Você está aqui: Página Inicial / PESQUISA / Grupos Anteriores / Política Científica e Tecnológica

Política Científica e Tecnológica

por Marilda Gifalli - publicado 06/06/2013 18:20 - última modificação 11/11/2014 17:42

 

Formado no início de 1987, e integrado por especialistas representativos de diversas áreas da USP, o Grupo de Estudos sobre Política Científica e Tecnológica procurou, em um primeiro momento, recuperar a memória do tema no plano nacional e avaliar o estado atual das questões e problemas envolvidos. Participam do Grupo, desde sua formação, os seguintes profs.: Antonio Galvão Novaes (chefe do Departamento de Transportes da Escola Politécnica-USP), Erney F. Plessmann de Camargo (vice-diretor do Instituto de Ciências Biomédicas-USP), Eunice Ribeiro Durham (chefe do Departamento de Antropologia da Faculdade de Filosofia, Letras e Ciências Humanas-USP), Flávio Fava de Moraes (ICB e diretor científico da Fundação de Amparo à Pesquisa do Estado de São Paulo-FAPESP), Gerhard Malnic (Instituto de Ciências Biomédicas-USP), Jacques Marcovitch (Faculdade de Economia e Administração-USP), Oswaldo Ubríaco Lopes (diretor do Instituto de Ciências Biomédicas-USP), Roberto Leal Lobo e Silva Filho (vice-reitor da USP) e Walter Colli (diretor do Instituto de Química-USP). Até setembro de 1987, o grupo esteve sob a coordenação do prof. Roberto Lobo; a partir desta data, o novo coordenador foi o prof. Erney Camargo.

Seguindo um cronograma regular de reuniões, sempre na sede do IEA, os integrantes do Grupo puderam trocar informações e experiências sobre sua participação direta nos mais diversos órgãos científicos nacionais e internacionais, debater problemas relativos à utilização do conhecimento científico para a geração de novas tecnologias, ao desenvolvimento acadêmico dos diferentes campos abordados, bem como sobre a questão dos custos das pesquisas em Ciência e Tecnologia e sobre o papel do Estado no fomento e subvenção dessas atividades. O Grupo pode, também, articular posicionamentos e intervenções, além de estudar estratégias de média e longa duração.

Em 1988, o Grupo de Estudos sobre Política Científica e Tecnológica contará com a participação ativa do prof. Simon Schwartzman que, como professor visitante do IEA, desenvolverá o projeto sobre A produção de conhecimentos na Universidade. O objetivo geral do projeto que será desenvolvido pelo prof. Simon, é dar início a uma série de atividades relacionadas ao estudo dos problemas que afetam as instituições de ensino superior, principalmente no que se refere à sua função central de centro de produção de conhecimentos nas ciências naturais e humanas.

A partir de fevereiro de 2002 até 2005, sob a coordenação do bioquímico Hernan Chaimovich, professor titular do Departamento de Bioquímica do Instituto de Química (IQ) e ex-pró-reitor de Pesquisa da USP, a área manteve as propostas estabelecidas por Carvalho da Silva, que incluíram a publicação de artigos, análise de questões centrais da política nacional de ciência e tecnologia e a pesquisa sobre programas para o desenvolvimento do setor, inclusive com esclarecimentos sobre as contribuições da USP.

Parte do texto extraído da Revista Estudos Avançados, vol. 2, n. 1

1992

  • O Impasse dos Institutos de Pesquisa

Expositor: Willy Beçak

7 de maio de 1992

Expositor: Alain Wisner (Laboratório de Ergonomia e Neurociências, Paris, França)

Revista Estudos Avançados, vol. 6, n. 16 - 1992

What Can Science do for Sustainable Development

Expositor: M.G.K. Menons (Conselho Internacional das Comunidades Científicas - ICSU)

8 de junho de 1992

Revista Estudos Avançados, vol. 6, n. 15 - 1992

  • Bases de um Desenvolvimento Moderno

Expositor: João Paulo dos Reis Velloso

18 de agosto de 1992

  • Formação e Consolidação dos Pólos Tecnológicos

Expositor: José Adelino Medeiros

14 de outubro de 1992

  • Competitividade e Tenologia no Brasil

Expositor: Jacques Marcovitch

22 de outubro de 1992

  • O Sistema de Inovação no Brasil

Marcos Luiz dos Mares Guia

23 de outubro de 1992

Leia mais...

 

Relacionado

2003

Durante quatro meses, um grupo de trabalho criado pela Área de Política Científica e Tecnológica do IEA e pelo Instituto do Milênio Rede-TB (Rede Brasileira de Pesquisa em Tuberculose), do Ministério da Ciência e Tecnologia, analisará os desafios para a transferência tecnológica nos setores de pesquisa e produção de imunobiológicos (vacinas e soros).

Consultores representares das áreas de P&D, gestão, legislação, recursos humanos, produção e responsáveis por políticas públicas e empresariais na área de imunobiológicos trabalharão na produção de um diagnóstico detalhado das dificuldades no setor. O documento final será apresentado em novembro, em evento na Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto (FMRP), da USP.

Em julho foi elaborado o plano de trabalho e definidos os consultores das áreas envolvidas. Em agosto acontecerá a primeira reunião dos consultores e será elaborado o documento base para discussão. Também em agosto será definido o programa do evento de novembro e serão convidados palestrantes, autoridades e outros interessados no encontro. Em setembro haverá a segunda reunião para discussão do documento base e serão feitos contatos com empresas do setor. Outubro será dedicado à redação do documento final. Em novembro acontece o evento na FMRP para consolidação e divulgação das propostas junto à comunidade acadêmica, empresarial, sociedade e governo.

A equipe coordenadora do grupo de trabalho é composta por Célio Lopes Silva, titular de imunobiologia da FMRP e coordenador e gestor do Instituto do Milênio Rede-TB, Francisco Juarez Ramalho Pinto, titular do Departamento de Bioquímica e Imunologia da FMRP, e José Maciel Rodrigues Jr., doutor em tecnologia farmacêutica e pesquisador da FMRP.

Leia mais no Informativo IEA, N. 72, agosto/setembro, 2003, pág. 6

2005

TEMÁTICA SEMESTRAL

Os Fundamentos da Inovação Tecnológica

Informativo IEA, N. 78, maio/junho, 2005, págs. 4 e 5

ARTIGO

Hernan Chaimovitch

Revista Estudos Avançados, vol. 19, n. 55 - 2005