Você está aqui: Página Inicial / EVENTOS / Agenda de eventos

Agenda de eventos

por Aziz Salem - publicado 29/08/2012 08:55 - última modificação 09/11/2016 10:28

Os Mapas de Ruído e a Qualidade Ambiental Urbana

por Sandra Sedini - publicado 15/09/2017 17:55 - última modificação 20/09/2017 17:16

Detalhes do evento

Quando

de 21/09/2017 - 10:00
a 21/09/2017 - 13:00

Onde

Sala de Eventos do IEA, Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5° andar, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

Dando continuidade a seus seminários temáticos, o Programa USP Cidades Globais realiza com Marcos Holtz e Carolina Monteiro, membros da Associação Brasileira para a Qualidade Acústica - ProAcústica, o encontro com o objetivo de proporcionar conhecimento sobre a metodologia aplicável à elaboração de mapas de ruído e planos de ação, e suas implicações na qualidade urbana.

O seminário abordará a metodologia aplicável à elaboração de mapas de ruído, planos de ação, e suas implicações na qualidade urbana. Temática relevante em grandes metrópoles, a poluição sonora é considerada atualmente pela OMS como problema de saúde pública e está relacionada à perda total da audição, aumentos do nível de estresse, distúrbio do sono, entre outros problemas de saúde.

Programa do seminário

  1. Introdução ao ruído
  2. Efeitos do ruído sobre as pessoas
  3. Histórico e contextualização
  4. Definições e conceitos
  5. Elaboração de mapas de ruído
  6. Gestão dos mapas de ruído
  7. Introdução a planos de ação contra o ruído e urban sound planning

Palestrantes

Marcos Holtz

Carolina Monteiro

Moderadora

Saide Kahtouni

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrições prévias

Capacidade da sala 55 lugares

Onde estamos

Organização

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (quinto seminário)

por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 24/08/2017 17:39

Detalhes do evento

Quando

de 21/09/2017 - 14:00
a 21/09/2017 - 17:00

Onde

Instituto de Psicologia, Bloco F, sala 36, Butantã São Paulo

Nome do Contato

Adicionar evento ao calendário

Épisteme Theoritiké: Identidade, não Contradição e Terceiro Excluído

A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

Expositora:

Eda Tassara

Material de Referência:

ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição

Programação

17/08

O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

24/08

Tecnologia científica: tradição e conhecimento

31/08

A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

14/09

O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

21/09

Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

28/09

O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

05/10

A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

19/10

Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

26/10

Utopias versus distopias na luta política pelo futuro histórico

09/11

Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

16/11

A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

23/11

Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

30/11

Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

A Inevitável Vitória da Inteligência Artificial: O Sucesso e a Promessa do Aprendizado de Máquina

por Sandra Sedini - publicado 24/08/2017 15:55 - última modificação 20/09/2017 11:38

Detalhes do evento

Quando

de 22/09/2017 - 10:00
a 22/09/2017 - 12:30

Onde

Sala de Eventos do IEA, Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5° andar, Butantã

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

Basicamente, por qualquer métrica que se possa tomar, o desenvolvimento de técnicas de inteligência artificial (não necessariamente similares a recursos da inteligência humana), é um enorme sucesso do ponto de vista tecnológico, econômico e social.

Exemplos como a Google, ou a brasileira Buscapé, confirmam a importância de técnicas de tradução, interpretação, recomendação, classificação. Hoje, assistimos à chegada de artefatos com capacidade de aprendizado e decisão que já reconhecemos como "inteligentes". O sucesso dessa tecnologia é inevitável, e nenhum país pode considerar seu futuro sem uma discussão que inclua artefatos artificiais inteligentes.

Obviamente, devemos nos interessar em compreender essa nova forma de inteligência que nos rodeia. E como chegamos a esse ponto? Dois fenômenos foram essenciais nos últimos 15 anos. Primeiro, o aumento de capacidade computacional e da tecnologia de sensores. Segundo, a crescente disponibilidade de grandes massas de dados, que permitem o ajuste fino de modelos complexos.

Esse seminário procura analisar a evolução da IA nos últimos 15 anos, verificar o ponto em que estamos, e sugerir alguns pontos que merecem atenção tecnológica e social no futuro.

Expositor

Fabio Gagliardi Cozman

Coordenador

Mario Sergio Salerno (EP e IEA - USP)

Inscrições

Evento público e gratuito | Com inscrição prévia

Capacidade da sala: 55 lugares

Onde estamos

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Engenharia da Complexidade em Edgar Morin

por Cláudia Regina - publicado 01/09/2017 16:25 - última modificação 20/09/2017 11:47

Detalhes do evento

Quando

de 22/09/2017 - 14:00
a 22/09/2017 - 17:00

Onde

Sala de Eventos do IEA, Rua Praça do Relógio, 109, bl. K, 5º andar, Cidade Universitária, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1686

Adicionar evento ao calendário

A empreitada de estabelecer a Engenharia da Complexidade no âmbito brasileiro passa pela obrigatoriedade do entendimento de uma das obras de Edgar Morin.

Neste seminário, José Roberto Castilho Piqueira pretende transpor as ideias apresentadas por Morin para algumas situações práticas da nova engenharia que, nos dias de hoje, emerge da riqueza da informação e da multidisciplinaridade disponível.

Assim, o seminário não tratará de questões filosóficas ou de suas relações com o saber científico, tarefas já cumpridas com competência no original de Morin, mas do relacionamento dos princípios do pensamento complexo com a prática da engenharia, quer seja no trabalho de concepção ou de operação.

Piqueira iniciará sua fala com uma discussão sobre a interpretação do significado usual do termo complexidade no âmbito da engenharia, apresentando exemplos de situações problema em que uma visão não compartimentada do projeto se faz necessária.

Prosseguirá com a conceituação de sistema aberto, conjecturando sobre como a auto-organização emerge em um trabalho de construção de um sistema.

Nesse contexto, tratará da questão da aleatoriedade de maneira ampla, incluindo-a na concepção de meta-sistema e na análise e síntese de processos dinâmicos, distinguindo os rápidos, relacionados com variáveis de estado, dos lentos, relacionados a variações de parâmetros constitutivos.

Da ideia de meta-sistema passará, fazendo uso da incompletude de Gödel, à conceituação das disciplinas envolvidas, compatibilizando unidade com diversidade e continuidade com ruptura.

Encerrará com pequenas observações no sentido de motivar a atitude do pensamento complexo, transformando as ações de engenharia em processos transdisciplinares que harmonizem os diversos modos de pensar e projetar.

Expositor

José Roberto Castilho Piqueira (EP-USP)

Moderador

Gildo Magalhães dos Santos Filho (FFLCH e IEA - USP)

Inscrições

Evento público, gratuito e com inscrição prévia

Público online não há necessidade de inscrição

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br

II Encontro Meio Ambiente e Dimensão Histórica: Perspectivas de Abordagens

por Sandra Sedini - publicado 17/08/2017 17:55 - última modificação 06/09/2017 14:35

Detalhes do evento

Quando

de 25/09/2017 - 09:30
a 25/09/2017 - 17:30

Onde

Sala de Eventos do IEA, Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5° andar, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

Ao final do século XX e início do XXI, o meio ambiente alcançou destaque na produção historiográfica brasileira; a história ambiental se estruturou como linha de reflexão e pesquisa e contribuiu para que o debate sobre as questões ambientais se tornasse mais complexo.

Apesar disso, ainda persistem desafios da integração do conhecimento histórico nas análises socioambientais. Disso depreende o objetivo do encontro, que é o de levar ao debate acadêmico o trabalho de pesquisadores que tratam do meio ambiente numa perspectiva histórica, em múltiplas abordagens e em interlocução com outros campos do conhecimento.


