Você está aqui: Página Inicial / NOTÍCIAS / Livro organizado por Lucia Santaella aborda ambivalência das tecnologias e seus dilemas na atualidade

Livro organizado por Lucia Santaella aborda ambivalência das tecnologias e seus dilemas na atualidade

por Leandra Rajczuk Martins - publicado 16/12/2022 16:15 - última modificação 19/12/2022 10:17

“Não podemos mergulhar nas distopias e nos afogar nelas. É preciso buscar o equilíbrio da balança”. O apontamento está na orelha do livro Simbioses do Humano & Tecnologias: Impasses, Dilemas, Desafios, organizado pela semioticista Lucia Santaella. A obra reúne alguns textos que sintetizam a pesquisa liderada e coordenada por ela durante o período de sua titularidade (2021-2022), a primeira da Cátedra Oscar Sala. Recém-publicada pela Edusp em coedição do IEA, foi lançada em versão impressa e está à venda por R$ 54,00 na loja virtual do site e nas livrarias da Edusp.

Capa do livro - Simbioses do Humano & Tecnologias
Coletânea de ensaios interdisciplinares é resultado das atividades da Cátedra Oscar Sala do IEA

“É difícil negar que as simbioses do humano e tecnologias estejam, efetivamente, nos conduzindo a visões distópicas que parecem irremediáveis”, ressalta Santaella no texto de apresentação intitulado O pensamento no fio de uma navalha. “Para enfrentá-las, minha tese começa por expulsar qualquer pensamento que considere as tecnologias como corpos estranhos ao humano. Ao contrário, porque fala, o ser humano é tecnológico de saída”.

Com tiragem de 500 exemplares, o livro tem 11 capítulos e 224 páginas. Para a imagem de capa foi realizada uma montagem de diversas imagens geradas por inteligência artificial com base nas palavras do título do livro. A coletânea de ensaios interdisciplinares é composta por autores das áreas de comunicação, letras, engenharia, economia, direito, jornalismo, física, filosofia e sociologia da USP e também de outras instituições brasileiras. Assinam os textos, além de Santaella, membros da coordenação e do grupo de pesquisa coordenado pela semioticista. Leia o sumário ao final da matéria.

Subtemas

De acordo com o texto de apresentação, os autores analisam, com base em diferentes aspectos, os desenvolvimentos e as consequências da Inteligência Artificial (IA) na sociedade e na ciência. "Os ensaios compõem quatro subtemas ancorados no tensionamento explícito dos desafios que apresentam".

O primeiro subtema, Expansionismo das redes e/ou governança da Internet, reflete sobre o papel a ser desempenhado pela governança para a segurança da internet frente à aceleração evolutiva das redes digitais. Para tanto, baseia-se na seguinte questão: “Se o acelerador da IA continuar funcionando para a expansão do universo digital, será possível manter a segurança nas redes?”

O segundo subtema, Capitalismo de vigilância e/ou cidadania planetária, parte da premissa de que as novas formas de capitalismo avançam na mesma velocidade com que capturam dados que se agigantam cada vez mais. Diante disso, questionam os autores, como manter os princípios da cidadania, inclusive a capacidade de expandi-la nas novas formas de cidadania digital?

Riscos à ética & democracia e/ou IA na cultura & criatividade busca analisar em que medida iniciativas de criatividade via IA são capazes de produzir um contrapeso aos males éticos que assombram as sociedades democráticas. E, por fim, Antropoceno e/ou novas ecologias políticas fundamenta-se em outro dilema atual: “Até recentemente, o estudo das eras, épocas e períodos geológicos importava pouco para o restante dos campos de conhecimento. Agora não há como deixar de compreender criticamente como o ser humano está implicado nos destinos do planeta.”

