Você está aqui: Página Inicial / EVENTOS / Agenda de eventos

Agenda de eventos

por Aziz Salem - publicado 29/08/2012 08:55 - última modificação 09/11/2016 10:28

Gestão de Projetos de Pesquisa

por Sandra Sedini - publicado 12/07/2017 11:55 - última modificação 21/07/2017 16:34

Detalhes do evento

Quando

de 26/07/2017 - 08:30
a 26/07/2017 - 17:30

Onde

Antiga Sala do Conselho Universitário, Rua da Praça do Relógio, 109, térreo, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

3091-3198

Adicionar evento ao calendário

Em contexto de crise econômica e contingenciamento de verbas destinadas à produção científica, a boa gestão de recursos e de pessoas, assim como a otimização de gastos, acaba se constituindo em fatores estratégicos.

A ideia do encontro é discutir a possibilidade de replicar modelos já consagrados dentro da USP e em outras instituições estrangeiras para todas as escolas e institutos de pesquisas da Universidade.

Além da importância da gestão de projetos de pesquisa, outros dois temas serão discutidos no encontro: Gestão profissional de projetos de pesquisa e Cenário atual e estratégias de disseminação de boas práticas.

Sobre boas práticas científicas: é um conceito amplo e que diz respeito a normas e condutas que dão diretrizes éticas para pesquisadores envolvidos no processo da produção científica. Estão alicerçados em três pilares: educação – promoção de atividades de formação para pesquisadores em início de carreira; prevenção e orientação de problemas; e investigação e punição de suspeitas por falta de conduta ética na ciência, como plágio, falsificação de dados, manipulação de resultados, dentre outros.

Iniciada em 2015, a série Strategic Workshops já promoveu 23 encontros em áreas estratégicas e de reconhecida excelência na Universidade de São Paulo. O evento reúne pesquisadores da USP em torno de temas transdisciplinares e o objetivo é mapear expertises e promover novos arranjos de pesquisas entre os próprios pesquisadores da Universidade.

Coordenação

Milena Froes da Silva (EE USP), Debora Rejane Fior Chadi (PRP/IB USP) e Hamilton Varela (PRP/IQSC USP)

Organização

Milena Froes da Silva (EE USP), Debora Rejane Fior Chadi (PRP/IB/USP) e Hamilton Varela (PRP/IQSC USP)

Inscrições

Evento público e gratuito | Com inscrição prévia

Não há necessidade de inscrição para assistir à transmissão on-line.

Capacidade da sala: 120 lugares

Onde estamos

Programação

8h30 Credenciamento

9h

Abertura

José Eduardo Krieger (PRP USP)

Débora Rejane Fior Chadi (PRP e IB/USP)

Paulo H. Nascimento Saldiva (IEA/USP)

Marcos Buckeridge (ACIESP)

9h30

BLOCO 1: Importância da Gestão de Projetos de Pesquisa

Carlos Henrique de Brito Cruz (FAPESP)

Carlos Graeff (UNESP)

Munir Skaf (UNICAMP)

Moderadores: José Eduardo Krieger e Hamilton Varela

11h

BLOCO 2: Gestão Profissional de Projetos de Pesquisa

Carlos Graeff-Teixeira (PUCRS e ABGEPq BRAMA)

José A. C. Guimarães (PRP UNESP)

João Eduardo Ferreira (STI USP)

Profa. Débora Rejane Fior Chadi

12h30

Intervalo

14h

BLOCO 3: Cenário atual e estratégias de disseminação de Boas Práticas

Ricardo Vieira Simplício (FAPESP)

Regina Célia (Escritório de Projetos, FMRP/USP)

Vanessa Jarino (Setor de Convênios, IQSC/USP)

Maria Cristina Ribeiro Freire (Escritório de Apoio, ICB/USP)

Moderadora: Milena Froes da Silva

16h00

Conclusões e Encerramento

José Eduardo Krieger (PRP USP)

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Qualidade Energética: História de uma Ideia

por Cláudia Regina - publicado 20/06/2017 14:15 - última modificação 13/07/2017 15:43

Detalhes do evento

Quando

de 03/08/2017 - 14:00
a 03/08/2017 - 17:00

Onde

Sala de Eventos do IEA, Rua Praça do Relógio, 109,bl. K, 5º andar, Cidade Universitária, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1686

Adicionar evento ao calendário

A primeira lei da termodinâmica assevera que a quantidade de energia interna conservada num sistema isolado não pode ser criada ou destruída, mas apenas transformada de uma forma em outra. A qualidade energética, por outro lado, assevera que quando o trabalho é convertido em calor (ou vice-versa), a quantidade total pode permanecer constante, mas alguns atributos são perdidos e outros são ganhos. Independentemente do total conservado, há uma mudança nos atributos de uso. Da perspectiva de um usuário final, as diferenças de atributo garantem que o trabalho pode ser executado de formas distintas e com resultados diferentes. Como algumas formas e fontes de energia podem ser mais econômicas, eficientes, densas, limpas ou ambientalmente amigáveis do que outras, a qualidade da energia é importante. Essa conferência resume a evolução dos atributos de qualidade ao longo dos séculos XIX e XX, e conclui que a qualidade energética é um conceito apto a enfatizar as preocupações ecológicas do uso de combustíveis.

Expositor

Nuno Luiz Madureira (Instituto Universitário de Lisboa)

Moderador

Gildo Magalhães (FFLCH e IEA - USP)

Inscrições

Evento público e gratuito | Com inscrição prévia

Não há necessidade de inscrição para assistir à transmissão on-line.

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Um Ano Depois: O que Restou dos Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro

por Rafael Borsanelli - publicado 11/07/2017 16:35 - última modificação 17/07/2017 11:49

Detalhes do evento

Quando

de 07/08/2017 - 09:00
a 07/08/2017 - 12:00

Onde

Antiga Sala do Conselho Universitário da USP, Rua da Praça do Relógio, 109, térreo, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

(11) 3091-1686

Adicionar evento ao calendário

Os Jogos Olímpicos do Rio de Janeiro permanecem vivos para o Brasil. Depois de postular por 4 vezes a candidatura à cidade-sede, em 2009 o país obteve sucesso. Entendeu-se naquele momento que o evento se somaria a outras ações que buscavam dar visibilidade e credibilidade internacional ao país. Era um momento de grande desenvolvimento e ações afirmativas.