Inscrições

Evento público e gratuito | Com inscrição prévia

Programação

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Terapia Celular no diabete melito: onde estamos?

por Thais Cardoso - publicado 19/09/2017 11:27 - última modificação 19/09/2017 11:27

Detalhes do evento

Quando

de 25/09/2017 - 10:00
a 25/09/2017 - 11:30

Onde

Salão de Eventos do Centro de Tecnologia da Informação da USP Ribeirão Preto (CeTI-RP)

Nome do Contato

Telefone do Contato

(16) 2101 9350

Adicionar evento ao calendário

No Brasil, 18 milhões de pessoas sofrem com diabete. Cerca de 10% dos casos são de diabete do tipo 1, uma doença autoimune que leva o sistema imunológico a atacar o pâncreas do paciente, destruindo as células beta, que produzem insulina. Para abordar os avanços nas pesquisas de tratamentos para essa doença, o Centro de Terapia Celular (CTC), em parceria com o Instituto de Estudos Avançados Polo Ribeirão Preto, realiza no dia 25 de setembro, a partir das 10h, no Salão de Eventos do Centro de Tecnologia da Informação de Ribeirão Preto (CeTI-RP) da USP o seminário Terapia Celular no Diabete Melito: Onde Estamos?.

Uma das iniciativas de maior impacto no tratamento do diabete tipo 1 é desenvolvida na Unidade de Terapia Celular do Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina de Ribeirão Preto da USP, em colaboração com o CTC. O trabalho foi idealizado pelo pesquisador Júlio Voltarelli e passou a ser conduzido por um grupo de pesquisadores que incluem a professora Maria Carolina de Oliveira Rodrigues e o endocrinologista Carlos Eduardo Barra Couri, que conduzirão o seminário. O estudo mostrou na primeira fase, entre 2003 e 2011, avanços no tratamento que incluíram a suspensão do uso de insulina em alguns pacientes ou a redução das injeções diárias.
Serão abordados no evento temas como terapia com células-tronco, implante de células pancreáticas artificiais, bombas eletrônicas de insulina, aplicação por via oral ou nasal e monitoramento da glicemia por escaneamento.

 

Expositores

Maria Carolina de Oliveira Rodrigues (FMRP-USP)
Carlos Eduardo Barra Couri (FMRP-USP)

Inscrições

Evento público e gratuito | Com inscrição prévia

Organização

Centro de Terapia Celular (CTC)

Apoio

Instituto de Estudos Avançados Polo Ribeirão Preto (IEA-RP) da USP

Ciclo Brasil 64/85 - Conversações: A Memória da Política e as Políticas da Memória - Comissão Nacional da Verdade em Pauta (Quarto Encontro)

por Sandra Sedini - publicado 23/05/2017 16:55 - última modificação 18/09/2017 18:32

Detalhes do evento

Quando

de 26/09/2017 - 14:00
a 26/09/2017 - 17:00

Onde

Sala de Eventos do IEA, Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5° andar, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

A construção da(s) memória(s) da ditadura civil-militar (1964/85) é uma disputa constante pelo protagonismo histórico, encarnando, desta forma, o próprio anacronismo: a negação da verdadeira História da repressão caminha lado a lado com a instauração de políticas de memória, de reparação e da apuração das violações aos direitos humanos.

A questão da abertura dos arquivos da ditadura, da revogação da Lei de Anistia e da impunidade dos perpetradores de crimes contra a humanidade, além da eterna dívida com os desaparecidos políticos - que não tiveram seus corpos devolvidos aos familiares -  são temas que chegam até os nossos dias imersos no anacronismo.

Discutir a formação e a produção destas memórias,  a partir do trabalho desenvolvido pela Comissão Nacional da Verdade, se insere neste contexto. Assim, é imperativo compreender a gênese desta Comissão, bem como tomar conhecimento de seu desenvolvimento e de seus desdobramentos.

Uma vez que a Comissão Nacional da Verdade foi instituída pela Lei 12.528/2011, que no seu artigo 11 estabelece a obrigação de apresentação, ao final dos trabalhos,  de “relatório circunstanciado contendo as atividades realizadas, os fatos examinados, as conclusões e as recomendações”, pretende-se também  entender e mapear  em que medida e de que maneira tais recomendações têm sido levadas a cabo pelo Estado.

OrganizaçãoAlessandra Lopes (IFHC-Unicamp), Liniane Haag Brum (IEL-Unicamp), Livia Santiago Moreira (IEL-Unicamp)Lua Gill (IEL-Unicamp) e Álvaro Okura.

CoordenaçãoPaulo Endo (IP USP e IEA), Flávia Schilling (FE USP e IEA) e José Sérgio Fonseca de Carvalho (FE USP e IEA)

Expositoras

Marlon  Weichert

Debatedor

Alessandra Lopes

Inscrições

Evento gratuito, aberto ao público. Com inscrição prévia

Capacidade da sala: 50 lugares

Onde estamos

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Dirigentes Culturais: Dos Anos 50 à Atualidade

por Sandra Sedini - publicado 07/07/2017 10:45 - última modificação 05/09/2017 16:29

Detalhes do evento

Quando

de 26/09/2017 - 14:30
a 26/09/2017 - 17:30

Onde

Espaço Multiuso do Museu de Arte Contemporânea da USP, Avenida Pedro Álvares Cabral, 1301, Ibirapuera, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

Este encontro se dedica a importantes dirigentes culturais no pós-guerra. Este primeiro evento desta parte do ciclo, terá o músico pernambucano Antônio Nóbrega e a artista plástica e arte-educadora paulista Regina Silveira. Nóbrega irá discorrer sobre o perfil de Ariano Suassuna como gestor cultural, enquanto Regina falará sobre Walter Zanini, primeiro diretor do Museu de Arte Contemporânea (MAC) da USP.

Ciclo "Cultura, Institucionalidade e Gestão"

Esta programação consiste em 4 etapas que pretendem fornecer um panorama crítico, atual e histórico da formação de uma estrutura cultural na cidade de São Paulo, pelo ponto de vista da gestão cultural em instituições e terá como foco

1) as relações entre arte, cultura e política,

2) o perfil de instituições culturais que fazem diferença na estrutura cultural de uma cidade como São Paulo,

3) a contribuição de certos gestores culturais na consolidação de um campo cultural no Brasil e

4) o papel das exposições na representação cultural de um Brasil contemporâneo.

Por meio de uma dinâmica discursiva e reflexiva em interação direta com importantes equipamentos culturais da cidade e seus principais agentes, a programação  pretende assim oferecer um amplo e crítico panorama da situação da cultura no Brasil pelo viés da gestão cultural em instituições e organismos de representação cultural.

Debatedores

Antonio Nobrega

Regina Silveira

Moderador

Martin Grossmann

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição.

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

A Pesquisa em Anticorpos Monoclonais no Brasil: O que Está Direcionando a Produção de Conhecimento?

por Sandra Sedini - publicado 24/08/2017 16:55 - última modificação 19/09/2017 11:50

Detalhes do evento

Quando

de 27/09/2017 - 09:00
a 27/09/2017 - 12:00

Onde

Sala de Eventos do IEA, Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5° andar, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

Ao longo dos últimos trinta anos, diversos países implantaram políticas públicas e outros mecanismos de coordenação institucional em pesquisa em Saúde para fazer avançar a produção científica, o desenvolvimento tecnológico e a atividade de inovação para os chamados Anticorpos Monoclonais (mAbs). Esse tipo de medicamento imunobiológico, sintetizado a partir de organismos vivos e mesmo células humanas, é visto como a grande promessa da biomedicina contemporânea, sobretudo por sua utilidade em terapias contra vários tipos de cânceres, artrite reumatoide e doenças neuro-degenerativas.

Para ter uma dimensão da relevância desses produtos na política nacional de saúde brasileira, cerca de 60% dos recursos destinados à aquisição de medicamentos essenciais do Sistema Único de Saúde (SUS) é comprometida com a compra desse tipo biofármaco, de acordo com dados do Ministério da Saúde. Além disso, o Brasil é hoje o terceiro maior mercado desse medicamento no mundo, atrás apenas dos EUA e da China.

Sem dúvida, esses fatores são grandes motivadores para a produção industrial e para o desenvolvimento tecnológico desses novos medicamentos, que são alvo de políticas públicas de ciência, tecnologia e inovação robustas em países. Atualmente, existem cerca de 50 mAbs aprovados para a comercialização na Europa e nos EUA, com a expectativa de movimentarem uma economia de cerca de US$ 138 bi em 2020 (Ecker et al, 2016).

