Você está aqui: Página Inicial / NOTÍCIAS / Rede IEA / Morre Paul Singer, o economista solidário

Morre Paul Singer, o economista solidário

por Mauro Bellesa - publicado 17/04/2018 16:20 - última modificação 23/04/2018 17:26

Paul Singer - 2008
Paul Singer em sua última participação nas atividades do IEA, em agosto de 2008

O economista Paul Singer, professor titular da Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade (FEA) da USP e integrante da primeira composição do Conselho Deliberativo (CD) do IEA, de 1987 a 1992, morreu ontem, 16 de abril, ao 86 anos.

Relacionado

Evento com Paul Singer

Economia Solidária, uma Proposta para Outro Mundo Possível
(vídeo)
8 de agosto de 2008

Paul Singer na revista "Estudos Avançados"

Autor dos artigos:

Entrevistado:

Tema de artigo:

Singer nasceu em Viena em 1932, numa família de pequenos comerciantes judeus. Chegou ao Brasil com 8 anos em 1940, quando a família resolveu emigrar em razão das perseguições decorrentes da anexação da Áustria pela Alemanha nazista.

Antes de se tornar acadêmico, Singer foi operário do setor metalúrgico e militou no meio sindical. Em 1959, graduou-se em economia pela USP, onde obteve o título de doutor em sociologia em 1966. Também estudou demografia na Universidade de Princeton, nos EUA, no biênio 1966/67.

Tornou-se professor assistente da USP em 1960, mas, em razão de suas atividades políticas, foi aposentado compulsoriamente em 1969 com base no Ato Institucional nº 5. No mesmo ano, na companhia de vários professores afastados da Universidade pela ditadura militar, entre os quais Fernando Henrique Cardoso e José Arthur Giannotti, foi um dos fundadores do Centro Brasileiro de Análise e Planejamento (Cebrap). Voltou a lecionar em 1979, na PUC-SP, durante quatro anos, e na USP, onde se aposentou como professor titular em 2002.

Integrou o Partido Socialista Brasileiro (PSB) e em 1959 participou da criação da Organização Revolucionária Marxista Política Operária (Polop), uma dissidência não parlamentar do PSB. Foi um dos fundadores do Partido dos Trabalhadores em 1980. Ao lado da carreira acadêmica e da militância política, Singer também atuou na gestão pública. Foi secretário de Planejamento da Prefeitura de São Paulo na gestão de Luiza Erundina (1989-1992) e secretario nacional de Economia Solidária nos governos Lula e Dilma, de 2003 a 2016. Foi condecorado com a Grande Ordem do Mérito da República da Áustria em 2009.

Escreveu diversas livros, entre os quais: "Introdução à Economia Solidária" (Fundação Perseu Abramo, 2002); "Utopia Militante: Repensando o Socialismo" (Vozes, 1998); "Repartição da Renda – Ricos e Pobres sob o Regime Militar" (Zahar, 1986); "A Formação da Classe Operária" (Atual, 1985); "Economia Política do Trabalho" (Hucitec, 1977); e "A Crise do Milagre" (Paz e Terra, 1976).

Participação no IEA

No IEA, além de ter sido membro do CD, Singer coordenou a Área de Economia Política, integrou a Área de Concentração Assuntos Internacionais, organizou o ciclo temático "A Proteção dos Direitos Econômicos, Sociais e Culturais no Brasil" e contribuiu com vários artigos para a revista "Estudos Avançados" [veja ao lado].

Também proferiu conferências e participou de debates sobre economia, democracia, globalização, teoria da dependência, planejamento da cidade de São Paulo e outros temas. Sua última participação no Instituto foi no evento "Economia Solidária, uma Proposta para Outro Mundo Possível", em agosto de 2008 [assista ao vídeo].

Foto: IEA-USP