Porém, faltando poucos meses para a realização dos Jogos Olímpicos, questões relacionadas à política do país e à condução da organização do evento levaram o Comitê Organizador e o Comitê Olímpico Internacional a viverem o impasse sobre a realização ou não dos Jogos no Brasil. Ao longo desse período, as discussões sobre a necessidade e a viabilidade das exigências feitas pelo COI colocaram o tema legado no centro das preocupações do poder local e nacional.

Decorrido o primeiro ano do início da competição, restam dívidas a pagar e a dúvida sobre o que fazer com tudo o que foi produzido e prometido. Agora, já é possível fazer algumas avaliações e projeções sobre o que se esperava do evento e o que de fato foi possível realizar, considerando essas questões do ponto de vista da gestão do legado material, como também do legado cultural e esportivo.

Expositores

Bárbara Schausteck de Almeida (Uninter)

Juliano Fiori

Ricardo Leyser

Coordenadora

Katia Rubio (EEFE e IEA - USP)

Inscrições

Evento público e gratuito | Com inscrição prévia

Não há necessidade de inscrição para assistir à transmissão on-line.

Organização

Instituto de Estudos Avançados da USP

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Encontro com Jochen Volz

por Heloisa Marcondes - publicado 18/07/2017 14:45 - última modificação 18/07/2017 15:37

Detalhes do evento

Quando

de 07/08/2017 - 14:00
a 07/08/2017 - 18:00

Onde

Sala de Eventos do IEA, Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5° andar, Cidade Universitária, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

O Grupo de Pesquisa Fórum Permanente promove debate com Jochen Volz, diretor geral da Pinacoteca de São Paulo, que irá apresentar o plano de gestão da Pinacoteca e dialogar com especialistas da área e demais convidados sobre este e outros temas pertinentes.

Antes da Pinacoteca, Volz foi diretor de programação da Serpentine Gallerie, em Londres (2012 a 2015), diretor artístico do Instituto Inhotim, em Minas Gerais (2005 a 2012), e curador do Portikus, em Frankfurt, Alemanha (2001 a 2004). Em mostras internacionais, foi curador-chefe da 32ª Bienal de São Paulo (2016), co-curador da 53ª Bienal de Veneza (2009) e da 1ª Aichi Triennial, em Nagoya, Japão (2010), bem como co-curador convidado da 27ª Bienal de São Paulo (2006).

Exposição

Jochen Volz

Coordenação

Martin Grossmann (ECA e IEA-USP)

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição prévia

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Aprendizado de Máquina na Universidade de São Paulo

por Sandra Sedini - publicado 12/07/2017 16:45 - última modificação 21/07/2017 11:00

Detalhes do evento

Quando

de 14/08/2017 - 08:30
a 14/08/2017 - 17:30

Onde

Sala de Eventos do IEA, Rua da Praça do Re

Nome do Contato

Adicionar evento ao calendário

A área de aprendizado de máquina viveu avanço extraordinário nos últimos anos e, hoje, desperta atenção como uma tecnologia fundamental para a sociedade e para o setor produtivo.

Sistemas de recomendação, de decisão, de classificação e extração de informações, de diagnóstico e de apoio ao ensino estão sendo automatizados a uma velocidade avassaladora. Da mesma forma, de veículos a processos de manufatura têm se beneficiado do aprendizado automático a partir de bases de dados. Parte dessa revolução ocorre devido ao aumento da capacidade de computadores, parte ocorre devido ao aumento exponencial na quantidade de dados hoje armazenados de forma digital.

Pesquisadores da Universidade de São Paulo estão atentos a essa realidade; hoje a USP conta com vários grupos focados em aprendizado de máquina nos seus vários campi.

Em vista disso, este workshop tem dois objetivos:

  1. Estimular uma maior integração dos grupos de pesquisa em aprendizado de máquina da USP, por meio da identificação de interesses comuns e complementares que possam levar a projetos de colaboração.
  2. Intensificar a interação com empresas da área, tanto em projetos como na geração de recursos humanos.

 

Iniciada em 2015, a série Strategic Workshops já promoveu 24 encontros em áreas estratégicas e de reconhecida excelência na Universidade de São Paulo. O evento reúne pesquisadores da USP em torno de temas transdisciplinares e o objetivo é mapear expertises e promover novos arranjos de pesquisas entre os próprios pesquisadores da Universidade.

Coordenação

Fabio G. Cozman (EP USP), André Carlos Ponce de Leon Ferreira de Carvalho (ICMC USP), Marcelo Finger (IME USP).

Organização

Fabio G. Cozman (EP USP), André Carlos Ponce de Leon Ferreira de Carvalho (ICMC USP), Marcelo Finger (IME USP), Hamilton Varela (PRP/USP)

Inscrições

Evento público e gratuito | Com inscrição prévia

Não há necessidade de inscrição para assistir à transmissão on-line.

Capacidade da sala: 50 lugares

Onde estamos

Programação

8h30

Credenciamento

9h

Abertura

9h15

Grupos de pesquisa da USP

10h30

Intervalo

10h45

Grupos de Pesquisa da USP

11h30

Palestra:

Infraestrutura para aprendizado de máquina.

12h

Painel

Projetos de pesquisa conjuntos em aprendizado de máquina.

13h

Intervalo

14h

Grupos de pesquisa aplicados em empresas e na USP

15h45

Palestra: Oportunidades de interação entre USP e empresas

16h15

Painel: Como estabelecer colaborações entre USP e empresas

17h15

Conclusões e encerramento

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Arte & Política: Um Retrospecto da Carreira de Ricardo Ohtake

por Sandra Sedini - publicado 04/07/2017 17:00 - última modificação 13/07/2017 09:52

Detalhes do evento

Quando

de 15/08/2017 - 14:30
a 15/08/2017 - 17:30

Onde

CCSP - Sala Adoniran Barbosa, Rua Vergueiro, 1000, Paraíso, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

Ciclo "Cultura, Institucionalidade e Gestão"

Esta programação consiste em 4 etapas que pretendem fornecer um panorama crítico, atual e histórico da formação de uma estrutura cultural na cidade de São Paulo, pelo ponto de vista da gestão cultural em instituições e terá como foco

1) as relações entre arte, cultura e política,

2) o perfil de instituições culturais que fazem diferença na estrutura cultural de uma cidade como São Paulo,

3) a contribuição de certos gestores culturais na consolidação de um campo cultural no Brasil e

4) o papel das exposições na representação cultural de um Brasil contemporâneo.