O objetivo dessa apresentação é verificar as características da produção de conhecimento em mAbs no Brasil. Com isso, a exposição das informações visa traçar um panorama da relação existente entre a produção de conhecimento e o arcabouço de político-institucional que sustenta a agenda de pesquisa sobre mAbs. A análise está ancorada no levantamento de uma base de dados quantitativa sobre as publicações científicas, patentes e Clinical Trials, complementadas pela aplicação de 27 entrevistas com atores selecionados dos distintos grupos envolvidos com o tema no Brasil.

Os resultados parciais da pesquisa em andamento mostram que a área cresceu no Brasil a despeito da ausência de políticas públicas dirigidas para o tema, e que, segundo os atores entrevistados, é um desafio inserir os sistemas nacionais de C&T nessa área. Isso se deve ao fato de tratar-se de uma área que envolve investimentos públicos e privados de altíssimo custo; com atividade de P&D pautada pela incerteza e de longo prazo (12 a 14 anos, em média) e cuja produção de conhecimento é controlada por um pequeno grupo de institutos de pesquisa estrangeiros, com projetos em “pipeline” financiados via National Institutes of Health dos EUA e por grandes players da indústria farmacêutica multinacional. Portanto, há que se refletir sobre o caráter transnacional e transversal das políticas de C&T e de inovação em saúde contemporâneas.

Expositor

Renan Leonel

Coordenador

Mario Sergio Salerno

Inscrições

Evento público e gratuito | Com inscrição prévia

Capacidade da sala: 55 lugares

Onde estamos

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (sexto seminário)

por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 24/08/2017 17:40

Detalhes do evento

Quando

de 28/09/2017 - 14:00
a 28/09/2017 - 17:00

Onde

Instituto de Psicologia, Bloco F, sala 36, Butantã São Paulo

Nome do Contato

Adicionar evento ao calendário

O Pensamento e o Método Lógico: a Crítica entre Verdades e Falsidades e o Cotejamento com os Fatos

A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

Expositora:

Eda Tassara

Material de Referência:

ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição

Programação

17/08

O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

24/08

Tecnologia científica: tradição e conhecimento

31/08

A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

14/09

O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

21/09

Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

28/09

O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

05/10

A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

19/10

Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

26/10

Utopias versus distopias na luta política pelo futuro histórico

09/11

Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

16/11

A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

23/11

Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

30/11

Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

O Patrimônio Histórico Edificado com Terra no Estado de São Paulo

por Cláudia Regina - publicado 14/09/2017 16:06 - última modificação 14/09/2017 16:06

Detalhes do evento

Quando

de 29/09/2017 - 14:00
a 29/09/2017 - 17:00

Onde

Sala de Eventos do IEA, Rua Praça do Relógio, 109, bloco K, 5º andar, Cidade Universitária, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

(11) 3091-1686

Adicionar evento ao calendário

As edificações da arquitetura em terra e as técnicas tradicionais de taipa de pilão, pau-a-pique e adobe, constituem um excepcional conjunto de bens da cultura material no Brasil e, em particular, no Estado de São Paulo. Esse patrimônio corre o risco de desaparecer e precisa urgentemente ser amparado por adequadas estratégias de preservação. Essas, por sua vez, demandam várias ações de pesquisa que vão desde a identificação e mapeamento dos remanescentes das edificações históricas construídas com essas técnicas entre os séculos XVI e XIX (não sempre catalogadas ou protegidas pelos órgãos de patrimônio), até uma profunda caracterização dos materiais e dos mecanismos de deterioração física, química e biológica em ato ou na iminência de acontecer, numa abordagem necessariamente interdisciplinar.

No âmbito do programa Ano Sabático 2017, o Instituto de Estudos Avançados da USP, sob a coordenação do Prof. Andrea Cavicchioli (EACH-USP) está desenvolvendo o projeto cujo objetivo é sistematizar as informações sobre a presença de edificações em terra no estado de São Paulo, gerar documentos cartográficos sobre sua concentração e distribuição geográfica e construir um banco de amostras de materiais de alvenaria (taipoteca) representativos do conjunto de edificações das diversas épocas e dos distintos locais de construção. No seminário, que contará com a presença de pesquisadores da USP, UNESP e do CONICET (Argentina) das mais diversas áreas do conhecimento, se fará o ponto das pesquisas e serão discutidas as perspectivas futuras do projeto e do patrimônio edificado com terra, inclusive no âmbito de iniciativas de redes nacionais e internacionais de cooperação.

Inscrições

Evento público, gratuito e com inscrição prévia

Público online, não há necessidade de inscrição

Organização

Instituto de Estudos Avançados/USP

Programação

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Marcelo Brodsky: Imagens e Arquivos da Violência

por Sandra Sedini - publicado 02/08/2017 17:20 - última modificação 25/08/2017 17:21

Detalhes do evento

Quando

de 03/10/2017 - 14:00
a 03/10/2017 - 17:00

Onde

Antiga Sala do Conselho Universitário, Rua da Praça do Relógio, 109, térreo, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

Mesa com o artista e fotógrafo argentino Marcelo Brodsky: Primeiro Encontro do Projeto Hiatus

Marcelo Brodsky é reconhecidamente um dos principais artistas latino-americanos da atualidade. Argentino, iniciou sua carreira como fotógrafo, mas em seu percurso artístico, sempre envolvido com o ativismo pela memória e pelos direitos humanos, tornou-se um artista multimídia que tem apresentado seu trabalho em diversos países, tendo ministrado palestras em  algumas das principais Universidades norte-americanas. Seu papel como um dos iniciadores do Parque de la Memoria de Buenos Aires deve ser posto ao lado do impacto de suas obras, como o internacionalmente famoso ensaio fotográfico “Buena Memoria”. Brodsky propõe-se a uma conversa no IEA-USP na qual apresentará tanto seus trabalhos, intervenções e obras, como também discutirá o papel das imagens como agenciadoras de uma memória ativa na contemporaneidade. A ação política na sua relação com o campo das imagens tornou-se um tema essencial em um mundo que vive cotidianamente uma querela na qual a violência moral e física não pode mais ser dissociada do impacto das imagens. Como se tocar o coletivo corpóreo com imagens, será um dos tópicos que guiarão nossas conversas nessa tarde. Esse encontro abre o Projeto Hiatus que inclui uma exposição no Memorial da Resistência (na Estação Pinacoteca) que será inaugurada em 21/10 e contará, além de Marcelo Brodsky, com a presença dos artistas: Fulvia Molina, Leila Danziger, Horst Hoheisel, Andreas Knitz, Jaime Lauriano, Clara Ianni e Rodrigo Yanes. No dia 23/10 outro encontro no IEA reunirá artistas envolvidos na exposição.

Expositor

Marcelo Brodsky

Comentaristas

Agnaldo Farias (FAU USP)

Priscila Arantes (Paço das Artes e PUC SP)

Marcio Seligmann-Silva (IEL UNICAMP)

Inscrições

Evento público e gratuito |  Com inscrição prévia

Capacidade da sala: 120 lugares

Onde estamos

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Administração Pública Municipal: Um Debate Sobre Eficiência, Gestão e Inteligência de Dados

por Sandra Sedini - publicado 04/09/2017 15:35 - última modificação 04/09/2017 15:52

Detalhes do evento

Quando

de 04/10/2017 - 09:00
a 04/10/2017 - 12:30

Onde

Rua da Praça do Relógio, 109, térreo, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

FALE CONOSCO (VEJA AO LADO)

Adicionar evento ao calendário

Iniciada em 2015, a série Strategic Workshops já promoveu 26 encontros em áreas estratégicas e de reconhecida excelência na Universidade de São Paulo. O evento reúne pesquisadores da USP em torno de temas transdisciplinares e o objetivo é mapear expertises e promover novos arranjos de pesquisas entre os próprios pesquisadores da Universidade.

Aguardando Informações

Inscrições

Evento público e gratuito | Com inscrição prévia

Não há necessidade de inscrição para assistir à transmissão on-line.

