Você está aqui: Página Inicial / PESQUISA / Projetos Institucionais / USP Cidades Globais / Chamada de Pesquisadores

Chamada de Pesquisadores

por Rafael Borsanelli - publicado 04/10/2018 17:20 - última modificação 17/10/2019 19:30

O Programa USP Cidades Globais (USP-CG) lança em 2019 sua segunda chamada pública para atrair pesquisadores de Pós-Doutorado e Colaboradores. O objetivo é contribuir com o aprimoramento da pesquisa e da excelência científica e tecnológica da Universidade, assim como possibilitar a formação de grupos de pesquisadores nacionais e estrangeiros voltados às questões urbanas, integrando redes de estudos e pesquisas internacionais. Espera-se gerar aplicações, experimentações e soluções que se convertam em subsídios para as transformações necessárias no contexto urbano.

Nesta chamada, o Programa deseja que os pesquisadores tragam uma perspectiva de trabalho inter e transdisciplinar em suas pesquisas, intensificando diálogo e interação entre as ciências sociais e humanas, as ciências experimentais, como a matemática e computação, física, química, biologia e todas as suas vertentes tecnológicas, e as ciências ambientais e da sustentabilidade, em propostas que considerem as complexidades das cidades e a projeção para 2050.

Sendo o IEA-USP um instituto de caráter interdisciplinar nato, o Programa USP Cidades Globais se propõe a oferecer a possibilidade de pesquisadores e profissionais desenvolverem pesquisas inovadoras, estabelecerem conexões acadêmicas e adentrarem às diversas redes de pesquisa com as quais o IEA e demais unidades têm relação.

A submissão de projetos deve ser feita até às 15h (horário de Brasília) de 22 de novembro de 2019.

Modalidades

Programa de Pós-doutorado

O Programa de Pós-Doutorado na USP é regulamentado pela Resolução 7.406, de 03/10/2017. É realizado por portadores de título de Doutor com o objetivo de melhorar o nível de excelência científica e tecnológica da Universidade.

Sobre o programa

  • Duração: de 6 meses a 2 anos, podendo haver renovações.
  • Carga horária mínima: 960h ao todo, 20h por semana

Instruções para encaminhar projeto.

Programa Pesquisador Colaborador

Regulamentado pela Resolução 7.413, o Programa Pesquisador Colaborador é realizado por pesquisadores externos, vinculados ou não a outras instituições de ensino e pesquisa, com título de Doutor de qualquer instituição, nacional ou estrangeira.

Sobre o programa

  • O pedido de participação no Programa deverá ser formulado por docente USP, e submetido à Comissão de Pesquisa do IEA-USP.
  • Dedicação: no mínimo 12 (doze) e no máximo 20 (vinte) horas semanais.
  • Duração: o período máximo de vinculação do pesquisador colaborador com o mesmo projeto de pesquisa é de 5 (cinco) anos.

Instruções para encaminhar projeto.

Fomento

Os projetos para pós-doutorado e colaborador podem ser desenvolvidos com ou sem bolsa. Caberá ao interessado indicar a modalidade e submeter, quando for o caso, a solicitação de bolsa às agências de fomento.

Cronograma

Projetos sem bolsa

  • Inscrição: 08/10 a 22/11
  • Resultado: 12/03/2020
  • Início: 26/03/2020

Projetos com bolsa

  • Inscrição: 08/10 a 22/11
  • Resultado: fluxo contínuo, a depender do resultado das agências de fomento
  • Início: a partir de 26/03/2020

 

Relação de temas e pesquisadores supervisores do USP Cidades Globais

Consulte os supervisores antes de submeter a proposta.

Temas ODS Supervisor E-mail
Planejamento ambiental com interface ao planejamento urbano 6, 11, 13, 15 Amarilis Lucia Casteli Figueiredo Gallardo amarilisgallardo@usp.br
Educomunicação como instrumento de conscientização e encaminhamento de políticas públicas sustentáveis; diversidade cultural, auto-organização e culturas periféricas nas grandes metrópoles; big data na busca da sustentabilidade e grandes metrópoles 4, 10, 11 Anderson Vinicius Romanini vinicius.romanini@usp.br
Ambiente, saúde e sustentabilidade em cidades; gestão urbana e sustentabilidade 3, 6, 11, 13 Arlindo Philippi Jr aphij@usp.br
Cidades e comunidades sustentáveis 11 Brenda Chaves Coelho Leite brenda.leite@poli.usp.br
Promoção de estilo de vida saudável (alimentação e atividade física) 3, 11 Bruno Gualano gualano@usp.br
Fauna urbana: diversicação eco-fisiológica na colonização de ambientes urbanos 11, 15 Carlos Arturo Navas Iannini navas@usp.br
Distribuição urbana de cargas com foco em cidades e comunidades sustentáveis; melhoria da rede de semáforos da cidade de São Paulo 9, 11 Claudio Barbieri da Cunha cbcunha@usp.br
Computação e ciência de dados com foco em saúde, igualdade de gênero e cidades e comunidades sustentáveis 3, 5, 11 Fábio Kon fabio.kon@ime.usp.br
Educação não formal e educação social, intervenção e desenvolvimento comunitário, papel e práticas do educador, formação e atuação profissional, lazer e cultura, cidades educadoras 4, 11 Juliana Pedreschi Rodrigues julianaprodrigues@usp.br
Relação entre padrões de crimes e infraestrutura urbana, predição de crimes e mobilidade 11, 16 Luis Gustavo Nonato gnonato@icmc.usp.br
Gestão Intersetorial; pesquisa participativa de base comunitária; determinação social da saúde e equidade 3, 11, 13 Marco Akerman marcoakerman@usp.br
Etanol como energia renovável nas cidades 7, 11 Marcos Buckeridge msbuck@usp.br
Alternativas socioeconômicas e ecologicamente sustentáveis no desenvolvimento local e regional na perspectiva dos ODS 2, 8, 10, 11, 12, 13, 15 Maria da Penha Vasconcellos mpvascon@usp.br
Turismo e sustentabilidade 1, 4, 5, 8, 9, 10, 11, 12, 16, 17 Mariana Aldrigui aldrigui@usp.br
Saúde e ambiente: poluição atmosférica, transportes urbanos, ambiente construído 11, 13 Nelson Gouveia ngouveia@usp.br
Infraestrutura verde com soluções baseadas na natureza para paisagens multifuncionais 6, 11, 13, 15 Paulo Pellegrino prmpelle@usp.br
Governança ambiental em cidades 11, 17 Pedro Roberto Jacobi prjacobi@usp.br
Energia limpa e acessível; cidades e comunidades sustentáveis; ações contra a mudança global de clima 7, 11, 13 Roberta Consentino Kronka Mulfarth rkronka@usp.br
Habitação e meio ambiente urbano: erradicação da pobreza, saúde e bem-estar, água e saneamento, redução das desigualdades 1, 3, 6, 10 Suzana Pasternak suzanapasternak@gmail.com
Indicadores de sustentabilidade aplicados ao contexto dos ODS; resiliência do setor de saneamento às mudanças climáticas e eventos climáticos extremos 6, 10, 11, 13 Tadeu Fabrício Malheiros tmalheiros@usp.br
Mudanças climáticas nas cidades 11, 13 Tércio Ambrizzi tercio.ambrizzi@iag.usp.br
Agricultura urbana e compostagem; saúde, áreas verdes, microplásticos e poluição do ar 6, 11, 15 Thais Mauad tmauad@usp.br
Água potável e saneamento; ação contra a mudança global do clima; parcerias e meios de implementação 6, 11, 13, 17 Wagner da Costa Ribeiro wribeiro@usp.br
Saneamento; cidades sustentáveis; consumo e produção responsável; combate às mudanças climáticas 6, 11, 12 e 13 Wanda Maria Risso Gunther wgunther@usp.br

Submissão

Submeta seu projeto aqui até às 15h (horário de Brasília) de 22 de novembro.

Sobre o programa

Criado pelo Instituto de Estudos Avançados (IEA) da USP em 2016 com o apoio da Reitoria da Universidade de São Paulo, o Programa USP-CG surge como espaço de diálogo e convergência intelectual entre pesquisadores, sociedade e setores público e privado para o encontro de propostas e soluções para a promoção da qualidade de vida nas cidades.  A contribuição se dá por meio de publicações, encontros e colóquios, bem como pelo envolvimento com gestores públicos municipais e representantes de setores empresariais e da sociedade civil.

Para o USP-CG, as agendas públicas das cidades devem ser montadas com base em propostas prioritárias que tenham sido examinadas cientificamente, de forma que a priorização das políticas públicas tenha a menor probabilidade possível de produzir erros ou efeitos inócuos. Assim, a missão do programa é compreender a cidade como sistema complexo, por meio de uma abordagem inter e transdisciplinar, que possa trazer respostas factíveis a duas questões norteadoras, visando um sistema de proteção social, com projeções até 2050: (1) O que pode ser feito para melhorar a vida das pessoas nas cidades?; (2) O que pode ser feito para melhorar a vida das pessoas nas regiões metropolitanas?

Para responder a estas perguntas, o Programa USP Cidades Globais realizou uma série de eventos em que especialistas discutiram tópicos prioritários. A partir das ideias tratadas de forma inter e transdisciplinar, alguns documentos foram produzidos. Mais recentemente, o Programa USP-CG também iniciou processo para agir de forma prática no auxílio às políticas públicas, com projetos que desenvolvem ferramentas para uso pelo poder público para melhorar o bem-estar dos munícipes.

São exemplos de projetos desenvolvidos no âmbito do programa: 1) o projeto Cipoal Jurídico, que usa computação linguística para examinar as leis do município de São Paulo com o intuito de auxiliar vereadores e prefeito a compreenderem as incoerências jurídicas e com isto melhorarem os seus desempenhos. Este projeto também permite avaliar o desempenho de vereadores de forma rápida e clara e servirá como uma ferramenta para a população nas próximas eleições para prefeito e vereadores em São Paulo. 2) Uma parceria com o Instituto Democracia e Sustentabilidade (IDS) visa estudar e produzir um documento sobre o Pacto Federativo Brasileiro, na tentativa de, possivelmente, alterar o pacto para que as cidades tenham maior agilidade para poderem aumentar o bem-estar de seus habitantes. 3) Desenvolvimento de ferramentas computacionais para análises de dados de vários tipos, com o objetivo de embasar cientificamente as decisões em políticas públicas. Algumas ações práticas, como na área de saúde e de soluções embasadas na natureza, já estão em andamento, inclusive com colaborações internacionais. 4) Coluna “Boletim UrbanSus”, mantida pelo Programa USP Cidades Globais no Programa Jornal da USP no Ar, na Rádio USP, que vai ao ar toda segunda-feira às 8h da manhã e que visa divulgar os objetivos do desenvolvimento sustentável e suas consequências para as cidades.

Chamadas anteriores

Chamada 2018