Por meio de uma dinâmica discursiva e reflexiva em interação direta com importantes equipamentos culturais da cidade e seus principais agentes, a programação  pretende assim oferecer um amplo e crítico panorama da situação da cultura no Brasil pelo viés da gestão cultural em instituições e organismos de representação cultural.

Esta primeira atividade abre o ciclo com o retrospecto da carreira de Ricardo Ohtake como dirigente cultural na cidade de São Paulo. Ela corresponde a uma trajetória de vida dedicada às artes e à cultura, iniciada no Departamento de Informação e Documentação Artísticas (IDART) da Secretaria Municipal de Cultural no final da década de 1970, quando Ricardo Ohtake liderou o projeto de organização do Centro Cultural São Paulo (CCSP), sendo seu primeiro diretor. De lá para cá, foi Secretário da Cultura do Estado de São Paulo, Secretário do Verde e do Meio Ambiente da Prefeitura de São Paulo e diretor do do Museu da Imagem e do Som e da Cinemateca Brasileira. Atualmente dirige o Instituto Tomie Ohtake.

Debatedores

Amir Labaki (a confirmar)

Fernando Morais (a confirmar)

Martin Grossmann (ECA, MAC, CCSP, IEA, Fórum Permanente)

Olívio Tavares de Araujo

Tata Amaral

Moderador

Miguel Chaia (PUC SP)

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição

Retirada de ingressos na bilheteria do museu com no mínimo, 2 horas de antecedência.

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Arnaldo Vieira de Carvalho e a Produção de Vacina Antivariólica em São Paulo

por Heloisa Marcondes - publicado 11/07/2017 14:15 - última modificação 17/07/2017 15:07

Detalhes do evento

Quando

de 16/08/2017 - 14:30
a 16/08/2017 - 17:00

Onde

Auditório do IEA, Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5° andar, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

30911686

Adicionar evento ao calendário

Arnaldo Vieira de Carvalho foi o primeiro diretor da Faculdade de Medicina e Cirurgia de São Paulo. No entanto pouco se conhece das outras muitas atividades nas quais esteve envolvido. Como ter sido diretor clínico do Hospital Central da Santa Casa de Misericórdia do estado, presidente da Sociedade de Medicina e Cirurgia paulista, ou ainda, diretor do Instituto Vacinogênico de São Paulo desde sua criação em 1893 até 1912, quando saiu para assumir a direção da nova faculdade. O objetivo desta conferência é analisar sua atuação na produção de vacinas antivariólicas, em um período em que o combate às epidemias de varíola era uma das prioridades das autoridades sanitárias paulistas. Além de acompanhar as inovações científicas e técnicas e participar de debates, Arnaldo foi responsável pela montagem do laboratório que, na época, era considerado modelo. Durante os anos de sua direção o Instituto Vacinogênico deu suporte às campanhas de vacinação nas várias regiões do estado de São Paulo.

 

Moderador:

Gildo Magalhães dos Santos (FFLCH e IEA/USP)

Inscrições

Evento público e gratuito | Com inscrição prévia

Organização

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aoovivo

Quem tem medo dos livros?

por Rafael Borsanelli - publicado 19/07/2017 14:40 - última modificação 19/07/2017 17:38

Detalhes do evento

Quando

de 17/08/2017 - 10:30
a 17/08/2017 - 12:00

Onde

Sala de Eventos do IEA, Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5° andar, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

(11) 3091-1686

Adicionar evento ao calendário

"Quem tem medo dos livros?" A esta pergunta, o escritor Marie-Joseph Chénie, imortal autor de Chant du départ, respondeu: “É aos livros que devemos a Revolução”. É verdade, porém, que ele viveu o Terror de 1793 e que seu irmão André nele perdeu a vida.

Com esse mesmo leitmotiv, podemos lembrar a obra Le Chrétien catholique inviolablement attaché à sa religion (O cristão católico inviolavelmente atado à sua religião), escrita por um jesuíta suíço, o padre Nicolas de Diesbach, em 1771. Segundo sua concepção, o texto impresso se apresenta como uma arma terrível a serviço do Demônio. Tal perspectiva sobreviveu ao tempo e às revoluções, bastando lembrar que o Index librorum prohibitorum se manteve vivo desde a metade de 1559 até 1966; ou que o abade Louis Bethléem pôde publicar, na França, em 1904, seu famoso catálogo, Romans à lire et romans à proscrire (Romances para ler e romances para proscrever), título que se tornou livro de cabeceira de todos os educadores do mundo católico até 1945 e inspirou o abade Georges Sagehomme, a manter, de 1931 a 1956, um Répertoire que continha 16.700 autores e 70.000 romances ou peças de teatro. Ele perseguia o Mal por toda a parte em que se escondia e o enxergava evidentemente primeiro nos escritos dos autores ímpios.

Esses e outros exemplos nos conduz a inquirir sobre a relação entre o livro e o medo. A censura e o poder. Num só termo, a temática nos leva a refletir sobre o papel e o lugar do impresso nas sociedades contemporâneas, a partir de uma perspectiva histórica.

O conferencista Jean-Yves Mollier dedicou sua carreira à história do livro, da edição e das práticas de leitura na França do século XIX ao século XXI. Dentre seus livros, O Dinheiro e as Letras (História do Capitalismo Editorial), publicado e traduzido em diversos países, inclusive no Brasil (Edusp, 2010), marcou toda uma geração de pesquisadores. Embora as questões econômicas que envolvem o universo da cultura não constituíssem uma temática totalmente inovadora, a obra abria um caminho novo no campo da economia do livro, ao analisar o desenvolvimento editorial da França, de 1830 a 1914 sob a ótica do mercado e do desenvolvimento do capitalismo editorial. Essa perspectiva permitiu ao autor ir além, no sentido de compreender os conglomerados midiáticos e o espaço dado ao livro impresso na economia contemporânea.