Capacidade da sala: 120 lugares

Onde estamos

 

FALE CONOSCO

Programação

Aguardando informações

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (sétimo seminário)

por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 24/08/2017 17:43

Detalhes do evento

Quando

de 05/10/2017 - 14:00
a 05/10/2017 - 17:00

Onde

Instituto de Psicologia, Bloco F, sala 36, Butantã São Paulo

Nome do Contato

Adicionar evento ao calendário

A Crítica Metódica e seus Procedimentos: da Geometria e Aritmética no Cálculo e Descrição de Fenômenos à Matematização da Natureza

A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

Expositora:

Eda Tassara

Material de Referência:

ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição

Programação

17/08

O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

24/08

Tecnologia científica: tradição e conhecimento

31/08

A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

14/09

O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

21/09

Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

28/09

O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

05/10

A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

19/10

Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

26/10

Utopias versus distopias na luta política pelo futuro histórico

09/11

Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

16/11

A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

23/11

Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

30/11

Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

Desafios Ecológicos às Ciências: Perspectivas Antropológicas Contemporâneas ou Reflexões sobre um Novo e Urgente Descentramento do Humano

por Cláudia Regina - publicado 14/08/2017 13:50 - última modificação 06/09/2017 13:38

Detalhes do evento

Quando

de 05/10/2017 - 14:30
a 05/10/2017 - 17:00

Onde

Sala de Eventos do IEA, Rua Praça do Relógio, 109, bl. K, 5º andar, Cidade Universitária, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-186

Adicionar evento ao calendário

Refletir sobre problemas de antropologia contemporânea ou da antropologia no contemporâneo visando a re-situar o objeto da disciplina (o humano e suas relações) face às crescentes ameaças ecológicas do presente e do futuro desse presente.

Tais problemas – graves ameaças à biodiversidade e à cobertura vegetal, aquecimento atmosférico, acidificação oceânica, desertificação de paisagens, segurança alimentar etc. – parecem claramente promover um novo descentramento do humano em relação ao cosmos, o que implica repor a pergunta sobre quem ou o quê mesmo descrevemos em nossas etnografias.

A realidade humana será a realidade do humano? Quem mesmo constrói o real quando dizemos, sem maiores pudores, que a realidade é construída? O desafio é o de encarar o fundamento inerentemente antropocêntrico da antropologia (como, de resto, das ciências sociais e das humanidades) como condição para engendrarmos descrições mais realistas e robustas que respondam a esse descentramento e abram passagem a abordagens que nos permitam reconhecer novas coalizões políticas (senão melhor, cosmopolíticas) que apontem para continuidades entre humanos e seus mundos, conforme parte importante do pensamento contemporâneo indica como horizonte possível aí mesmo emergente.

Inscrições

Evento público, gratuito, com inscrição prévia

Público online não há necessidade de inscrição

Organização

Instituto de Estudos Avançados/USP

Programação

Expositor:

Stelio Marras (IEB e IEA/USP)

Comentarista/Debatedor:

(aguardando informação)

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Qualidade da Educação Básica: O que realmente significa isso?

por Heloisa Marcondes - publicado 20/09/2017 15:55 - última modificação 20/09/2017 16:13

Detalhes do evento

Quando

de 09/10/2017 - 08:00
a 09/10/2017 - 17:00

Onde

Antiga Sala do Conselho Universitário, Rua da Praça do Relógio, 109, térreo, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

3091 1686

Adicionar evento ao calendário

Segundo seminário do Grupo de Estudos "Educação Básica Pública Brasileira: Dificuldades Aparentes, Desafios Reais", está série de cinco a serem realizados ao longo do segundo semestre do ano em curso, visando promover reflexões e fundamentar ações para o enfrentamento de problemas estruturais da Educação Básica Pública Brasileira. Neste encontro, será debatida a qualidade e os principais desafios da Educação Pública.

Outros temas que serão abordados nos seminários seguintes:

  • Experiências Inovadoras
  • Tecnologias na Educação
  • Documentos Reguladores (Planos, Currículos, Base Nacional Comum)

Inscrições

Evento público e gratuito | Com inscrição prévia

Organização

Grupo de Estudos Educação Básica Pública Brasileira: Dificuldades Aparentes, Desafios Reais

Programação

9h

Abertura

9h45

Mesa-Redonda

Guiomar Namo de Mello

Debatedor: Luís Carlos de Menezes

12h

Intervalo

14h

Mesa-Redonda

José Renato Nalini (Secretário Estadual de Educação)

Debatedor: Nilson Machado

 

    15h30 - 16h

    Coffee Break

    16h

    Debates

    Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

    Democracies in crisis? European and Latin American experiences

    por Cláudia Regina - publicado 18/09/2017 16:20 - última modificação 19/09/2017 10:45

    Detalhes do evento

    Quando

    de 10/10/2017 - 19:00
    a 11/10/2017 - 19:00

    Onde

    Vide Programação

    Nome do Contato

    Telefone do Contato

    11 3091-1686

    Adicionar evento ao calendário

    A percepção de que a democracia está em crise é generalizada - não só no Brasil, mas também em outros países da América Latina e da Europa. As democracias enfrentam desafios que potencialmente prejudicam a legitimidade das instituições democráticas e às vezes até ameaçam sua existência. Essas turbulências não apenas preocupam as democracias ainda em um processo de consolidação - muitas das quais repetidas vezes foram abaladas por ameaças golpistas, crises constitucionais, insatisfações públicas e protestos em massa -, mas também afetam as democracias que foram consideradas consolidadas.

     

    Esta conferência pretende estudar o conceito de crise da democracia e explorará variantes e causas de crises em diferentes contextos, incluindo Brasil, América Latina e Europa. Organizado pela Cátedra Martius de Estudos Alemães e Europeus em cooperação com o Grupo de Pesquisa Qualidade da Democracia, reúne destacados especialistas da Europa e das Américas.

    Inscrições

    10 e 11/10/2017, evento público, gratuito, com inscrição prévia

    Haverá tradução simultânea no dia 11/10/2017

    Público online não há necessidade de inscrição

    Programação

    Terça-Feira, 10/10/2017 (Auditorio Goethe Institut, Rua Lisboa, 974, Pinheiros, São Paulo)

    19:00-21:00

    Talkshow:

    Democracias em crise? Experiências na Europa e América Latina

    Jan-Werner Müller (Department of Politics, Princeton University)

    Aníbal Pérez-Liñán (University of Pittsburgh)

    Suely Rolnik (Catholic University of São Paulo - PUC-SP)

    Lourdes Sola (University of São Paulo - USP)

    Chair: Jens Glüsing (Foreign correspondent for DER SPIEGEL, Rio de Janeiro)

    21:00

    Reception

     

    Quarta-Feira, 11/10/17 (Local: Sala de Eventos do Instituto de Estudos Avançados, Rua Praça do Relógio, 109, bl. K, 5º andar, Cidade Universitária, São Paulo) (Haverá tradução simultânea)

    9:00-9:15

    Welcome and introduction

    Brigitte Weiffen (Martius Chair German and European Studies  - DAAD) and José Álvaro Moisés (Institute of Advanced Studies, University of São Paulo)

    9:15-10:30

    Panel 1: Definition and theory: What is a crisis of democracy?

    Wolfgang Merkel (Research Unit “Democracy and Democratization, WZB Berlin Social Science Center)

    Conceptualizing crisis of democracy

    Brigitte Weiffen (Martius Chair German and European Studies  -DAAD, University of São Paulo)

    Crises of democracy as critical junctures?

    Chair: Adrian Gurza Lavalle (Department of Political Science, University of São Paulo)

    10:30-11:00

    Coffee Break

    11:00-12:30

    Panel 2: Variants and Causes of Crisis: The Brazilian Experience

    José Álvaro Moisés (Institute of Advanced Studies, University of São Paulo)

    Brazil, the Unfinished Democracy

    Maria Hermínia Tavares de Almeida (Institute of International Relations, University of São Paulo)

    The Streets, the Public in the Presidential Crisis in Brazil

    Brasilio Sallum Jr. (Department of Sociology, University of São Paulo)

    Current Threats to Democracy

    Chair: Fernando Limongi (Department of Political Science, University of São Paulo)

    12:30-14:00

    Lunch

     

    14:00-15:30

    Panel 3: Variants and Causes of Crisis: Europe

    Jan-Werner Müller (Department of Politics, Princeton University)

    Is There Really a Crisis of Democratic Representation Today?

