Você está aqui: Página Inicial / EVENTOS / Ciência Aberta: Encontro Internacional França – América do Sul (Simpósio)

Ciência Aberta: Encontro Internacional França – América do Sul (Simpósio)

por Cláudia Regina - publicado 03/08/2022 13:30 - última modificação 21/09/2022 10:27

Detalhes do evento

Quando

de 22/09/2022 - 09:00
a 23/09/2022 - 18:00

Onde

Sala do Conselho Universitário, Reitoria USP, Rua da Reitoria, 374, Cidade Universitária e ON-LINE

Nome do Contato

Telefone do Contato

11 3091-1686

Adicionar evento ao calendário

Esse evento faz parte da Semana Franco-Uspiana de Cooperação Científica.

Uma primeira edição do Simpósio “Ciência Aberta – Encontro Internacional França-América do Sul” foi realizada em Buenos Aires, em dezembro de 2021, com o apoio da Embaixada da França na Argentina e no Brasil, do Centro Franco-Argentino de Altos Estudos em Ciências Sociais da Universidade de Buenos Aires e do CNRS. A organização foi ao encargo do CONICET. Naquela ocasião, foram propostas quatro mesas redondas:

1.     O desenvolvimento da ciência aberta: uma questão política, um desafio científico?

2.     As transformações da edição científica: alguns modelos de revistas para serem reinventados?

3.     A implementação da política da ciência aberta na Europa: testemunha dos órgãos de pesquisa francês;

4.     Testemunha de experiências editoriais: experiências cruzadas de revistas em ciências humanas e sociais.

Dando sequência a esses trabalhos, a Embaixada da França no Chile e o Instituto Francês no Chile, Delegação Regional Francesa de Cooperação para a América do Sul e a UNESCO se associaram ao comitê organizador do primeiro encontro para propor uma nova edição do Simpósio, com sede na Universidade de São Paulo (USP), nos dias 22 e 23 de setembro de 2022.

A edição atual prevê três conferências temáticas e três painéis: 1. Humanidades digitais; 2. Avaliação dos pesquisadores; 3. Ciência cidadã e um diálogo sobre o conhecimento como um bem comum. 

Os objetivos perseguidos no encontro são: a troca de experiências entre os países da América do Sul e entre estes e a França sobre o tema da ciência aberta; o incentivo às colaborações sobre o tema da ciência aberta entre a França e a América do Sul; e uma reflexão sobre os vínculos entre ciência e democracia.

Participam das mesas redondas intelectuais cujas trajetórias se notabilizaram pela reflexão e ação em defesa da ciência aberta, em seus diferentes campos de atuação, dentre os quais Renato Janine Ribeiro, Ricardo Medeiros Pimenta, Sylvie Rousset, Laura Rovelli, Bianca Amaro e Cláudia Bauzer Medeiros. Para mais informações, ver programação abaixo.

Inscrições

Evento público e gratuito | com inscrição prévia (limite de vagas, 150 no total).

Público presencial deverá estar de máscara e apresentar carteira de vacinação Covid19.

Proferido em francês, português e espanhol, com tradução simultânea: francês/português e francês/espanhol.

Evento presencial e on-line

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo

Não haverá certificação

Organização

Instituto de Estudos Avançados-USP e Consulado Geral da França em São Paulo

Curadoria: Nadège Mezié (Consulado Geral da França em São Paulo)

Programação

22/09

JORNADA I

9h

Abertura: Paulo Nussenzveig (PRPI-USP); Guilherme Ary Plonski (Instituto de Estudos Avançados-USP); Guillermo Anlló (UNESCO); Pascal Aventurier (Rede de Peritos Internacionais da Ciência Aberta (ReiSo) e Informação Científica e Técnica do IRD); Christophe Giudicelli (Centro Franco-Argentino de Altos Estudos (CFA) da Universidade de Buenos Aires) e Sophie Jacquel (Embaixada da França no Brasil)

9h30

Palestra Inaugural - Recomendações para a Ciência Aberta da UNESCOFernanda Beigel (CONICET)

10h15

A Quem Pertencem os Saberes? Christian Jacob (EHESS/CNRS – Université Paris Sorbonne)