Paralelamente a essa temática, podemos salientar a importância dos livros Imprensa e Poder na França do Século XX (Editora Unifesp, 2014) e Edição e Revolução, organizado em colaboração com Marisa Midori Deaecto (Ateliê Editorial, 2013) no debate sobre o lugar do impresso na cena política contemporânea, o que nos leva a questionar sobre o poder dos livros. Nesse sentido, a questão “Quem tem medo dos livros?”, além de estimular algumas questões sobre o “medo”, propõe-se a colocar a mídia impressa – e, particularmente o livro – como um protagonista dessa história mais ampla de poder e censura.

O medo é o tema do ano escolhido pela rede internacional Ubias (University-Based Institutes for Advanced Study). Os institutos de estudos avançados integrantes da rede realizarão eventos para a discussão dos aspectos políticos, sociológicos, psicossociais, neurológicos, biológicos e culturais do medo.

Conferencista

Jean-Yves Mollier (Universidade de Versalhes Saint Quentin en Yvelines)

Coordenadora

Marisa Midori Deaecto (ECA e IEA - USP)

Inscrições

Evento público e gratuito | Em francês com tradução simultânea | Com inscrição prévia

Organização

Instituto de Estudos Avançados

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (primeiro seminário)

por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 17/07/2017 17:19

Detalhes do evento

Quando

de 17/08/2017 - 14:00
a 17/08/2017 - 17:00

Onde

Sala de Eventos do IEA, Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5° andar, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

Expositora:

Eda Tassara

Material de Referência:

ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição

Onde estamos

Programação

17/08

O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

24/08

Tecnologia científica: tradição e conhecimento

31/08

A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

14/09

O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento.

21/09

Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

28/09

O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

05/10

A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

19/10

Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

26/10

Utopias versus distopias na luta política pelo futuro histórico

09/11

Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

16/11

A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

23/11

Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

30/11

Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Instituições Culturais I

por Sandra Sedini - publicado 07/07/2017 10:35 - última modificação 10/07/2017 15:49

Detalhes do evento

Quando

de 22/08/2017 - 14:30
a 22/08/2017 - 17:30

Onde

Museu Afro Brasil, Avenida Pedro Álvares Cabral, Parque Ibirapuera, Portão 10, Vila Mariana, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

Ciclo "Cultura, Institucionalidade e Gestão"

Esta programação consiste em 4 etapas que pretendem fornecer um panorama crítico, atual e histórico da formação de uma estrutura cultural na cidade de São Paulo, pelo ponto de vista da gestão cultural em instituições e terá como foco

1) as relações entre arte, cultura e política,

2) o perfil de instituições culturais que fazem diferença na estrutura cultural de uma cidade como São Paulo,

3) a contribuição de certos gestores culturais na consolidação de um campo cultural no Brasil e

4) o papel das exposições na representação cultural de um Brasil contemporâneo.

Por meio de uma dinâmica discursiva e reflexiva em interação direta com importantes equipamentos culturais da cidade e seus principais agentes, a programação  pretende assim oferecer um amplo e crítico panorama da situação da cultura no Brasil pelo viés da gestão cultural em instituições e organismos de representação cultural.

Esta  atividade dá continuidade ao ciclo com o retrospecto da carreira de Ricardo Ohtake como dirigente cultural na cidade de São Paulo. Ela corresponde a uma trajetória de vida dedicada às artes e à cultura, iniciada no Departamento de Informação e Documentação Artísticas (IDART) da Secretaria Municipal de Cultural no final da década de 1970, quando Ricardo Ohtake liderou o projeto de organização do Centro Cultural São Paulo (CCSP), sendo seu primeiro diretor. De lá para cá, foi Secretário da Cultura do Estado de São Paulo, Secretário do Verde e do Meio Ambiente da Prefeitura de São Paulo e diretor do do Museu da Imagem e do Som e da Cinemateca Brasileira. Atualmente dirige o Instituto Tomie Ohtake.

Debatedores

Danilo Santos de Miranda (SESC)

Emanoel Araujo (Museu Afro Brasil)

Moderador

Ricardo Ohtake (IEA/Instituto Tomie Ohtake)

Inscrições

Evento público e gratuito | Com inscrição prévia

Não há necessidade de inscrição para assistir à transmissão on-line.

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (segundo seminário)

por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 17/07/2017 17:22

Detalhes do evento

Quando

de 24/08/2017 - 14:00
a 24/08/2017 - 17:00

Onde

Antiga Sala do Conselho Universitário, Rua da Praça do Relógio, 109, térreo, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

Tecnologia Científica: Tradição e Conhecimento

A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

Expositora:

Eda Tassara

Material de Referência:

ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição

Onde estamos

Programação

17/08

O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

24/08

Tecnologia científica: tradição e conhecimento

31/08

construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

14/09

O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

21/09

Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

28/09

O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

05/10

A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

19/10

Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

26/10

Utopias versus distopias na luta política pelo futuro histórico

09/11

Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

16/11

A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

23/11

Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

30/11

Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Instituições Culturais II

por Sandra Sedini - publicado 07/07/2017 10:45 - última modificação 10/07/2017 15:57

Detalhes do evento

Quando

de 29/08/2017 - 14:30
a 29/08/2017 - 17:30

Onde

Instituto Itaú Cultural, Sala Multiuso, Av. Paulista, 149, Bela Vista, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

Ciclo "Cultura, Institucionalidade e Gestão"

Esta programação consiste em 4 etapas que pretendem fornecer um panorama crítico, atual e histórico da formação de uma estrutura cultural na cidade de São Paulo, pelo ponto de vista da gestão cultural em instituições e terá como foco

1) as relações entre arte, cultura e política,

2) o perfil de instituições culturais que fazem diferença na estrutura cultural de uma cidade como São Paulo,

3) a contribuição de certos gestores culturais na consolidação de um campo cultural no Brasil e

4) o papel das exposições na representação cultural de um Brasil contemporâneo.

Por meio de uma dinâmica discursiva e reflexiva em interação direta com importantes equipamentos culturais da cidade e seus principais agentes, a programação  pretende assim oferecer um amplo e crítico panorama da situação da cultura no Brasil pelo viés da gestão cultural em instituições e organismos de representação cultural.