    Bettina de Souza Guilherme (Jean Monnet Network

    “Crisis-Equity-Democracy for Europe and Latin America”)

    ‘No nos Representan’ - Causes, Impacts and Reactions to the Crisis of Democratic Representation in the European Union

    Karabekir Akkoyunlu (Centre for Southeast European Studies, University of Graz)

    Existential Insecurity and Turkey’s Exit from Democracy

     

    Chair: Lourdes Sola (Department of Political Science, University of São Paulo)

    15:30-16:00

    Coffee Break

    16:00-17:15

    Panel 4: Variants and Causes of Crisis: Latin America

    Aníbal Pérez-Liñán (Department of Political Science, University of Pittsburgh)

    Political Radicalization and Presidential Instability in Latin America

    Juliano Zaiden Benvindo (Faculty of Law, University of Brasília)

    Conceptual Constitutional Change in Latin America

    Chair: Lorena Barberia (Department of Political Science,University of São Paulo)

    17:15-18:00

    Wrap-up and Next Steps

    Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo (dia 11/10/17)

    Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (oitavo seminário)

    por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 24/08/2017 17:44

    Detalhes do evento

    Quando

    de 19/10/2017 - 14:00
    a 19/10/2017 - 17:00

    Onde

    Instituto de Psicologia, Bloco F, sala 36, Butantã São Paulo

    Nome do Contato

    Adicionar evento ao calendário

    Interfaces Conhecimento, Ciência e Sociedade: a Emergência da Engenharia e o Encontro da Invenção com a Imaginação Utópica na Modernidade

    A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

    Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

    Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

    Expositora:

    Eda Tassara

    Material de Referência:

    ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
    PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
    STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
    CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
    MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
    SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
    VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

    Inscrições

    Evento público e gratuito | Sem inscrição

    Programação

    17/08

    O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

    24/08

    Tecnologia científica: tradição e conhecimento

    31/08

    A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

    14/09

    O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

    21/09

    Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

    28/09

    O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

    05/10

    A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

    19/10

    Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

    26/10

    Utopias versus distopias na luta política pelo futuro histórico

    09/11

    Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

    16/11

    A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

    23/11

    Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

    30/11

    Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

    Hiatus: a Memória da Violência Ditatorial na América Latina

    por Sandra Sedini - publicado 23/08/2017 15:50 - última modificação 25/08/2017 17:29

    Detalhes do evento

    Quando

    de 21/10/2017 - 11:00
    a 13/03/2018 - 22:00

    Onde

    Memorial da Resistência de São Paulo, Largo General Osório, 66 - Santa Ifigênia, São Paulo

    Nome do Contato

    Telefone do Contato

    11 3091-1678

    Adicionar evento ao calendário

    A proposta dessa exposição, que acontecerá no Memorial de Resistência de São Paulo de 21/10/17 a 13/03/18, é refletir sobre a memória das ditaduras na América Latina, com destaque para o Brasil, a Argentina e o Chile. Um dos vetores a balizar essa exposição será o papel cumprido pelos relatórios das Comissões de Verdade nesse trabalho de recordação. Sociedades pós-ditatoriais são espaços de negociação e de conflitos entre memórias que se decantam e perfilam em função de questões privadas, comunitárias (pensemos nos grupos de ex-guerrilheiros, de parentes de desaparecidos etc.) sociais e até internacionais. Na América Latina essas memórias foram e são ainda negociadas de diferentes modos e em diferentes intensidades. Um país como a Argentina tem uma alta densidade e presença das marcas da ditadura em seu território e em sua paisagem política e histórica. Na outra ponta, no Brasil de um modo geral resiste-se muito mais a enfrentar a tarefa de elaborar essa memória, buscar a verdade e a justiça, estabelecer os marcos e marcas da recordação desse passado. Sua Comissão Nacional da Verdade demorou mais de um quarto de século para ser estabelecida em 2011. Todo ato de recordação se dá no presente e esse presente determina o que e como nos lembramos. Esse ponto será fundamental nesta exposição. Se na Argentina e no Chile as memórias das suas ditaduras se tornaram um elemento importante na autoimagem daqueles países e na produção de novas políticas, no Brasil o recalcamento da violência ditatorial se tornou mais um caso de memoricídio da violência que sempre caracterizou a nossa historia, desde seu período colonial.

    O passado ditatorial pode ser percebido como um “hiato”, ou seja, uma “fenda”, uma “falta” ou “interrupção”, na medida em que percebemos nele uma excepcionalidade que o destaca da história e de sua continuidade. Ao propormos uma curadoria inspirada nesse termo partimos desse pressuposto: ou seja, devemos encarar esse elemento de exceção que marcou o momento da ditadura. Essa exceção era caraterizada pela existência de um Estado autoritário, que utilizou-se de táticas terroristas, suspendendo o estado de direito, perseguindo e eliminando a sua população. Aceitar essa excepcionalidade é importante para pensarmos também na excepcionalidade dessa memória do mal. Por outro lado, sobretudo na América Latina, essa excepcionalidade não pode ocultar o fato da referida tradição de violência no Brasil e que também existe em outros países desse continente. Trata-se de uma violência advinda do Estado e de seus representantes e que também caracteriza a relação ente os diversos grupos sociais. Ou seja, temos que tomar o cuidado de refletir sobre a excepcionalidade dos momentos de ditadura, mas sem com isso apagar os elementos de continuidade da violência, por exemplo, da prática de tortura e de desaparecimento de parte da população nas mãos do aparelho de Estado.

    O “hiato”, portanto, não está rodeado de uma jardim edênico, ou seria um deserto no meio de uma frondosa floresta de direitos humanos, antes esse “hiato” é um momento de aprofundamento das tensões sociais que levaram ao acirramento da violência de Estado. Encarar desse modo essas ditaduras é importante para termos em mente que a memória desses “hiatos” deve servir de crítica a cada presente: todo ato de memória da ditadura deve ser também um tal momento de reflexão crítica. Temos que atentar para a excepcionalidade radical daqueles momentos, para suas características idiossincráticas, mas ao mesmo tempo permanecer atentos para o fato de que os conflitos sociais que estão na base daqueles momentos de crise não terem tido ainda uma resposta digna. O fascismo respondeu às demandas sociais com violência gerando as ditaduras; não aconteceu ainda uma resposta autêntica e à altura daquelas demandas, ou seja: não houve a verdadeira transformação social que permitiria uma verdadeira catarse da violência sofrida nos momentos de “hiato”.

    A Tradução Curatorial dessa Paisagem Histórica

    Diante da tarefa de repensar hoje os “hiatos” ditatoriais da América Latina, esta exposição promove o encontro de oito artistas que vêm se dedicando de modo original e expressivo ao tema da memória do mal nos séculos XX e XXI: Andreas Knitz, Clara Ianni, Fulvia Molina, Horst Hoheisel, Jaime Lauriano, Leila Danziger, Marcelo Brodsky e Rodrigo Yanes.

    Márcio Seligmann-Silva (curador da exposição)

    Programação

    21 de outubro

    11h Abertura

    14h Sábado Resistente (mesa de debates)

    Como chegar

    Arte como Memória do Mal e Espaço de Ação

    por Sandra Sedini - publicado 23/08/2017 16:30 - última modificação 25/08/2017 17:19

    Detalhes do evento

    Quando

    de 23/10/2017 - 10:00
    a 23/10/2017 - 18:00

    Onde

    Sla de Eventos do IEA, Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5° andar, Butantã, São Paulo

    Nome do Contato

    Telefone do Contato

    11 3091-1678

    Adicionar evento ao calendário

    O encontro “Arte como Memória do Mal e Espaço de Ação” é um desdobramento da exposição “Hiatus: A Memória da Violência Ditatorial na América Latina” que acontece no Memorial da Resistência/Estação Pinacoteca entre 21 de outubro de 2017 e 13 de março de 2018. No contexto do IEA-USP esse encontro está integrado às atividades do Grupo de Pesquisa Direitos Humanos, Democracia, Política e Memória do IEA-USP.

    A proposta desse colóquio é juntar os artistas que estarão na exposição no Memorial da Resistência com pesquisadores do tema da inscrição simbólico-artística das ditaduras na América Latina. Todos os artistas dessa exposição têm se dedicado a trabalhar o tema da memória do mal em suas obras. Eles representam um importante filão de produtores de cultura que nas últimas duas décadas se voltaram para temas sociais de modo novo e criativo, para além da chave tradicional do realismo ou da representação objetificadora do “outro”. Antes, suas obras constituem dispositivos que desencadeiam uma releitura crítica da realidade e incidem de modo aberto e efetivo nos debates acerca da memória – e muitas vezes contra os assim chamados “memoricidas” e normalizadores ou naturalizadores da violência.

    Como a arte se relaciona com a violência, como apresentar a dor sem resvalar para o gozo do sofrimento, qual o alcance dessa arte crítica e mnemônica, serão algumas das questões que serão debatidas. No caso específico do Brasil, a CNV de 2012-14 destacou uma série de crimes ocorridos no período da ditadura de 1964-85, mas, como é notório, ela ficou impedida de aprofundar suas pesquisas devido a uma série de fatores, sobretudo de ordem política.

    Em que medida os artistas podem servir de agentes na luta para se aprofundar essas pesquisas? Como eles podem se tornar verdadeiros agentes de um combate histórico pela verdade? As artes, que desde as vanguardas históricas se tornaram agentes de provocação e de ataque ao establishment, voltam-se agora especificamente para essa luta pela memória e pela verdade: pelo direito de conhecimento e inscrição da violência em uma sociedade que se acostumou a esquecer de seus crimes sociais, da escravidão até nossos dias.

    Inscrições

    Evento público e gratuito |  Com inscrição prévia

    Capacidade da sala: 55 lugares

    Onde estamos

    Programação

    10h

    Moderadora: Flavia Schilling (FEUSP/GPDH/IEA-USP)

    Horst Hoheisel (artista, Alemanha)

    Andreas Knitz (artista, Alemanha)

    Rodrigo Yanes (artista, Chile/Espanha)

    Márcio Seligmann-Silva (IEL-UNICAMP/GPDH-IEA-USP)

    12h

    Intervalo para Almoço

    14h

    Moderador: Andrei Koerner (IFCH-UNICAMP/GPDH-IEA-USP)

    Leila Danziger (artista/ UERJ)

    Fulvia Molina (artista, São Paulo)

    Paulo Endo (IPUSP/GPDH/IEA-USP)

    15h30

    Intervalo

    15h45

    Moderadora: Wânia Pasinato (GPDH/IEA-USP)

    Jaime Lauriano (artista, São Paulo)

    Clara Ianni (Artista, São Paulo)

    Virginia Vecchioli (antropóloga, UFSM)

    17h15

    Intervalo

    17h30

    Encerramento com apresentação musical com violão e flauta: Duo Arthur Endo e Felipe Santos

    Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

    Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (nono seminário)

    por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 24/08/2017 17:45

    Detalhes do evento

    Quando

    de 26/10/2017 - 14:00
    a 26/10/2017 - 17:00

    Onde

    Instituto de Psicologia, Bloco F, sala 36, Butantã São Paulo

    Nome do Contato

    Adicionar evento ao calendário

    Utopias versus Distopias na Luta Política pelo Futuro Histórico

    A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

    Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

    Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

    Expositora:

    Eda Tassara

    Material de Referência:

    ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
    PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
    STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
    CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
    MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
    SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
    VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

    Inscrições

    Evento público e gratuito | Sem inscrição

    Programação

    17/08

    O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

    24/08

    Tecnologia científica: tradição e conhecimento

    31/08

    A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

    14/09

    O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

    21/09

    Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

    28/09

    O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

    05/10

    A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

    19/10

    Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

    26/10

    Utopias versus distopias na luta política pelo futuro histórico

    09/11

    Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

    16/11

    A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

    23/11

    Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

    30/11

    Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

    Violência e Território: Implicações Profissionais

    por Sandra Sedini - publicado 06/09/2017 17:50 - última modificação 11/09/2017 13:48

    Detalhes do evento

    Quando

    de 27/10/2017 - 08:00
    a 27/10/2017 - 16:30

    Onde

    Sala de Eventos do IEA, Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5° andar, Butantã, São Paulo

    Nome do Contato

    Telefone do Contato

    11 3091-1678

    Adicionar evento ao calendário

    Oficina “Violência e Território: implicações profissionais

    Olhar, abraçar, ouvir, falar, dar as mãos, caminhar, são possibilidades que o ser humano vivência, pela experiência que faz na própria vida. A violência se impõe, nos espaços socialmente construídos, distanciando os sujeitos, recolocando-os em lugares de subalternidade e alienação de suas potencialidades. Ela se constitui na primeira esfera, com a estrutura sócio histórica de violação de direitos, se desdobrando na particularidade da vida pública e privada dos indivíduos. As variadas formas de violências, interrompem ou desconstroem o que temos de mais humano: a capacidade de estabelecer relações sociais e familiares, considerando o outro em sua unicidade. O convite para agir em contextos violentos, necessariamente evoca o caminho inverso, de retorno, àquilo que nos torna humanos. A troca, o debate, e a construção, pelo partilhar de experiências coletivas, serão chaves de leitura e enfrentamento. Esta roda de conversa propõe, reunir profissionais de várias áreas, que atuam com esta temática no cotidiano e na execução das políticas públicas. Este encontro é um chamamento para olharmos, abraçarmos e vislumbrarmos novas possibilidades de reflexão-ação, na busca por caminhos, que de mãos dadas podemos trilhar.

    Equipe de Serviço Social do Centro de Recuperação e Educação Nutricional – CREN - 2017

    Inscrições

    Evento público e gratuito | Para convidados | Sem transmissão.

    Programação

    8h00

    Recepção

    8h15

    A Escuta a partir do território: a violência estrutural e seus impactos na vida intrafamiliar

    Alessandra Medeiros

    9h15

    Novos caminhos: a arte como instrumento para a cultura de paz

    José Eduardo Ferreira Santos

    10h15

    Intervalo

    10h30

    Roda de Conversa

    12h00

    Intervalo para almoço

    13h00

    Falando sobre família: As possíveis práticas profissionais no enfrentamento da violência física, psicológica e sexual no cotidiano familiar e institucional

    Sandra Paulino

    14h00

    Compartilhamento de casos

    Equipe do CREN – Semi, Ambulatório e Comunidade

    16h00

    Encerramento

    Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

    Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (décimo seminário)

    por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 24/08/2017 17:46

    Detalhes do evento

    Quando

    de 09/11/2017 - 14:00
    a 09/11/2017 - 17:00

    Onde

    Instituto de Psicologia, Bloco F, sala 36, Butantã São Paulo

    Nome do Contato

    Adicionar evento ao calendário

    Civilização e Cultura: Globalização, Mundialização e seus Confrontos no Âmago Psicossocial do Político

    A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

    Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

    Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

    Expositora:

    Eda Tassara

    Material de Referência:

    ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
    PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
    STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
    CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
    MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
    SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
    VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

    Inscrições

    Evento público e gratuito | Sem inscrição

    Programação

    17/08

    O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

    24/08

    Tecnologia científica: tradição e conhecimento

    31/08

    A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

    14/09

    O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

    21/09

    Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

    28/09

    O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

    05/10

    A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

    19/10

    Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

    26/10

    versus distopias na luta política pelo futuro histórico

    09/11

    Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

    16/11

    A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

    23/11

    Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

    30/11

    Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

    Simpósio USP de História da Ciência e da Tecnologia: Construindo Diálogos Interdisciplinares

    por Cláudia Regina - publicado 22/06/2017 16:15 - última modificação 11/09/2017 08:02

    Detalhes do evento

    Quando

    de 13/11/2017 - 08:00
    a 14/11/2017 - 17:00

    Onde

    Anfiteatro Nicolau Sevcenko, prédio da História e Geografia da FFLCH/USP, Av. Prof. Lineu Prestes, 338, Cidade Universitária, São Paulo

