Você está aqui: Página Inicial / PESQUISA / Cátedras e Convênios / Lévi-Strauss

Lévi-Strauss

por Marilda Gifalli - publicado 05/06/2013 10:40 - última modificação 21/01/2015 14:44

Alfredo Bosi

Coordenador: Alfredo Bosi

A USP e a Embaixada da França no Brasil assinaram em 3 de outubro de 1997,  convênio acadêmico para criação do Programa de Cátedras Lévi-Strauss. O programa teve por objetivo possibilitar a vinda de professores franceses, por um período de um a doze meses, para as áreas de ciências sociais e humanas.

O evento fez parte do colóquio de inauguração do Programa Saint-Hilaire e ocorreu na sala do Conselho Universitário com a presença do embaixador da França no Brasil, Yves Saint-Geours.

Durante o evento, foi destacada a importância que instituição de cátedras francesas no Brasil tem para o maior desenvolvimento da área de pesquisa dos dois países. De acordo com o embaixador, a cooperação entre Brasil e França é histórica.

Realizações

1999

Pierre Corvol, chefe do serviço de Hipertensão Arterial do Hospital Broussais de Paris e professor de Medicina no Collège de France realizou duas conferências: "Genetics of Human Hypertension", 10 de novembro de 1999 no Instituto do Coração e "Are Vasoactive Peptides Angiogenic Factors?", 11 de novembro de 1999 no ICB-USP. Leia mais no Informativo IEA, n. 57, outubro-novembro, pág. 8

2002

Programa Saint-Hilaire

O programa, que fez parte de uma parceria entre a Embaixada da França no Brasil e a Coordenação de Aperfeiçoamento de Pessoal de Nível Superior (Capes), teve como intuito o apoio à edição de obras relacionadas ao Brasil contemporâneo, valorizar as pesquisas conjuntas e favorecer intercâmbios científicos e culturais entre os dois países, coordenando e articulando cátedras francesas em universidades brasileiras e vice-versa.

Visita do Prof. Serge Gruzinski, Diretor de Pesquisa da EHESS/CNRS, que desenvolveu as seguintes atividades:

9 de agosto, proferiu a conferência “Elites globalizadas nas quatro partes do mundo nos inícios da mundialização (1580-1640)”.

12 de agosto, no Departamento de Antropologia da FFLCH-USP, proferiu a palestra “Mestiçagens, mundialização e história: Algumas pistas de reflexão e de pesquisa”.

16 de agosto, no Departamento de História da FFLCH-USP, proferiu a palestra “Os mundos misturados da monarquia católica: Os inícios da globalização no mundo Ibérico (1580-1640)”.

Escreveu o artigo “O historiador, o macaco e a centaura, conversa sobre a  “história cultural”  novo milênio, para ser publicado na Revista “Estudos Avançados”.

Artigo

O historiador, o macaco e a centaura: a "história cultural" no novo milênio

Revista Estudos Avançados. Vol.17, N. 49

Notícia

junho de 2002

O historiador francês Serge Gruzinski estará no IEA em agosto.

O historiador e crítico francês Serge Gruzinski, diretor de pesquisa do CNRS e da École de Hautes Études en Sciences Sociales (EHESS) de Paris, estará no IEA em agosto para uma série de atividades. Ele trabalhou na Escola Francesa de Roma e depois, de 1975 a 1984, no México. Em 1985 lançou seu primeiro livro, "Les Hommes-Dieu du Mexique", e no ano seguinte o segundo, "La Colonisation de l'Imaginaire". Em 1990 foi a vez de "La Guerre des Images" e em 1991-93, junto com Carmen Bernard, publicou os dois volumes de "Histoire du Nouveau Monde", lançados em português pela Edusp em um volume ("História do Novo Mundo") em 2001. Além deste, há três outros livros de Gruzinski lançados no Brasil, pela Companhia das Letras: "A Passagem do Século 1480-1520" (1999), "Rio de Janeiro, Cidade Mestiça" - Gruzinski, Luiz Felipe de Alencastro e Tierno Monénembo participam com ensaios no livro, que contém 70 desenhos de Debret - (2001) e "O Pensamento Mestiço" (2001).

Visita do Prof. Nathan Wachtel, do Departamento de História e Antropologia do Collége de France, que desenvolveu as seguintes atividades:

21 de outubro, realizou visita ao Departamento de História da FFLCH-USP;

23 de outubro, proferiu a Conferência do Mês do IEA, intitulada “Dos índios andinos aos marranos da América”.  Um público de 121 pessoas esteve presente ao evento.

24 de outubro, reuniu-se com a Profa. Dra. Anita Novinski para discutir a instalação do Laboratório sobre Intolerância, junto a FFLCH-USP.

2003

Visita do Prof. Philippe Descola, Diretor do Laboratório de Antropologia

do Collège de France – CNRS-EH ESS, que desenvolveu as seguintes atividades:

23 de abril, realizou visita técnica ao Departamento de Antropologia da FFLCH-USP, onde teve a oportunidade de dialogar com os alunos de pós-graduação do mencionado Departamento.

23 de abril, realizou o Seminário “Invariantes ontológicos e tipos sócio-cósmicos”, coordenado pela Profa. Dominique Galois, com a presença de 40 participantes.

26 de abril, participou do Café Acadêmico na Livraria Cultura, onde discutiu o teor de sua obra. Participaram do evento cerca de 30 pessoas.

2004

Visita da Profa. Anne Fagot-Largeault, pesquisadora na área de filosofia das ciências biológicas e médicas do Collége de France, que desenvolveu as seguintes atividades:

20 de abril, proferiu a conferência “A introdução na medicina de técnicas ordenadas da genética conduziu a uma ruptura antropológica?”, no Departamento de Filosofia da FFLCH. Participaram do evento cerca de 20 pessoas.

22 de abril, proferiu a palestra “Problèmes êtiques posés par la médecine reconstructrice de l’allogreffe, à l’autogreffe em passant par le clonage thérapeutique”, no auditório do Instituto de Biociências. Participaram do evento cerca de 15 pessoas.

23 de abril, proferiu a conferência “Epistemologia, ética, filosofia da natureza: fazenda filosofia das ciências hoje”, no Departamento de Filosofia da FFLCH. Participaram do evento cerca de 15 pessoas.

26 de abril, realizou o Seminário “Embriões, células tronco e terapias celulares: questões filosóficas e antropológicas”. Seminário realizado no Instituto de Estudos Avançados, para 10 especialistas convidados previamente.

A pesquisadora escreveu também os seguintes artigos:

    1. Embryons, cellules souches et thérapies cellulaires: Questions philosophiques et anthropologiques. Este artigo foi publicado na revista Estudos Avançados no. 51.
    2. Épistémologie, éthique, philosopie de la nature: faire de la philosophie dês sciences aujourd’hui;
    3. L’introduction, em médècine de techniques issues de la génétique a-t-elle entraîné une cassure anthropologique?

     

    Notícia

    abril de 2004

    Na segunda quinzena de abril, Anne Fagot-Largeault, titular da cátedra de Filosofia das Ciências Biológicas e Médicas do Collège de France, ministrou um curso sobre antropologia médica no Departamento de Filosofia da USP. A vinda da pesquisadora fez parte da programação da Cátedra Claude Lévi-Strauss, sediada no IEA e fruto de convênio entre a USP e o Collège de France. Durante sua estada no Brasil, Fagot-Largeault também fez duas conferências na Universidade Federal de Santa Catarina. Ela foi professora da Universidade de Paris (I, XII e X), integrou o Instituto Universitário da França e esteve como professora visitante na Universidade Livre de Bruxelas, Bélgica. No período 1967-71, participou do Programa de Lógica e Filosofia da Ciência da Universidade de Stanford, EUA.