“Duas culturas”

Segundo os autores, a emergência da IA tem provocado verdadeiras simbioses entre aquelas que tradicionalmente eram chamadas de “two cultures” (duas culturas) por S. P. Snow: as ciências naturais e as humanidades. A IA centrada no humano está nos alertando para o fato de que estão se dissolvendo as fronteiras entre as chamadas hard sciences, ciências aplicadas, ciências sociais e humanidades, hoje transformadas em ciências sociais e humanidades digitais.

A obra traz reflexões acerca das simbioses do humano e das tecnologias, deixando de lado qualquer pensamento que considere as tecnologias como corpos estranhos ao humano, sem negar, no entanto, visões distópicas que parecem irremediáveis.

No epílogo, Santaella destaca: “Sou semioticista da linha filosófica, uma filosofia da ciência, animada pela busca dos fatores que fazem a inteligência crescer. Inteligência benigna é inteligência voltada para o bem coletivo. Essa forma de inteligência cresce especialmente por meio da ciência alimentada pela pesquisa”.

Durante sua titularidade na cátedra, a professora coordenou os trabalhos de 60 pesquisadores de diversas áreas. Também organizou oito eventos com debatedores convidados sobre segurança de rede, inteligência artificial, design legal e riscos à ética e à democracia, entre outros temas.

Lucia Santaella é doutora em Teoria Literária pela PUC-SP e livre-docente em Ciências da Comunicação pela USP. É professora titular e emérita da PUC-SP. Fez repetidos estágios de pós-doutorado no exterior e foi professora e pesquisadora convidada em várias universidades europeias e latino-americanas. Já levou à defesa 258 mestres e doutores. Publicou 53 livros e organizou 29, além da publicação de quase quinhentos artigos no Brasil e no exterior. Recebeu os prêmios Jabuti (2002, 2009, 2011, 2014), o prêmio Sergio Motta (2005) e o prêmio Luiz Beltrão (2010).

A Cátedra Oscar Sala é uma parceria entre o IEA e o Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br) no âmbito de convênio de cooperação firmado entre a USP e o Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br). A finalidade é fomentar, orientar e patrocinar o intercâmbio multidisciplinar entre os saberes de áreas diversas para fortalecer e cultivar o conhecimento sobre a internet, seu funcionamento, suas aplicações e suas ferramentas.

Sumário


Apresentação: O pensamento no fio de uma navalha --- 9

Lucia Santaella


I. Expansionismo das redes e/ou governança da Internet --- 15

1. Conexão brasileira à Internet & sua governança --- 17

Demi Getschko


II. Capitalismo de vigilância e/ou cidadania planetária --- 31

2. Privacidade & infopoder --- 33

André Lemos

3. Racionalidade algorítmica & subjetividade maquínica --- 51

Fernanda Bruno

4. Inteligência artificial & neoliberalismo --- 63

Sérgio Amadeu da Silveira

5. O protagonismo datificado dos não humanos & a cidadania digital --- 77

Massimo Di Felice

 

III. Riscos à ética & democracia e/ou ia na cultura & criatividade --- 89

6. Reflexões sobre a ética & inteligências maquínicas --- 91

Eugênio Bucci

7. Os algoritmos & as formas de ver/sentir: rastros de uma prática artística desviante --- 103

Cesar Baio

8. As relações entre inteligência artificial & arte --- 135

Dora Kaufman


IV. Antropoceno e/ou novas ecologias políticas --- 151

9. Novas ecologias políticas & Antropoceno --- 153

Luiz Alberto Oliveira

10. Mesoceno: Antropoceno & a era dos meios --- 175

Rodrigo Petronio

11. O Antropoceno & o obsceno na litosfera do ser: por uma defesa do profundo --- 199

Adriano Messias


Epílogo --- 215

Lucia Santaella


Sobre os Autores --- 219


Simbioses do Humano & Tecnologias: Impasses, Dilemas, Desafios - org. Lucia Santaella
ISBN 13: 9786557851081
Edusp/IEA
224 páginas
R$ 54,00, apenas impresso