    Nome do Contato

    Telefone do Contato

    11 3091-1686

    Adicionar evento ao calendário

    Ao passar dos anos, a área de História da Ciência adquiriu grande multiplicidade, admitindo diferentes olhares teóricos, perspectivas metodológicas, fontes e objetos de pesquisa. Em relação a estes últimos, a análise das ciências envolve seu desenvolvimento teórico-conceitual, mas também suas práticas instrumentais de pesquisa, as instituições, as relações ciência e sociedade e outros elementos que envolvem a compreensão da ciência como atividade socialmente localizada. A História da Ciência inclui as mais diversas áreas, a Matemática, as Ciências Naturais, as Engenharias, a Arquitetura, a Medicina, a Psicologia, as Ciências Humanas, isto é, um conjunto amplo de conhecimentos. Ela reflete a natureza das universidades, isto é, um espaço que se enriquece com a diversidade de saberes que, ao mesmo tempo em que se individualizam pelas suas características epistemológicas, unificam-se por compartilhar seus contextos de produção. Pesquisadores com as mais diversas formações iniciais se dedicam à História da Ciência. Além disso, ela não apenas se realiza em departamentos ou institutos de História, mas também é desenvolvida em espaços de pesquisa com os mais diferentes fins. Na Universidade de São Paulo encontramos realidade semelhante. Em suas diferentes unidades, encontramos docentes e discentes com interesse e dedicação a esta área do conhecimento. A realização de trabalhos em História da Ciência nas diferentes unidades da USP é algo a ser preservado e que reflete a natureza desta área do conhecimento. Contudo, muitas vezes, as pesquisas passam a ser feitas de modo isolado, sem o diálogo com trabalhos semelhantes. Buscando contribuir para a superação dessa condição, o Centro Interunidades de História da Ciência da USP (CHC-USP) convida toda a comunidade USP para este simpósio que pretende promover um espaço rico para a promoção de debates e reflexões sobre temas atuais desta área de pesquisa.

    Inscrições e Comunicações Orais

    O evento é gratuito e contará com pesquisadores de referência convidados para palestras e mesas-redondas. Estas sessões são abertas ao público geral, mediante inscrição na página do IEA até o dia 3 de novembro.

    Podem enviar propostas para as sessões de Comunicação Oral professores, pesquisadores e pós-graduandos da USP, do Instituto Butantan, do IPEN e do  IPT. Para participar, é necessário enviar proposta até 28 de setembro de 2017 contendo título, autores e vínculos institucionais, resumo de até 350 palavras e de 3 a 5 palavras-chave.

    As propostas serão avaliadas pelo comitê científico do evento e por pareceristas convidados.

    Os trabalhos aceitos serão organizados dentro dos seguintes tópicos historiográficos:

    • Ideias, instituições e lugares ligados ao conhecimento científico e técnico
    • Comunicação e divulgação do saber científico e técnico
    • Controvérsias científicas e técnicas
    • Relações entre ciências e técnicas
    • Instrumentos científicos e suas aplicações
    • Políticas tecno-científicas e o papel social dos cientistas e técnicos
    • Fontes, documentação e memória historiográfica da ciência e técnica
    • Contribuições brasileiras ao desenvolvimento científico e técnico
    • A História da Ciência e suas contribuições para a Educação Básica

     

    3) Datas

    • 28/09 – Prazo máximo para o envio de propostas para comunicação oral
    • 18/10 – Resultado das avaliações
    • 13 e 14/11 – Realização do Evento

    Inscrições

    Para assistir às sessões presencialmente, inscreva-se aqui até 3 de novembro de 2017. Não há necessidade de inscrição para assistir à transmissão on-line.

    Para submissão de propostas, exclusivo para professores, pesquisadores e pós-graduandos da USP, do Instituto Butantan, do IPEN e do IPT, inscreva-se aqui até 28 de setembro de 2017.

    Observação

    A data de submissão de propostas foi alterada de 28 de agosto para 28 de setembro de 2017 pela 2ª Circular emitida pela organização do encontro.

    Organização

    O evento é organizado pelo Centro Interunidades de História da Ciência da USP em conjunto com o Instituto de Estudos Avançados da USP.

    Comitê Executivo

    Ana Torrejais (FFLCH), Cláudia Regina Pereira (IEA), Gerda Jensen (IB), Ivã Gurgel (IF), João Francisco Justo Filho (EP), Lauro Fabiano (FFLCH), Lívia Maria Botin (FFLCH), Mayra Laudanno (IEB), Paula de Carvalho Papa (FMVZ), Raiany Oliveira (FFLCH)

    Comitê Científico

    Afrânio Rubens de Mesquita (IO), André Mota (FM), Gildo Magalhães dos Santos Filho (FFLCH), José Roberto Machado (ICB), Maria Amélia Dantes (FFLCH), Sara Albieri (FFLCH), Sueli Godói (IO)

    Programação

    Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

    Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (décimo primeiro seminário)

    por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 24/08/2017 17:48

    Detalhes do evento

    Quando

    de 16/11/2017 - 14:00
    a 16/11/2017 - 17:00

    Onde

    Instituto de Psicologia, Bloco F, sala 36, Butantã, São Paulo

    Nome do Contato

    Adicionar evento ao calendário

    A Trans-historicidade do Conhecimento Científico e a Construção das Estruturas Lógico-matemáticas: a Contemporaneidade para Além do Senso-comum

    A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

    Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

    Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

    Expositora:

    Eda Tassara

    Material de Referência:

    ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
    PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
    STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
    CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
    MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
    SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
    VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

    Inscrições

    Evento público e gratuito | Sem inscrição

    Programação

    17/08

    O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

    24/08

    Tecnologia científica: tradição e conhecimento

    31/08

    A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

    14/09

    O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

    21/09

    Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

    28/09

    O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

    05/10

    A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

    19/10

    Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

    26/10

    versus distopias na luta política pelo futuro histórico

    09/11

    Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

    16/11

    A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

    23/11

    Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

    30/11

    Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

    Desafios da Inovação

    por Sandra Sedini - publicado 13/09/2017 12:23 - última modificação 13/09/2017 12:23

    Detalhes do evento

    Quando

    de 21/11/2017 - 10:00
    a 21/11/2017 - 12:00

    Onde

    Sala de Eventos do IEA, Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5° andar, Butantã, São Paulo

    Nome do Contato

    Telefone do Contato

    11 3091-1678

    Adicionar evento ao calendário

    Os ganhos de produtividade da economia brasileira nas últimas décadas são menores do que o desejável. Não é possível obter um crescimento acelerado da produtividade na economia sem o domínio do desenvolvimento de tecnologias críticas. Não basta apenas aumentar o investimento. É necessário que a qualidade dos investimentos em tecnologia e nas pessoas, que são realizados pelas empresas e pelo setor público, melhore substancialmente. A qualidade do investimento é, portanto, a variável central para obter os ganhos de produtividade na economia.

    A apresentação procura encadear o debate sobre mudança tecnológica na produção no Brasil refletindo sobre aspectos especialmente relevantes da formação educacional dos jovens brasileiros nas universidades, da capacidade de geração de conhecimento científico, do potencial das empresas inovarem e da possibilidade do sistema financeiro brasileiro financiar as transformações no setor produtivo.

    Não há caminho fácil para o desenvolvimento econômico mais acelerado. A melhoria do país é cada vez mais dependente de conhecimento, informações e competências. As nações que deram atenção especial às pessoas e à tecnologia conseguem se transformar e tornam-se relativamente mais ricas. O Brasil está ainda muito distante desta fronteira mundial. Apropriar e apreender soluções encontradas por outros países com foco e razoável persistência é chave.

    Expositor:

    João De Negri (IPEA)

    Moderador:

    Glauco Arbix (OIC IEA)

    Inscrições

    Evento público e gratuito | Com inscrição prévia

    Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

    Modelos Curriculares para o Ensino de Jornalismo em Graduação

    por Cláudia Regina - publicado 04/08/2017 10:15 - última modificação 04/08/2017 10:18

    Detalhes do evento

    Quando

    de 22/11/2017 - 14:00
    a 22/11/2017 - 17:00

    Onde

    Sala de Eventos do IEA, Rua Praça do Relógio, 109, bl. K, 5° andar, Cidade Universitária, São Paulo

    Nome do Contato

    Telefone do Contato

    11 3091-1686

    Adicionar evento ao calendário

    Serão discutidos os avanços e bloqueios nas diretrizes do MEC.