11h15

Coffee-Break

11h45

Mesa-Redonda 1 – Humanidades Digitais e suas Ferramentas - Gabriela Pellegrino Soares (FFLCH-USP); Gimena Del Rio Riande (IIBICRIT-CONICET); Christian Jacob (EHESS/CNRS) e Axel Le Roy (Sorbonne Université); Stefania Capone (CNRS/EHESS) e Fernanda Peixoto (FFLCH-USP)

Conhecido hoje sob o nome de humanidades digitais, de digital humanities em inglês e humanités numériques em francês, as ciências humanas e sociais tendem cada vez mais a aliar-se à informática, para repensar os seus objetos (tratamento numérico da informação) bem como torná-los disponíveis de outra forma do que apenas pela publicação física. Este painel questionará especificamente a forma pela qual a informática está transformando as ciências humanas.

Moderação: Ricardo Medeiros Pimenta (Larhud/Ibict)

13h15

Intervalo

15h

Mesa-Redonda 2 - Repensar a Avaliação dos Pesquisadores - Bianca Amaro (IBICT Brasil); Laura Rovelli (CONICET-UNLP) e Sylvie Rousset (CNRS)

A avaliação dos pesquisadores dependendo de critérios quantitativos (número de artigos, número de artigos em revistas com um fator de impacto elevado, geralmente não é gratuito) está hoje em dia, sendo questionado. Este tipo de avaliação é, por princípio, incompatível com o modelo de ciência aberta, e especificamente da edição aberta. Órgãos de avaliação da pesquisa e das instituições universitárias e de pesquisa, que adotam políticas de ciência aberta, oferecem novos meios de avaliação dos pesquisadores. Este painel tem como objetivo informar sobre as reflexões e propostas estabelecidas para avaliar os pesquisadores.

Moderação: Elizabeth Balbachevsky (NUPPS e IEA-USP)

23/09

JORNADA II

10h

O que é Ciência Cidadã? - Sarita Albagli (IBICT/UFRJ)

11h

Coffee-Break

11h30

Mesa redonda 3: Ciência Cidadã - Stéphanie Nasuti (CDS e UNB); Blandina Viana (UFBA e RBCC) e Francisco Araos (Universidad de Los Lagos, Laboratorio Ciencia Ciudadana)

A questão da ciência cidadã é um grande desafio no século XXI, quando as crises ambientais estão prestes a perturbar profundamente os estilos de vida e a ciência está destinada a assumir um papel cada vez mais central na resposta que as sociedades darão a estas crises. Além disso, num contexto de desconfiança em relação à investigação científica, as iniciativas de ciência cidadã visam reconectar e mesmo reconciliar o público com a ciência e os pesquisadores. Vários aspectos da ciência aberta serão discutidos durante este painel: participação dos cidadãos no desenvolvimento do conhecimento científico, divulgação e comunicação científica fora das salas acadêmicas, desenvolvimento democrático das escolhas científicas e técnicas.

Moderação: Antônio Mauro Saraiva (EP e IEA-USP)

13h15

Intervalo

15h

Diálogo -  O conhecimento como Bem Comum? Ciência e Debate DemocráticoRenato Janine Ribeiro (SBPC) e Carolina Videla (Assembleia Constituinte no Chile)

A quem pertence o conhecimento científico após sua divulgação na internet? Como organizar o conhecimento, o seu intercâmbio e transmissão? Como podemos garantir que o conhecimento seja um recurso compartilhado? O que é um bem comum? Como podemos proteger o conhecimento de múltiplas tentativas de confinamento? Como o conhecimento pode ser administrado de forma democrática?

Estas questões estarão no centro do diálogo entre Renato Janine Ribeiro, ex-ministro da Educação do governo Dilma Rousseff e atual presidente da Sociedade Brasileira para o Progresso da Ciência (SBPC) e Caroline Videla, coordenadora da Comissão Temática sobre Sistemas de Conhecimento, Culturas, Ciência, Tecnologia, Artes e Património da Assembleia Constituinte no Chile.

Moderação: Paulo Nussenzveig (PRPI-USP)

16h30

Ciência Aberta - Para Quando? - Claudia Bauzer Medeiros (Unicamp e ABC).

Evento com transmissão em: http://www.iea.usp.br/aovivo