Esta atividade dá continuidade ao ciclo com o retrospecto da carreira de Ricardo Ohtake como dirigente cultural na cidade de São Paulo. Ela corresponde a uma trajetória de vida dedicada às artes e à cultura, iniciada no Departamento de Informação e Documentação Artísticas (IDART) da Secretaria Municipal de Cultural no final da década de 1970, quando Ricardo Ohtake liderou o projeto de organização do Centro Cultural São Paulo (CCSP), sendo seu primeiro diretor. De lá para cá, foi Secretário da Cultura do Estado de São Paulo, Secretário do Verde e do Meio Ambiente da Prefeitura de São Paulo e diretor do do Museu da Imagem e do Som e da Cinemateca Brasileira. Atualmente dirige o Instituto Tomie Ohtake.

Debatedores

Heitor Martins (a confirmar)

Eduardo Saron (Instituto Itaú Cultural)

Moderador

Ricardo Ohtake (IEA/Instituto Tomie Ohtake)

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição.

Com retirada de ingressos uma hora antes do evento, na bilheteria:

público preferencial: duas horas antes do espetáculo, com direito a um acompanhante;

público não preferencial: uma hora antes do espetáculo, um ingresso por pessoa.

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (terceiro seminário)

por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 17/07/2017 17:23

Detalhes do evento

Quando

de 31/08/2017 - 14:00
a 31/08/2017 - 17:00

Onde

Antiga Sala do Conselho Universitário, Rua da Praça do Relógio, 109, térreo, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

A Construção Histórica do Sistema Científcio-tecnológico: a Big Science e o Domínio Político do Conhecimento

A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

Expositora:

Eda Tassara

Material de Referência:

ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição

Onde estamos

Programação

17/08

O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

24/08

Tecnologia científica: tradição e conhecimento

31/08

A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

14/09

O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

21/09

Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

28/09

O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

05/10

A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

19/10

Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

26/10

Utopias versus distopias na luta política pelo futuro histórico

09/11

Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

16/11

A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

23/11

Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

30/11

Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Economia Circular: Inovação em Modelos de Negócios e Oportunidades para o Brasil

por Sandra Sedini - publicado 21/07/2017 14:25 - última modificação 21/07/2017 16:29

Detalhes do evento

Quando

de 01/09/2017 - 08:00
a 01/09/2017 - 17:00

Onde

Sala de Eventos do IEA, Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5° andar, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

3091-3198

Adicionar evento ao calendário

A proposta deste evento parte do pressuposto que qualquer sistema cujo fundamento seja o simples consumo e não o uso restaurativo de recursos incorre em perdas significativas de valor. O conceito de Economia Circular (EC), restaurativa e regenerativa por princípio, busca manter de forma intencional, desde a concepção de novos negócios e produtos, os componentes e materiais em seu mais alto nível de utilidade e valor o tempo todo. Configura-se como um ciclo contínuo de positivo desenvolvimento que preserva e aprimora o capital natural, otimiza a produtividade de recursos e minimiza riscos sistêmicos com a gestão de estoques finitos e fluxos renováveis.

A Economia Circular apresenta propostas aderentes às necessidades do mundo contemporâneo e das novas tendências de mercado. A partir da inovação para modelos de negócios circulares, como o Sistema Produto-Serviço, o compartilhamento, design voltado para a circularidade, reutilização, remanufatura e outros, muitos valores e oportunidades são criados.

Deste modo, o Workshop é dividido em três módulos temáticos:

Bloco I. Fundamentos da Economia Circular

Bloco II. A Economia Circular no Brasil: casos de sucesso e modelos de negócios inovadores

Bloco III. Habilitadores da transição para a Economia Circular

Estes blocos contarão com apresentações de palestrantes do Brasil e do exterior, seguidas de debates entre os eles e a audiência. Este Strategic Workshop propõe fomentar o diálogo entre Empresas, Governo, Setor Financeiro e Academia em torno das estratégias para o Brasil acelerar sua transição para Economia Circular, criando um ambiente favorável de nucleação de colaborações entre os participantes e para o desenvolvimento de uma agenda de pesquisa, inovação e desenvolvimento à longo prazo.

Iniciada em 2015, a série Strategic Workshops já promoveu 25 encontros em áreas estratégicas e de reconhecida excelência na Universidade de São Paulo. O evento reúne pesquisadores da USP em torno de temas transdisciplinares e o objetivo é mapear expertises e promover novos arranjos de pesquisas entre os próprios pesquisadores da Universidade..

Coordenação:

Aldo Ometto (EESC USP) e Weber Amaral (ESALQ USP)

Organização: Aldo Ometto (EESC USP), Weber Amaral (ESALQ USP) e

Hamilton Varela (PRP USP)

Inscrições

Evento público e gratuito | Com inscrição prévia

Não há necessidade de inscrição para assistir à transmissão on-line.

Capacidade da sala: 50 lugares

Onde estamos

Programação

8h

Credenciamento

8h30

Abertura

Vahan Agopyan (Vice reitor da USP)

José Eduardo Krieger (Pró-reitor de Pesquisa da USP),

Guilherme Ary Plonski (Vice diretor do Instituto de Estudos Avançados-IEA/USP)

Vanderlei Salvador Bagnato (Coordenador da Agência USP de Inovação)

9h

Conferências Internacionais:

Fundamentos da Economia Circular

Ken Webster (Diretor de inovação da Ellen MacArthur Foundation-EMF)

Carlos Scheel-Mayenberger (Technological Innovation, Systemic Thinking, Sustainability EGADE Business School, Tecnologico de Monterrey, MEXICO)

10h

Painel Interativo 1

Fundamentos da EC

Ken Webster

Carlos Scheel-Mayenberger

Moderador: Aldo Roberto Ometto (EESC - USP)

10h30

Intervalo

10h45

Painel Interativo 2

A Economia Circular no Brasil: casos de sucesso e modelos de negócios inovadores

Leonardo Domingos (LDS Group - CEO)

Carlos Banov (HRC - CEO)

José Galló (Lojas Renner - CEO)

Thiago Abreu (Philips - Diretor)