    Inscrições

    Evento público, gratuito, sem inscrição.

    Público online, não há necessidade de se inscrever

    Programação

    Expositores:

    Manuel Carlos Chaparro (ECA-USP)

    Ciro Marcondes Filho (ECA-USP)

     

    Debatedores:

    Eugênio Bucci (ECA e IEA-USP) - a confirmar

    Vitor Blotta (ECA e IEA-USP) - a confirmar

    Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

    Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (décimo segundo seminário)

    por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 24/08/2017 17:49

    Detalhes do evento

    Quando

    de 23/11/2017 - 14:00
    a 23/11/2017 - 17:00

    Onde

    Instituto de Psicologia, Bloco F, sala 36, Butantã São Paulo

    Nome do Contato

    Telefone do Contato

    11 3091-1678

    Adicionar evento ao calendário

    Massa e Poder no Século XXI. Redes como Estrutura Algébrica e sua Disponibilização como Instrumento Tecnológico: Ordem e Decisão nas Operações Estratégicas de Manipulação das Informações

    A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

    Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

    Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

    Expositora:

    Eda Tassara

    Material de Referência:

    ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
    PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
    STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
    CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
    MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
    SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
    VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

    Inscrições

    Evento público e gratuito | Sem inscrição

    Programação

    17/08

    O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

    24/08

    Tecnologia científica: tradição e conhecimento

    31/08

    A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

    14/09

    O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

    21/09

    Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

    28/09

    O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

    05/10

    A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

    19/10

    Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

    26/10

    versus distopias na luta política pelo futuro histórico

    09/11

    Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

    16/11

    A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

    23/11

    Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

    30/11

    Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

    Amor à Ciência - Ensaios sobre o Materialismo Darwiniano

    por Sandra Sedini - publicado 28/08/2017 17:55 - última modificação 29/08/2017 10:28

    Detalhes do evento

    Quando

    de 24/11/2017 - 15:00
    a 24/11/2017 - 18:00

    Onde

    Sala de Eventos do IEA, Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5° andar, Butantã, São Paulo

    Nome do Contato

    Telefone do Contato

    11 3091-1678

    Adicionar evento ao calendário

    O livro AMOR À CIÊNCIA - Ensaios sobre o materialismo darwiniano será lançado com uma conversa, entre autor, José Eli da Veiga (IEE USP), Osvaldo Pessoa Jr. (FFLCH USP) e Reinaldo José Lopes (Folha de São Paulo)

    A tese central do livro é que não pode haver materialismo científico que não seja, antes de tudo, darwiniano. Para justificá-la, dá uma visão panorâmica de sua crescente utilidade cognitiva em ciências tão diversas quanto a psicologia e a física quântica, passando por quase todas as ciências sociais.

    Esse amplo avanço do materialismo darwiniano no âmbito científico está bem longe de ser homogêneo, gerando, ao contrário, variações que ainda não puderam ser selecionadas. O que só poderá começar a ocorrer quando forem superadas meia dúzia de controvérsias:

    1. A primeira diz respeito ao próprio conjunto dos fenômenos que evoluem pela interação dos quatro vetores essenciais: mutação, seleção, deriva e migração.

    2. A segunda às chamadas dimensões da evolução. O fato de já estar bem claro que vão além da genética e da epigenética, não quer dizer que a melhor forma de classificar as demais se resuma tão somente às categorias “comportamental” e “simbólica”.

    3. A terceira é sobre o alcance dos processos seletivos. Por mais que ainda haja resistência, certamente não demorará muito para que seja amplamente aceita a ideia de “seleção multinível”.

    4. A quarta reside no entendimento do fenômeno de superação dos numerosos tipos de conflitos sociais mediante cooperação.

    5. Em quinto, a que hoje parece a mais importante de todas. Se dá em torno do que chamamos de consciência. Por enquanto nem é possível avaliar qual será seu desdobramento, pois a divergência entre os materialistas darwinianos parece começar pelo próprio sentido que dão à palavra “consciência”.

    6. Por último, mas não menos importante, uma controvérsia que não é interna ao materialismo darwiniano, mas que diz respeito à concorrência de outros possíveis materialismos, entre os quais se destaca o materialismo histórico.

    Inscrições

    Evento público e gratuito | Com inscrição prévia

    Capacidade da sala: 55 lugares

    Onde estamos

    Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

    Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (décimo terceiro seminário)

    por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 24/08/2017 17:50

    Detalhes do evento

    Quando

    de 30/11/2017 - 14:00
    a 30/11/2017 - 17:00

    Onde

    Instituto de Psicologia, Bloco F, sala 36, Butantã, São Paulo

    Nome do Contato

    Adicionar evento ao calendário

    Debate final: O que é a Intervenção Social no Contexto do Conhecimento Teórico?

    A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

    Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

    Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

    Expositora:

    Eda Tassara

    Material de Referência:

    ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
    PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
    STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
    CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
    MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
    SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
    VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

    Inscrições

    Evento público e gratuito | Sem inscrição

    Programação

    17/08

    O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

    24/08

    Tecnologia científica: tradição e conhecimento

    31/08

    A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

    14/09

    O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

    21/09

    Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

    28/09

    O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

    05/10

    A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

    19/10

    Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

    26/10

    versus distopias na luta política pelo futuro histórico

    09/11

    Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

    16/11

    A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

    23/11

    Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

    30/11

    Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

    VI Seminário Internacional Fronteiras, Negociação Política e Cultura da Paz no Conesul

    por Cláudia Regina - publicado 03/08/2017 09:23 - última modificação 03/08/2017 09:23

    Detalhes do evento

    Quando

    de 04/12/2017 - 09:00
    a 08/12/2017 - 18:00

    Onde

    Sala de Eventos do IEA, Rua Praça do Relógio, 109, bl. K, 5º andar, Cidade Universitária, São Paulo, SP

    Nome do Contato

    Telefone do Contato

    11 3091-1686

    Participantes

    Vide Programação

    Adicionar evento ao calendário

    Aguardando informação.

    Inscrições

    Evento público, gratuito, com inscrição prévia

    Público online não há necessidade de inscrição

    Organização

    Escola de Artes e Ciências Humanas (EACH-USP)

    Instituto de Estudos Avançados (IEA-USP)

    Programação

    Dia 04/12/2017

    Mesa 1 – Fronteiras, Negociação Política e Cultura de Paz

    14 às18h

    Alessandro Soares da Silva (IEA /USP - Brasil)

    Neli Aparecida de Mello-Théry (IEA/USP - Brasil)

    Carlos Sixirei Paredes (UVIGO - Espanha)

    Nelson Molina Valéncia (UNIVALLE – Colômbia)

     

    Dia 05/12/2017

    Mesa 2 - Cultura de Paz e o Processo de Pacificação na Colômbia

    09:00 as 12:00

     

    Mesa 3 – Negociação Política e Questões de Fronteiras na Região Centro-Sul Andina

    14:30 as 18:00

     

    Dia 06/12/2017

    Reunião com estrangeiros

    09 as 12

    Mesa 4 – Movimentos Sociais, Migração e as Dinâmicas Locais e globais em tempos de Crise

    14:00-18:00

     

    Dia 07/12/2017

    Mesa 5 – Conflitos, Migrações e Deslocamentos Idenitários

    14:00 as 18:00

    • Bibiana Graeff (USP – Brasil)
    • José Renato de Campos Araújo (USP – Brasil)
    • Juan Carlos Romero Romero (UTA - Chile)
    • Taeko Toma (Brasil)
    • Silvina Alejandra Brussino (UNC – Argentina)

     

    Mesa 6 – A Migração na Ótica das Mulheres Migrantes

    19:00-21:30

     

    Dia 08/12/2017

    Reunião de trabalho com estrangeiros e equipe do IEA.

     

    Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo