Você está aqui: Página Inicial / PESQUISA / Cátedras e Convênios / Cátedra de Educação Básica / ENCERRADA - Chamada Pública para Acolhimento de Cocriadores do projeto Licenciatura Interdisciplinar em Ciências (LIC)

ENCERRADA - Chamada Pública para Acolhimento de Cocriadores do projeto Licenciatura Interdisciplinar em Ciências (LIC)

por Rafael Borsanelli - publicado 05/01/2022 15:20 - última modificação 19/04/2022 10:34

Projeto Licenciatura Interdisciplinar em Ciências (LIC)

Chamada Pública para Acolhimento de Cocriadores

Por meio desta chamada pública, a Cátedra Alfredo Bosi de Educação Básica do Instituto de Estudos Avançados (IEA-USP) convida docentes da Universidade de São Paulo (USP) a participarem como pesquisadores associados no Projeto Licenciatura Interdisciplinar em Ciências (LIC) – proposta de concepção e implantação, em caráter experimental, de nova modalidade de formação docente inicial e continuada. Buscamos pessoas inspiradas em abordagens pedagógicas emancipadoras, que acreditam na possibilidade e necessidade de superação de modelos convencionais de formação de docentes para a Educação Básica. Contamos com colegas interessados/as em conceber e experimentar arranjos curriculares criativos, modulares e flexíveis, onde docentes e estudantes possam participar como sujeitos ativos dos processos de ensino-aprendizagem, numa perspectiva de interdisciplinaridade, transversalidade e qualidade-equidade.

O projeto Licenciatura Interdisciplinar em Ciências (LIC), elaborado por pesquisadores colaboradores da Cátedra Alfredo Bosi de Educação Básica com apoio e incentivo da Pró-Reitoria de Graduação da USP (PRG-USP), propõe a concepção e implementação de uma nova licenciatura como “curso experimental”, vinculado diretamente à PRG-USP, seguindo o modelo do Curso de Graduação em Ciências Moleculares (CCM-PRG-USP). Este formato de implantação possibilita maior agilidade e flexibilidade para experimentações e maior sinergia entre atividades de ensino, pesquisa e extensão, com vistas a gerar inovações que possam ser mais rapidamente incorporadas em outras licenciaturas. O projeto LIC faz parte de proposta maior apresentada por uma rede institucional composta por USP, UFABC e UniSantos, vencedora do Edital SEB/MEC 35/2021, contando com financiamento público para sua viabilização.

Com a participação ativa de colegas que atenderem a este convite, pretendemos desenhar um curso experimental modular, flexível, com currículo aberto, ajustável aos cursos existentes na USP e à oferta de cursos novos. O formato aberto permite incorporar disciplinas já oferecidas no volumoso repertório da instituição, com possibilidade de aproveitamento de estudos num programa de mobilidade acadêmica, em especial com as instituições parceiras do projeto. Durante todo o curso, uma estratégia preferencial de formação entre pares será desenvolvida, com equipes de aprendizagem ativa + formação em contextos reais de docência durante todo o tempo + mediação de estratégias metapresenciais de coaprendizagem. Delineia-se, para todos os participantes, docentes e discentes, um programa de formação didática como processo criativo e colaborativo, visando a efeitos pedagógicos efetivamente transformadores.

A LIC tem como justificativa principal para sua criação a necessidade de formação pedagógica interdisciplinar em áreas de conhecimento no campo das Ciências, visando a preparação para as demandas complexas de nosso tempo. Atendendo aos requisitos do Art. 81 da LDBEN (Lei 6394/1996), Artigo 36 e incisos e do Artigo 43, inciso VIII, dessa mesma lei, que tratam das finalidades da Universidade, essa proposta integra-se aos parâmetros da Resolução CNE/CES 02/2019 que reitera que a formação inicial e continuada de docentes da Educação Básica deve assegurar a BNCC, preferencialmente utilizando metodologias ativas integrativas em áreas interdisciplinares e temas contemporâneos transversais.

No plano institucional, a proposta da LIC busca, com participação ampla de pesquisadores colaboradores catalisada pelo IEA/USP e respeitando os princípios e objetivos gerais definidos no Programa de Formação de Professores da USP (2004), incorporar os principais elementos do Curso de Graduação em Ciências Moleculares (CCM) – tais como modo de seleção de estudantes e estrutura curricular aberta – além de soluções pedagógicas inovadoras desenvolvidas em outros cursos da USP, como as licenciaturas em Ciências Exatas (Interunidades IFSC/IQSC/ICMC – USP Campus São Carlos), Ciências da Natureza (EACH – USP Campus São Paulo Zona Leste), Educomunicação (ECA -  USP Campus São Paulo Butantã), Geociências e Educação Ambiental (IGc – USP Campus São Paulo Butantã), entre outras. Essas experiências têm credenciado a USP como um espaço privilegiado para experimentação de programas de natureza inter-transdisciplinar e aportam know-how de excelência para transição a modelos inovadores na formação inicial e continuada de professores para a educação básica. As proposições que embasam este projeto são também inspiradas em modelos de formação universitária em ciclos predominantes nos cenários internacionais e em Bacharelados e Licenciaturas Interdisciplinares que já funcionam, há pelo menos 15 anos, em diferentes universidades públicas federais e estaduais no Brasil.

Em atendimento ao Edital 35/2021, a LIC pretende oferecer até 80 vagas/ano em um curso de Licenciatura Interdisciplinar em Ciências, inicialmente com opções de habilitação nas seguintes áreas de conhecimento: Ciências da Natureza; Matemática; Ciências da Aprendizagem; Letras/Português. Pretende-se que as restantes 80 vagas previstas no Edital sejam oferecidas como segunda licenciatura para professores da rede básica. Assim, as opções de ingresso da LIC conformam quatro grupos: Grupo I – Estudantes primeiranistas da USP, cuja seleção segue os moldes do Curso de Ciências Moleculares (CCM), realizada no final do primeiro semestre de cada ano dentre estudantes regulares de qualquer curso de graduação das diferentes Unidades da USP; Grupo II – Estudantes de outras licenciaturas, mediante integração curricular interna sem perda da matrícula original (promovendo dupla diplomação); Grupo III – Segunda licenciatura para concluintes de outras licenciaturas USP; Grupo IV – Segunda Licenciatura para Professores das redes públicas de ensino básico (processo seletivo mediado pela UNDIME), com foco no Fundamental II.

O processo de seleção de estudantes inclui oficinas de trabalho colaborativo sobre temas/problemas da educação, quando a equipe docente poderá avaliar motivações, habilidades e aptidões de candidatos/as. Estudantes da USP aprovadas/os nesse processo seletivo, serão matriculadas/os na LIC por transferência da Unidade de origem, onde sua vaga é mantida durante sua permanência no curso. Assim, o/a aluno/a pode, a qualquer momento, solicitar o desligamento do curso, e retorno à sua Unidade de origem. Haverá um regime de cotas sociais e étnico-raciais em todas as modalidades de entrada no programa.

Os fundamentos conceituais da proposta original do projeto LIC foram desenvolvidos pela Cátedra Alfredo Bosi de Educação Básica do IEA/USP, a partir da prospecção de modelos de inovação educacional encontrados no contexto brasileiro e internacional. Com essa base, avançamos no desenvolvimento de protótipos de arquitetura curricular de formação inicial de professores para a Educação Básica em regime de ciclos (licenciaturas transversais, interculturais ou interdisciplinares em grandes áreas), em dois planos. No plano das estruturas, exploramos arquiteturas curriculares inovadoras e novas trajetórias formativas para a qualificação docente, visando a atender às demandas crescentes por uma nova escola capaz de lidar com as rápidas transformações que ocorrem em todo o planeta. No plano dos processos, privilegiamos práticas de aprendizagem ativa e criativa, com ampliação de escala e cobertura sem perda da qualidade educativa, principalmente através do uso de tecnologias emergentes. Para dar consistência à formação para docência fundada nessa dupla perspectiva da inovação, a Cátedra organiza suas ações na perspectiva teórico-epistemológica da transversalidade.

