, no ensino de ciências e na educação superior.

O coordenador do projeto temático e do grupo é Pablo Mariconda, do Departamento de Filosofia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas (FFLCH) da USP. Os outros integrantes da equipe central são Hugh Lacey, professor emérito do Swarthmore College (EUA); Marcos Barbosa de Oliveira, do Departamento de Filosofia da Educação e Ciências da Educação da Faculdade de Educação da USP; José Roberto Machado Cunha da Silva, do Departamento de Biologia Celular e do Desenvolvimento do Instituto de Ciências Biomédicas; Sylvia Gemignani Garcia e Rui Braga, ambos do Departamento de Sociologia da FFLCH-USP; e Mauricio de Carvalho Ramos, do Departamento de Filosofia da FFLCH-USP. O grupo também conta com a colaboração de outros pesquisadores, membros correspondentes estrangeiros e pós-graduandos.

DEBATE INAUGURAL
Lacey Barbosa e Mariconda

A primeira atividade pública do Grupo de Filosofia, História e Sociologia da Ciência e da Tecnologia foi o debate "A Perspectiva Valorativa de Análise da Atividade Científica", no dia 25 de junho. Os debatedores foram (a partir da esq. na foto ao lado) Hugh Lacey, Marcos Barbosa de Oliveira e Pablo Mariconda.

No dia 6 de agosto terá início a próxima atividade: o 15º Seminário Internacional de Filosofia e História da Ciência, com Fernando Tula Molina, da Universidade Nacional de Quilmes (Argentina). Serão nove seminários nos dias: 6 e 13 de agosto; 10 e 24 de setembro; 8 e 22 de outubro; e 12, 19 e 26 de novembro. Os encontros acontecerão sempre às 10h, no Auditório Alberto Carvalho da Silva, sede do IEA.

Terry Shinn, da Maison de Sciences de l´Homme (França), e Anne Marcovitch darão conferências no bimestre outubro/novembro. Shinn falará sobre "Organização Intelectual e Social da Pesquisa em Nano" (29 de outubro) e "(Des)Encantamento e Interpenetração: Modernidade, Pós-Modernidade e Formas de Reflexividade" (6 de novembro). Marcovitch tratará de "Nanociência e as Ciências da Vida" (31 de outubro) e de "Forma, Imagens e Instrumentação em Nanociência e Nanotecnologia" (4 de novembro). As conferências terão início às 10h, no Auditório Alberto Carvalho da Silva, sede do IEA, e serão proferidas em inglês, sem tradução.

Foto: Mauro Bellesa/IEA-USP