Você está aqui: Página Inicial / NOTÍCIAS / Com o tema "inteligência e inteligência artificial", ICA 4 reuniu pesquisadores de diversos países

Com o tema "inteligência e inteligência artificial", ICA 4 reuniu pesquisadores de diversos países

por Beatriz Herminio - publicado 21/11/2022 16:55 - última modificação 21/11/2022 17:55

Segunda fase do evento aconteceu em Belo Horizonte, entre 7 e 12 de novembro

Fellows UFMG
Participantes do ICA 4 em Belo Horizonte
Em novembro, aconteceu em Belo Horizonte a segunda fase da quarta edição do Intercontinental Academia (ICA), cujo tema foi "Inteligência e Inteligência Artificial".

Esta edição explorou questões interdisciplinares fundamentais na intersecção da ciência cognitiva, neurociência e inteligência artificial (IA), e foi organizada pelo Instituto de Estudos Avançados Interdisciplinares (Ieat) da Universidade Federal de Minas Gerais (UFMG) e o Instituto de Estudos Avançados de Paris, que integra a Rede Francesa de IEAs.

Dentre os três brasileiros selecionados, dois são da USP: André Fujita, professor do Departamento de Ciência da Computação do Instituto de Matemática e Estatística, indicado pelo IEA, e Patricia Coelho de Soárez, especialista em avaliação de tecnologias para saúde e professora da Faculdade de Medicina. O terceiro, Evandro Cunha, é linguista computacional e professor da Faculdade de Letras da UFMG.

Para Fujita, o termo que descreve as experiências promovidas pelos encontros é "fantástico". Eles promoveram trocas de experiência entre os 19 pesquisadores participantes, os fellows, colaborações com outras faculdades e contato com mentores que proporcionaram inspiração aos participantes – entre eles, estavam ganhadores de Nobel e diretores de centros renomados. "Isso permitiu pensar 'fora da caixa' e montar uma colaboração com a fellow Laura Candiotto, uma filósofa especialista em emoções", destaca.

Além de Belo Horizonte, o pesquisador participou da primeira fase, que aconteceu em outubro de 2021 em Paris, na França, e de um encontro intermediário durante a segunda fase em Nagoya, no Japão. Este último foi realizado de 31 de agosto a 2 de setembro, e teve como tema principal robótica e inteligência artificial.

Na ocasião, Fujita apresentou um seminário na Escola de Medicina da Universidade de Nagoya, e foram discutidos temas de trabalhos dos participantes presentes e dos professores que trabalham com robótica na instituição. Segundo o pesquisador, as discussões estavam centradas em como robôs com aparência humana se inseririam na sociedade, além de robôs que auxiliam os humanos em atividades do cotidiano.

Especializado em bioinformática, Fujita trabalha com a interação entre componentes biológicos e a forma como eles criam fenótipos específicos, atuando com métodos estatísticos para analisar dados biológicos em larga escala. Sua contribuição no ICA4 se concentrou em sua experiência com análise de redes biológicas, bem como na interdisciplinaridade de sua área.

Relacionado

Notícias:

Enquanto o encontro em Paris foi dividido em oito dias de seminários, as atividades no Brasil foram focadas no trabalho entre os pesquisadores, com reuniões paralelas com mentores, convidados do meio acadêmico e do setor produtivo.

Um evento de destaque para o pesquisador foi a visita aos laboratórios de neurociência e robótica, além de uma reunião com Virgílio Almeida, professor emérito do Departamento de Ciência da Computação da UFMG e titular da cátedra Oscar Sala, sobre o centro de inteligência artificial na saúde. "A reunião com o professor Virgílio foi uma porta de entrada para colaborações com o pessoal de ciência da computação e saúde da UFMG", declara.

Para ele, um dos principais impactos das atividades em seu trabalho é o encontro com Toshio Fukuda, presidente do Instituto de Engenheiros Eletrônicos e Eletricistas (IEEE). Além de críticas e sugestões, o professor emérito da Universidade de Nagoya ofereceu custear a ida do pesquisador ao Japão para passar alguns meses trabalhando com seu grupo de robótica.

Com o tema "Tempo", a primeira edição do ICA foi realizada em 2015 em São Paulo, no IEA da USP, e em Nagoya. Em 2016, "Dignidade Humana" foi o tema da segunda edição, que ocorreu em Jerusalém, Bielefeld e Johanesburgo. Já entre 2018 e 2019, a terceira edição tratou do tema "Leis: Rigidez e Dinâmica", em Nanyang, Singapura, e Birmingham, no Reino Unido.