O conceito de transversalidade foi introduzido no marco regulatório educacional brasileiro pelo Conselho Nacional de Educação (CNE), mediante o Parecer Nº 7, de 7 de abril de 2010 (CNE/CEB, 2010, p. 24). As Diretrizes Curriculares Nacionais Gerais (DCNs) para a Educação Básica, estabelecidas pelo CNE por meio da Resolução Nº 4, de 13 de julho de 2010, fazem referência à transversalidade e a modelos curriculares inter-trans-disciplinares nos respectivos níveis de formação (CNE/DCN, 2010). Transversalidade implica contrapartida prática da noção teórica, ou categoria epistemológica, da inter-transdisciplinaridade. Além desses aspectos normativos, justifica-se uma abordagem rigorosa do ponto de vista teórico-epistemológico e metodológico, capaz de viabilizar alternativas de conhecimento integrativo necessário às novas demandas da era cognitiva.

Com uma equipe de 18 pesquisadores colaboradores e 34 pós-doutorandos, a Cátedra Alfredo Bosi de Educação Básica organiza-se em 10 Coletivos Temáticos, que, no momento, têm avançado no desenho de quatro protótipos, em diferentes estágios de concepção: Licenciatura Interdisciplinar em Ciências – LIC (Edital 35 MEC), objeto desta chamada; Licenciatura Interdisciplinar em Saúde, Qualidade de Vida e Sustentabilidade Ecossocial (Projeto CEPID-Saúde); Licenciatura Interdisciplinar em Educação, Trabalho e Práticas Sociais; Licenciatura Interdisciplinar em Antirracismo, Diversidade, Ecologia de Saberes. Esses protótipos adotam uma plataforma comum, com a seguinte estrutura, formada por blocos, módulos e componentes curriculares:

  1. Formação Geral Interdisciplinar, tronco comum;
  2. Formação Pedagógica Transversal, bloco composto por práticas integradas na Rede Pública de ensino e conhecimentos específicos fundamentados em teorias e pesquisas pedagógicas;
  3. Formação Interdisciplinar nas áreas de conhecimento, bloco curricular compreendendo competências em fundamentos sobre teorias, métodos, pesquisas e aplicações científicas, culminando com uma Residência Pedagógica baseada em projetos e problemas;
  4. Formação Avançada Interdisciplinar, trajetórias abertas que compreendem projetos coletivos articuladores de conhecimentos e competências para educação científica e matemática.


Podemos ilustrar essa proposição com uma visualização sintética: imaginem uma licenciatura composta por formação geral de base científica, humanística, artística e filosófica, com sólida fundamentação pedagógica e sócio-histórica da educação, articulada à formação avançada numa área de conhecimento, promovendo vivência didática desde o início do curso em escolas públicas de um dado território, região de estudo ou moradia, e que se complementa com aprofundamento (mediante escolhas do/a licenciando/a) numa área de conhecimento, incluindo disciplinas específicas ou em áreas de aplicação, como “temas contemporâneos transversais”.

Docentes da USP interessados no projeto devem se inscrever via formulário online, fornecendo as seguintes informações:

  • Nome
  • Filiação institucional (faculdade, instituto, departamento)
  • Cursos de atuação
  • Link Lattes
  • Breve manifestação de seu interesse, explicitando como pretende contribuir


NÃO SE TRATA DE PROCESSO SELETIVO; NÃO HÁ NÚMERO MÍNIMO/MÁXIMO DE APROVADOS/AS. O acolhimento de interessados/as se dará mediante oficinas de trabalho.

Cronograma

  • 1ª chamada: 05/01/2022
  • 1ª oficina: 11/02/2022
  • 2ª chamada: 08/03/2022
  • 2ª oficina: 11/3/2022


O e-mail catedraeducacaobasica@usp.br estará disponível para mais informações e detalhes sobre o projeto (indicar como assunto “Segunda Chamada Cocriadores LIC”).

registrado em: