Você está aqui: Página Inicial / EVENTOS / Afrodiásporas em Diálogo nas Artes Plásticas

Afrodiásporas em Diálogo nas Artes Plásticas

Detalhes do evento

Quando

de 05/10/2018 - 10:00
a 05/10/2018 - 13:00

Onde

Sala Alfredo Bosi, Rua da Praça do Relógio, 109, térreo, Cidade Universitária, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

O grupo de Pesquisa Diálogos Interculturais do IEA irá realizar em 2018 e 2019, uma série de seminários dentro da temática Imigração e Saúde, entendendo-se saúde no sentido amplo, ou seja, nâo apenas no binômio saúde-doença, mas abrangendo também tudo aquilo que proporciona ou não a possibilidade de bem estar e sentido a vida. Em 1978 a Declaração de Alma-Ata (OMS, 1978) emergiu como um marco na mudança da concepção de saúde que de ausência de doença ou enfermidade passa a ser entendida como  um estado de bem estar físico, mental, social e direito humano fundamental. A declaração salienta a interferência da desigualdade social nas políticas de saúde, incluindo a lacuna entre os países ditos desenvolvidos e os países em desenvolvimento. Em 1982 a OMS salienta os fatores psicossocias como fatores chaves nas ações sociais e de saúde. As ações para serem efetivas na prevenção de doenças e promoção da saúde e bem estar precisam basear-se na compreensão da cultura, tradições, crenças e padrões de interação familiar. Desnecessário dizer o quanto as diásporas, encontros e desencontros entre culturas estão intrínseca e historicamente vinculados à saúde dos povos que habitam o planeta.

Dando início a esta série, no dia 05 de outubro de 2018 às 10h, o grupo receberá para o seminário Afro-diásporas em diálogo nas artes plásticas, a antropóloga Lilia Moritz Schwarcz, professora titular da FFLCH-USP e curadora adjunta para histórias e narrativas do Masp, e o crítico de arte e doutorando da USP, Hélio Menezes, dois dos cinco curadores da exposição “Histórias Afro-Atlânticas”, atualmente em cartaz em São Paulo (MASP e Instituto Tomie Ohtake).

No dia 6 de outubro às 14 hs, no auditório da reitoria da UNIFESP, teremos o seminário "Acolhimento e Saúde" com a psicóloga Julia Bartch da organização humanitária internacional Médico Sem Fronteiras; Andrea Zamur, Coordenadora de Políticas para Imigrantes e Promoção do Trabalho Decente da Prefeitura Municipal de São Paulo; Roque Pattussi do Centro de Apoio e Pastoral do Migrante CAMI de São Paulo e ainda, a confirmar, representante da Missão Paz.

No dia 7 de novembro o seminário "Saúde, Migração e Refúgio" com Carlos Eduardo Siqueira  médico e professor associado da Faculdade de Serviços Públicos e Comunitários da Universidade de Massachusetts UMASS e membro do grupo Diálogos Interculturais; Cássio Silveira, cientista social e professor  da Faculdade de Ciências Médicas da Santa Casa de São Paulo (FSPMSCSP) e do depto de Medicina Preventiva UNIFESP; Denise Martin, antropóloga professora  da Universidade Católica de Santos (UNISANTOS) e do depto de Medicina Preventiva UNIFESP e Regina Yoshie Matsue, antropóloga professora do depto de Medicina Preventiva da UNIFESP.


Afrodiásporas em Diálogo nas Artes Plásticas

Acontece no  IEA no dia 5 de outubro 2018 com a participção de dois dos cinco curadores da exposição “Histórias Afro-Atlânticas”, atualmente em cartaz em São Paulo (MASP e Instituto Tomie Ohtake): Lilia Schwarcz, professora titular da FFLCH-USP e curadora adjunta para histórias e narrativas do Masp;  e, com o crítico de arte e doutorando em Antropologia Social pela FFLCH-USP, Hélio Menezes.

Do século XVI ao final do século XIX, o comércio global da escravidão agenciado pelos europeus resultou na migração forçada de doze milhões de africanos e africanas para as Américas, e especialmente para o Brasil, que recebeu 46% dessa população. O “Atlântico Negro”, assim chamado pelo sociólogo britânico Paul Gilroy, menos do que separa, banha continentes entre os quais ocorrem fluxos e refluxos de pessoas e de ideias, de crenças e mentalidades, de objetos e padrões estéticos. Além disso, o oceano torna-se, ele mesmo, um espaço sem fronteiras nítidas, onde, segundo os curadores convidados, “matrizes e identidades africanas penetram e ocupam culturas nas Américas, no Caribe e na Europa”.

A violenta e cruel empresa escravista imprimiu marcas profundas, ainda hoje presentes, no legado comum das sociedades em que se implantou, inclusive no que diz respeito à saúde mental.

No entanto, o encontro (ou choque) entre povos, línguas e culturas promoveu, paradoxalmente, fricções e hibridismos fertilizadores que mudaram não só a feição da humanidade, como geraram, nas diversas margens do Atlântico, expressões culturais, linguagens artísticas, projetos estético-políticos que, ao mesmo tempo, se singularizam e se assemelham.

Nesses tempos traumatizantes em que nos deparamos, com a frágil preservação da memória no Brasil, não será demais enfatizar a importância e o caráter excepcional da mostra que reúne 450 trabalhos produzidos ao longo de cinco séculos por 214 artistas de diferentes nacionalidades e origens étnicas, e localizados em museus, fundações e coleções particulares de diversos países.

O público brasileiro tem, portanto, a rara oportunidade de ver um conjunto de temáticas abordadas através das artes plásticas que interroga, quando não subverte, os cânones de uma história da arte eurocêntrica.

Dada a relevância desta exposição única no Brasil (quiçá no mundo) e a excelência de seus idealizadores, neste encontro inaugural da série Imigração e Saúde  pretende-se indagar os convidados sobre o processo curatorial que presidiu à concepção de "Histórias Afro-Atlânticas", cujos temas, personagens e narrativas polifônicas são perpassados por múltiplas dimensões e diálogos interculturais, além de apresentar “os mundos que os Africanos (re)criaram”.

Expositores:

Hélio Menezes (FFLCH USP)

Lilia Schwarcz (FFLCH USP)

Coordenação:

Ligia Fonseca Ferreira

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição

Não há necessidade de inscrição para assistir à transmissão on-line.

Capacidade da sala: 60 pessoas

Onde estamos

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo