Você está aqui: Página Inicial / REVISTA

Capa Estudos Avançados 95

Cidade e ambiente

A presente edição de Estudos Avançados  é vasta e diferenciada. O leitor encontra um conjunto de oito textos sobre Cidade e ambiente, entre eles, o que trata dos interesses econômicos que promovem o desmatamento selvagem na floresta amazônica – depois de um curto período de relativo controle, volta a ameaça antiecológica que atinge regiões inteiras da Amazônia e do Nordeste; no contexto urbano verifica-se igual tensão entre os defensores de um estilo de moradia mais humano (“a cidade para as pessoas”, na expressão de Gehl)  e a violenta deterioração do espaço de que são exemplos e vítimas os bairros de baixa classe média e as favelas na periferia das grandes cidades. Temas como Judicialização da saúde, Princípio de precaução e e análises de nossa história cultural também estão presentes neste número 95. Veja abaixo alguns destaques da edição.

.

Princípio de Precaução

Riscos

Paraopeba lama

As inovações tecnocientíficas estão penetrando cada vez mais domínios da vida cotidiana e da experiência humana, em arranjos sociais, atividades produtivas e práticas institucionais. Identificamos medidas de precaução que devem ser adotadas para prevenir ou reduzir o risco dos efeitos danosos possivelmente ocasionados pelos usos dessas inovações científicas. O argumento se vale em especial de situações em que há incerteza a respeito dos riscos envolvidos.


Amazônia

Modelo socioambiental

Floresta amazônica

A associação do desmatamento na Amazônia sempre esteve correlacionada a problemas sociais e envolve diferentes agentes e fatores causadores conforme a área de abrangência e o momento de sua realização. Procuram-se evidenciar alguns dos principais fatores institucionais que contribuem para pôr em xeque as conquistas do modelo socioambiental por meio de um estudo de caso no assentamento rural categoria Projeto Agroextrativista Praialta-Piranheira, Pará.


Judicialização da saúde

Medicalização

Médico

A judicialização da saúde no Brasil desenvolve-se a partir de medicamentos, tratamentos, exames etc., envolvendo profissionais do direito para efetivar o direito à saúde, mobilizando saberes e práticas plurais e contraditórias, que reforçam a medicalização. Sendo assim, o artigo aborda a relação entre judicialização e medicalização na saúde. O objetivo do trabalho consiste em evidenciar, em análise documental, os parâmetros decisórios do Poder Judiciário.


Universidades

Desafios

Praça do Releogio

As inovações tecnocientíficas estão penetrando cada vez mais domínios da vida cotidiana e da experiência humana, em arranjos sociais, atividades produtivas e práticas institucionais. Identificamos medidas de precaução que devem ser adotadas para prevenir ou reduzir o risco dos efeitos danosos possivelmente ocasionados pelos usos dessas inovações científicas. O argumento se vale em especial de situações em que há incerteza a respeito dos riscos envolvidos.