Fernando Alonso de Oliveira (Native - Diretor)

Moderador: João Fernando Gomes de Oliveira (EESC – USP)

12h30

Intervalo Almoço

14h

Painel Interativo 3

Habilitadores da transição para a Economia Circular

Lucas Assunção (UNCTAD - Diretor)

Robson Braga de Andrade (CNI – Presidente)

Marcos Cintra (FINEP - Presidente)

Luisa Santiago (EMF – Líder Brasil)

Ana Arroio (EMBRAPII - Coordenadora de Planejamento)

Moderador: Weber Amaral (ESALQ - USP)

15h45

Perspectivas e encaminhamentos

Aldo Roberto Ometto e Weber Amaral

16h

Encerramento

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

A Nova Ordem na Educação em Engenharia: Desafios e Perspectivas

por Rafael Borsanelli - publicado 19/07/2017 18:30 - última modificação 20/07/2017 18:18

Detalhes do evento

Quando

de 14/09/2017 - 09:30
a 14/09/2017 - 12:00

Onde

Auditório da Engenharia Mecânica - EP-USP, Av. Prof. Mello Moraes, 2231, Butantã, São Paulo, SP

Nome do Contato

Telefone do Contato

(11) 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

A evolução tecnológica promoveu mudanças emblemáticas no sistema educacional ao quebrar a rigidez presente no século XX e trazer fluidez e insegurança no século XXI. Esta transição afetou muito a educação em engenharia em todo o mundo e alguns reflexos já se fazem sentir em nosso país.

Paul Gilbert, CEO da Quanser, uma das maiores empresas de material didático do planeta, e conhecedor profundo das tendências da educação em engenharia neste século irá discutir esta temática na companhia de Luiz Bevilacqua. Juntos, buscarão responder as seguintes questões:

  • Como garantir que o estudante de engenharia adquiriu as ferramentas necessárias que o habilite a buscar sozinho o conhecimento ao longo de sua carreira?
  • As tecnologias emergentes criam lacunas de conhecimento. Quão rápido o sistema educacional das engenharias deve reagir para prover as habilidades técnicas para preencher estes espaços?
  • Como podemos avaliar, através de certificações globais confiáveis e amplamente exequíveis, as habilidades não-técnicas que gostaríamos que os estudantes de engenharia fossem dotados?
  • Que ideias criativas devemos ter para aumentar as habilidades fundamentais (técnicas e profissionais) nas regiões onde os recursos são limitados?
  • Como as universidades e as empresas devem trabalhar juntas para suprir as habilidades profissionais de nossos estudantes?

 

Estas questões permeiam as discussões que estão sendo levadas a cabo junto ao Conselho Nacional de Educação e a Secretaria de Ensino Superior do MEC para o estabelecimento das novas diretrizes que estão sendo concebidas para os cursos de engenharia do país.

Conferencista

Paul Gilbert (Quanser)

Debatedor

Luiz Bevilacqua (UFRJ e IEA-USP)

Moderador

José Roberto Cardoso (EP-USP)

Inscrições

Evento público e gratuito | Em inglês sem tradução | Com inscrição prévia (em breve)

Organização

Escola Politécnica - USP

Instituto de Estudos Avançados - USP

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (quarto seminário)

por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 18/07/2017 16:05

Detalhes do evento

Quando

de 14/09/2017 - 14:00
a 14/09/2017 - 17:00

Onde

Antiga Sala do Conselho Universitário, Rua da Praça do Relógio, 109, térreo, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

O Desvelamento Teórico da Realidade: Filosofia, Sabedoria, Linguagem e Pensamento

A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

Expositora:

Eda Tassara

Material de Referência:

ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição

Onde estamos

Programação

17/08

O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

24/08

Tecnologia científica: tradição e conhecimento

31/08

A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

14/09

O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

21/09

Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

28/09

O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

05/10

A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

19/10

Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

26/10

Utopias versus distopias na luta política pelo futuro histórico

09/11

Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

16/11

A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

23/11

Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

30/11

Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (quinto seminário)

por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 19/07/2017 14:47

Detalhes do evento

Quando

de 21/09/2017 - 14:00
a 21/09/2017 - 17:00

Onde

Sala de Eventos do IEA, Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5°andar, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

Épisteme Theoritiké: Identidade, não Contradição e Terceiro Excluído

A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

Expositora:

Eda Tassara

Material de Referência:

ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição

Onde estamos

Programação

17/08

O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

24/08

Tecnologia científica: tradição e conhecimento

31/08

A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

14/09

O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

21/09

Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

28/09

O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

05/10

A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

19/10

Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

26/10

Utopias versus distopias na luta política pelo futuro histórico

09/11

Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

16/11

A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

23/11

Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

30/11

Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (sexto seminário)

por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 18/07/2017 16:24

Detalhes do evento

Quando

de 28/09/2017 - 14:00
a 28/09/2017 - 17:00

Onde

Sala de Eventos do IEA, Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5°andar, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

O Pensamento e o Método Lógico: a Crítica entre Verdades e Falsidades e o Cotejamento com os Fatos

A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

Expositora:

Eda Tassara

Material de Referência:

ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição

Onde estamos

Programação

17/08

O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

24/08

Tecnologia científica: tradição e conhecimento

31/08

A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

14/09

O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

21/09

Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

28/09

O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

05/10

A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

19/10

Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

26/10

Utopias versus distopias na luta política pelo futuro histórico

09/11

Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

16/11

A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

23/11

Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

30/11

Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (sétimo seminário)

por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 18/07/2017 16:28

Detalhes do evento

Quando

de 05/10/2017 - 14:00
a 05/10/2017 - 17:00

Onde

Sala de Eventos do IEA, Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5°andar, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

A Crítica Metódica e seus Procedimentos: da Geometria e Aritmética no Cálculo e Descrição de Fenômenos à Matematização da Natureza

A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

Expositora:

Eda Tassara

Material de Referência:

ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição

Onde estamos

Programação

17/08

O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

24/08

Tecnologia científica: tradição e conhecimento

31/08

A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

14/09

O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

21/09

Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

28/09

O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

05/10

A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

19/10

Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

26/10

Utopias versus distopias na luta política pelo futuro histórico

09/11

Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

16/11

A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

23/11

Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

30/11

Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (oitavo seminário)

por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 18/07/2017 16:33

Detalhes do evento

Quando

de 19/10/2017 - 14:00
a 19/10/2017 - 17:00

Onde

Sala de Eventos do IEA, Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5°andar, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

Interfaces Conhecimento, Ciência e Sociedade: a Emergência da Engenharia e o Encontro da Invenção com a Imaginação Utópica na Modernidade

A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

Expositora:

Eda Tassara

Material de Referência:

ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição

Onde estamos

Programação

17/08

O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

24/08

Tecnologia científica: tradição e conhecimento

31/08

A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

14/09

O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

21/09

Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

28/09

O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

05/10

A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

19/10

Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

26/10

Utopias versus distopias na luta política pelo futuro histórico

09/11

Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

16/11

A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

23/11

Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

30/11

Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (nono seminário)

por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 18/07/2017 17:02

Detalhes do evento

Quando

de 26/10/2017 - 14:00
a 26/10/2017 - 17:00

Onde

Sala de Eventos do IEA, Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5°andar, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

Utopias versus Distopias na Luta Política pelo Futuro Histórico

A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

Expositora:

Eda Tassara

Material de Referência:

ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição

Onde estamos

Programação

17/08

O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

24/08

Tecnologia científica: tradição e conhecimento

31/08

A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

14/09

O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

21/09

Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

28/09

O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

05/10

A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

19/10

Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

26/10

Utopias versus distopias na luta política pelo futuro histórico

09/11

Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

16/11

A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

23/11

Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

30/11

Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (décimo seminário)

por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 19/07/2017 14:16

Detalhes do evento

Quando

de 09/11/2017 - 14:00
a 09/11/2017 - 17:00

Onde

Sala de Eventos do IEA, Rua da Praça do Relógio, 109, Bloco K, 5°andar, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

Civilização e Cultura: Globalização, Mundialização e seus Confrontos no Âmago Psicossocial do Político

A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

Expositora:

Eda Tassara

Material de Referência:

ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição

Onde estamos

Programação

17/08

O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

24/08

Tecnologia científica: tradição e conhecimento

31/08

A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

14/09

O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

21/09

Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

28/09

O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

05/10

A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

19/10

Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

26/10

versus distopias na luta política pelo futuro histórico

09/11

Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

16/11

A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

23/11

Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

30/11

Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Simpósio USP de História da Ciência e da Tecnologia: Construindo Diálogos Interdisciplinares

por Cláudia Regina - publicado 22/06/2017 16:15 - última modificação 27/06/2017 11:17

Detalhes do evento

Quando

de 13/11/2017 - 08:00
a 14/11/2017 - 17:00

Onde

Anfiteatro Nicolau Sevcenko, prédio da História e Geografia da FFLCH/USP, Av. Prof. Lineu Prestes, 338, Cidade Universitária, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1686

Adicionar evento ao calendário

Ao passar dos anos, a área de História da Ciência adquiriu grande multiplicidade, admitindo diferentes olhares teóricos, perspectivas metodológicas, fontes e objetos de pesquisa. Em relação a estes últimos, a análise das ciências envolve seu desenvolvimento teórico-conceitual, mas também suas práticas instrumentais de pesquisa, as instituições, as relações ciência e sociedade e outros elementos que envolvem a compreensão da ciência como atividade socialmente localizada. A História da Ciência inclui as mais diversas áreas, a Matemática, as Ciências Naturais, as Engenharias, a Arquitetura, a Medicina, a Psicologia, as Ciências Humanas, isto é, um conjunto amplo de conhecimentos. Ela reflete a natureza das universidades, isto é, um espaço que se enriquece com a diversidade de saberes que, ao mesmo tempo em que se individualizam pelas suas características epistemológicas, unificam-se por compartilhar seus contextos de produção. Pesquisadores com as mais diversas formações iniciais se dedicam à História da Ciência. Além disso, ela não apenas se realiza em departamentos ou institutos de História, mas também é desenvolvida em espaços de pesquisa com os mais diferentes fins. Na Universidade de São Paulo encontramos realidade semelhante. Em suas diferentes unidades, encontramos docentes e discentes com interesse e dedicação a esta área do conhecimento. A realização de trabalhos em História da Ciência nas diferentes unidades da USP é algo a ser preservado e que reflete a natureza desta área do conhecimento. Contudo, muitas vezes, as pesquisas passam a ser feitas de modo isolado, sem o diálogo com trabalhos semelhantes. Buscando contribuir para a superação dessa condição, o Centro Interunidades de História da Ciência da USP (CHC-USP) convida toda a comunidade USP para este simpósio que pretende promover um espaço rico para a promoção de debates e reflexões sobre temas atuais desta área de pesquisa.

Inscrições e Comunicações Orais

O evento é gratuito e contará com pesquisadores de referência convidados para palestras e mesas-redondas. Estas sessões são abertas ao público geral, mediante inscrição na página do IEA até o dia 3 de novembro.

Podem enviar propostas para as sessões de Comunicação Oral professores, pesquisadores e pós-graduandos da USP, do Instituto Butantan, do IPEN e do  IPT. Para participar, é necessário enviar proposta até 28 de agosto de 2017 contendo título, autores e vínculos institucionais, resumo de até 350 palavras e de 3 a 5 palavras-chave.

As propostas serão avaliadas pelo comitê científico do evento e por pareceristas convidados.

Os trabalhos aceitos serão organizados dentro dos seguintes tópicos historiográficos:

  • Ideias, instituições e lugares ligados ao conhecimento científico e técnico
  • Comunicação e divulgação do saber científico e técnico
  • Controvérsias científicas e técnicas
  • Relações entre ciências e técnicas
  • Instrumentos científicos e suas aplicações
  • Políticas tecno-científicas e o papel social dos cientistas e técnicos
  • Fontes, documentação e memória historiográfica da ciência e técnica
  • Contribuições brasileiras ao desenvolvimento científico e técnico
  • A História da Ciência e suas contribuições para a Educação Básica

 

3) Datas

  • 28/08 – Prazo máximo para o envio de propostas para comunicação oral
  • 18/09 – Resultado das avaliações
  • 13 e 14/11 – Realização do Evento

Inscrições

Para assistir às sessões presencialmente, inscreva-se aqui até 3 de novembro de 2017. Não há necessidade de inscrição para assistir à transmissão on-line.

Para submissão de propostas, exclusivo para professores, pesquisadores e pós-graduandos da USP, do Instituto Butantan, do IPEN e do IPT, inscreva-se aqui até 28 de agosto de 2017.

Programação

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (décimo primeiro seminário)

por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 19/07/2017 14:36

Detalhes do evento

Quando

de 16/11/2017 - 14:00
a 16/11/2017 - 17:00

Onde

Antiga Sala do Conselho Universitário, Rua da Praça do Relógio, 109, térreo, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

A Trans-historicidade do Conhecimento Científico e a Construção das Estruturas Lógico-matemáticas: a Contemporaneidade para Além do Senso-comum

A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

Expositora:

Eda Tassara

Material de Referência:

ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição

Onde estamos

Programação

17/08

O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

24/08

Tecnologia científica: tradição e conhecimento

31/08

A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

14/09

O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

21/09

Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

28/09

O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

05/10

A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

19/10

Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

26/10

versus distopias na luta política pelo futuro histórico

09/11

Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

16/11

A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

23/11

Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

30/11

Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (décimo segundo seminário)

por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 19/07/2017 14:41

Detalhes do evento

Quando

de 23/11/2017 - 14:00
a 23/11/2017 - 17:00

Onde

Antiga Sala do Conselho Universitário, Rua da Praça do Relógio, 109, térreo, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

Massa e Poder no Século XXI. Redes como Estrutura Algébrica e sua Disponibilização como Instrumento Tecnológico: Ordem e Decisão nas Operações Estratégicas de Manipulação das Informações

A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

Expositora:

Eda Tassara

Material de Referência:

ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição

Onde estamos

Programação

17/08

O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

24/08

Tecnologia científica: tradição e conhecimento

31/08

A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

14/09

O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

21/09

Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

28/09

O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

05/10

A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

19/10

Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

26/10

versus distopias na luta política pelo futuro histórico

09/11

Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

16/11

A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

23/11

Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

30/11

Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Ciclo Intervenção Social e Conhecimento Científico: Redes Sociais e Movimentos Coletivos (décimo terceiro seminário)

por Sandra Sedini - publicado 17/07/2017 17:10 - última modificação 19/07/2017 14:45

Detalhes do evento

Quando

de 30/11/2017 - 14:00
a 30/11/2017 - 17:00

Onde

Antiga Sala do Conselho Universitário, Rua da Praça do Relógio, 109, térreo, Butantã, São Paulo

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1678

Adicionar evento ao calendário

Debate final: O que é a Intervenção Social no Contexto do Conhecimento Teórico?

A emergência das ciências processuais aplicadas à leitura e à interpretação da realidade natural e social colocou novas questões de método que se consolidaram sob a forma de problemas epistemológicos contemporâneos - verdade científica x verdade histórico-literária.

Por outro lado, o surgimento dos métodos da engenharia, como especialidades teóricas da prática, gerou as condições para a emergência de uma tecnologia científica, subordinando processo científico e social a processo produtivo. Dessa forma, a intervenção sobre problemas sociais como solução metodológica reflete a ruptura de hegemonia de modelos epistemológicos produzidos pela difusão mercantilizada do conhecimento científico gerado nas ciências processuais.

Sob tal perspectiva, os treze seminários do ciclo proposto pretende promover, mediante estudos das questões apontadas, a compreensão crítica de relações entre conhecimento científico e vida social como condicionantes de projetos alternativos de Futuro, mediados por, e comprometidos com sistemas arbitrários de valores de verdade, em difusão midiática e tecno-eletrônica.

Expositora:

Eda Tassara

Material de Referência:

ADAMS, H.; SEARLE, L. (org.) Critical Theory, vol. I e II [vol. I: Since 1965. Florida, University Presses of Florida, 1986 ; vol. II: Since Plato. Boston, Thomson Wadsworth, 2005].
PINTO, A. V. O Conceito da Tecnologia, vol. I e II. Rio de Janeiro, Ed. Contraponto, 2005.
STANDING, G. O Precariado. A nova classe perigosa. Trad. Cristina Antunes. São Paulo, Autêntica Editora, 2013.
CANETTI, E. Massa e Poder. São Paulo: Companhia das Letras, 1995.
MOSCOVICI, S. L’Âge de foules. Um traité historique de psychologie des masses. Paris: Foyard, 1981 [La era de las multitudes. Um tratado histórico de psicologia de las masas. México: FCE, 1985].
SILVA, F. M. A trans-historicidade do conhecimento científico na crítica sócio-epistemológica da ciência de Pierre Bordieu. Tese de Doutorado, PUC São Paulo, 2017
VARGAS, M. A história da matematização da natureza. Estudos Avançados, 10(28), 1996, pp. 249-276

Inscrições

Evento público e gratuito | Sem inscrição

Onde estamos

Programação

17/08

O que é a tecnologia? Arte, ciência e técnica

24/08

Tecnologia científica: tradição e conhecimento

31/08

A construção histórica do sistema científcio-tecnológico: a big Science e o domínio político do conhecimento

14/09

O desvelamento teórico da realidade: filosofia, sabedoria, linguagem e pensamento

21/09

Épisteme theoritiké: identidade, não contradição e terceiro excluído.

28/09

O pensamento e o método lógico: a crítica entre verdades e falsidades e o cotejamento com os fatos

05/10

A crítica metódica e seus procedimentos: da geometria e aritmética no cálculo e descrição de fenômenos à matematização da natureza

19/10

Interfaces conhecimento, ciência e sociedade: a emergência da engenharia e o encontro da invenção com a imaginação utópica na modernidade

26/10

versus distopias na luta política pelo futuro histórico

09/11

Civilização e cultura: globalização, mundialização e seus confrontos  no âmago psicossocial do político

16/11

A trans-historicidade do conhecimento científico e a construção das estruturas lógico-matemáticas: a contemporaneidade para além do senso-comum

23/11

Massa e Poder no século XXI. Redes como estrutura algébrica e sua disponibilização como instrumento tecnológico: ordem e decisão nas operações estratégicas de manipulação das informações

30/11

Debate final: O que é a intervenção social no contexto do conhecimento teórico?

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo