Você está aqui: Página Inicial / EVENTOS / Ciclos

Ciclos

por Fernanda Rezende - publicado 17/11/2022 10:35 - última modificação 17/11/2022 10:35

Strategic Workshops

por Sandra Sedini - publicado 01/07/2019 18:05 - última modificação 15/01/2020 11:28

Strategic Workshops - Leia mais…

Simbioses Humano-Tecnologias

por Cláudia Regina - publicado 12/05/2021 12:25 - última modificação 10/12/2021 15:38

Simbioses Humano-Tecnologias - Leia mais…

Conversas sobre a Teoria Darwiniana

por Sandra Sedini - publicado 22/03/2022 14:55 - última modificação 09/08/2022 15:36

Conversas sobre a Teoria Darwiniana - Leia mais…

Cátedra Educação Básica - 2022

por Cláudia Regina - publicado 16/02/2022 10:55 - última modificação 16/11/2022 16:21

Cátedra Educação Básica - 2022 - Leia mais…

Ciclo de Reflexão eCultura: Cortes e Montagens

por Rafael Borsanelli - publicado 28/05/2021 19:35 - última modificação 23/06/2021 13:28

O grupo de estudos Culturas e Humanidades Computacionais do IEA-USP organiza um ciclo de encontros voltado para o entendimento do impacto da computação sobre a vida cotidiana, o avanço do conhecimento, a arte e a ideia  mesma do que define o ser humano. Trata-se de identificar, na fórmula de Michel Foucault, o que o hoje traz para dentro do ontem.

As palestras, seguidas por sessões de interpretação, estão programadas para os dias 1, 8, 15, 22 e 29 de julho de 2021, das 9 às 12 horas, pela Internet.

O ciclo abre-se para os portadores de uma graduação em qualquer área do conhecimento e aos graduandos interessados em ampliar o campo de suas dúvidas.

Leia aqui o resumo expandido do ciclo.

Programação

Dia 1: O sentido da eCultura (O que diz a cultura eletrônica)

Teixeira Coelho: autor de eCultura: A Utopia Final e de Sinais (2019) e Sinais e Maravilhas da Era Digital (2021), ex-diretor do MAC-USP e curador-coordenador do MASP.

Dia 8: Arte e algoritmo (O que é, como é, o que muda)

Marcos Cuzziol: desenvolvedor de games, concebeu as exposições Consciência Cibernética? (2017 e 2019) e Emoção Art.ficial (2006 a 2012), do Instituto Itaú Cultural.

Dia 15: Computação e biologia (O digital mudando um saber)

Marcos Buckridge: diretor do Instituto de Biociências da USP, membro- relator do Painel Intergovernamental sobre as Mudanças Climáticas (IPCC, da ONU) de 2014, coordenador do Centro de Síntese USP Cidades Globais.

Dia 22: Blockchain: economia e democracia (A sociedade no controle)

Luli Radfahrer: pesquisador da sociedade digital e colaborador da Folha de São Paulo, em  seu último livro Enciclopédia da Nuvem compila e analisa ferramentas e serviços de computação em nuvem; mantém uma coluna semanal na Rádio USP.

Dia 29: Antes de computar, pensar (A computação no ensino)

Clara Gonçalves: diretora do Parque Tecnológico da Universidade do Porto desde sua fundação em 2007 até 2019, integra o comitê diretor da “Future of Computing” Summer School e recebeu em Portugal o prêmio Personalidade do Ano de 2019 em Inovação. Dirige o Centro de Transferência e Inovação da Escola de Medicina da Universidade do Minho, Portugal.

 

Inscrições

  • Até às 15h de 18 de junho de 2021 neste formulário.
  • Número de vagas: 30 (trinta)
  • Documentos necessários: para graduandos, histórico escolar; para graduados, certificado ou diploma. O ciclo está aberto a todas as áreas do conhecimento.
  • O resultado da seleção será divulgado até o dia 25 de junho de 2021Resultado da seleção.

O Ciclo oferecerá uma declaração de participação aos que frequentarem um mínimo de quatro sessões e enviarem à organização, no prazo de até 30 minutos após o encerramento de cada sessão, um texto entre 5 e 10 linhas de extensão sumarizando a ideia-chave da mesma sessão, apresentando uma pergunta pertinente ou levantando um ponto para discussão.

Digitality and management: presence, time, and space in organizations

por Rafael Borsanelli - publicado 27/04/2021 12:10 - última modificação 24/05/2021 09:29

A Cátedra “Digitality and management: presence, time, and space in organizations” é uma das propostas aprovadas em 2021 pelo Programa de Cátedras Franco-Brasileiras das Universidades do Estado de São Paulo, parceria entre USP, Unicamp, Unesp e o Consulado Geral da França em São Paulo.

A Cátedra discute a digitalização das organizações e da sociedade, incluindo os lados sombrios e inesperados desse processo de transformação social, como a proliferação de arranjos de trabalho precários, o aumento de monopólios em serviços digitais, e a plataformização de empresas. A transformação digital é um processo profundo na sociedade, indústrias desenvolvem plataformas com múltiplos provedores móveis que alimentam essas plataformas, como as chamadas empresas de gig-economy, proliferando a coleta e o processamento de dados com tecnologias de aprendizado de máquina ou blockchain. Tecnologias e novas formas de organização (altamente descentralizadas) estão na base dessa transformação.

Digitalização, transformação digital, plataformas digitais são frequentemente usadas como conceitos intercambiáveis ​​e relacionados à dataficação. Gestão, contabilidade, governança e outras áreas relacionadas precisam cada vez mais considerar essa transformação social para entender como as organizações operam, como o governo pode regular os mercados e as indústrias e, eventualmente, os efeitos colaterais dessa dataficação.

A Cátedra traz essas discussões, considerando os diversos efeitos colaterais na sociedade e como a transformação digital afeta a organização de empresas, governos e relações de trabalho.

Inscrições

As inscrições são gratuitas e em fluxo contínuo. Os interessados deve efetuar inscrição pelo site Eventbrite. O ciclo será em inglês, sem tradução. Os participantes poderão fazer perguntas em português, inglês e francês.

Programação

Serão sete encontros de abril a outubro, com a participação, como catedrático, do professor François-Xavier de Vaujany, da Universidade Paris Dauphine-PSL, e do professor André Carlos Busanelli de Aquino, coordenador dos grupos Public Sector Accounting & Governance in Brazil (PSAGiB) e A Resiliência Financeiras das Cidades Contemporâneas do IEA.

Os webinars acontecerão na plataforma Zoom. Cada um terá uma lista de leituras recomendadas e será dividido em três partes: breve exposição inicial, divisão dos participantes em grupos de debates (break-up rooms no Zoom) e uma discussão plenária final.

Organização

Public Sector Accounting Governance in Brazil (PSAG)

Apoio

Instituto de Estudos Avançados da USP

Faculdade de Economia, Administração e Contabilidade de Ribeirão Preto da USP

Notícia

Seminário Internacional: História da Habitação Social na América Latina - Século XX

por Larissa Barreto Cruz - publicado 27/08/2021 11:15 - última modificação 27/08/2021 11:15

Depois de décadas de pesquisas sobre habitação social nos âmbitos das fronteiras nacionais, os organizadores deste seminário pretendem reunir interpretações em perspectiva transnacional com o objetivo de identificar os pontos de contato que conformaram a questão da habitação na América Latina no século XX. Debates preliminares levaram ao entendimento de que o período que vai de 1945 (fim da Segunda Guerra e instituição da CEPAL) a 1973 (interrupção do Governo Socialista de Salvador Allende no Chile) correspondeu à conformação de uma América Latina substantivada. Nesse período, as ciências humanas no continente foram em muito definidas por compromissos políticos que pretendiam o desenvolvimento econômico e social de maneira integral de suas populações, em associação com diagnósticos e propostas para o planejamento territorial. O processo foi embasado nos marcos teóricos do subdesenvolvimento, da marginalidade e da dependência, em situações de oposição, sobreposição e ou cruzamento, conformando um aporte conceitual próprio e original que interferiu nas discussões geopolíticas acerca do que se convencionou chamar de "Terceiro Mundo". No âmbito mais específico dos debates disciplinares, em especial na arquitetura e no planejamento, a questão habitacional transmutou-se em questão urbana.

E, ainda que se admita a importância do período entre 1945 e 1973 para a consolidação do campo do planejamento regional na América Latina, com apoio nas diretrizes do nacional-desenvolvimentisto, é fundamental também entender os antecedentes desse movimento, bem como algo do momento subsequente, em que o avanço do neoliberalismo colocou em suspenso a ação direta estatal. Assim, o programa do seminário está dividido em três blocos.

O primeiro se dirige ao período que vai do início do século XX até 1945, quando os debates disciplinares e temáticos aparecem como desdobramento da visão higienista ou das ações filantrópicas e assistencialistas dos finais do século XIX, e o ambiente diplomático se caracteriza pelo Pan-americanismo, e por aproximações políticas e comerciais dos países latino-americanos com os Estados Unidos. O segundo bloco, volta-se à complexidade do período entre 1945 e 1973, cruzando leituras de casos, instituições, e agentes, para avaliar a produção dos marcos teóricos e a formação técnica que embasou a elaboração de estudos e de propostas de habitação, considerando o momento mais conflituoso marcado pela Guerra Fria. Por fim, o último bloco buscará analisar com algum distanciamento os paradigmas de políticas habitacionais, hegemônicos ou alternativos, à luz da permanência e da ruptura com os marcos teóricos anteriores que também configuraram representações acerca dos problemas territoriais e habitacionais na América Latina, ainda muito prementes.

Enfim, desde os casos, temas, agentes e instituições que serão abordados, pretende-se colaborar na montagem do complexo panorama da história da habitação social na América Latina no século XX, para analisar de que maneira as dinâmicas internacionais conformaram interesses e agendas comuns dos estudos sócio-territoriais na região.

Programação

O seminário terá início em 26/08/2021 às 17h (às 15h de Colômbia) e será transmitido pelo canal da FAU USP no youtube.

América Latina em gestação: A emergência da questão da habitação como questão social

América Latina substantivada: Migrações, ação estatal  e crise urbana

Habitação Social na América Latina: Depoimentos, agendas de pesquisa e de ação

Organização

Nilce Aravecchia (FAU USP - Brasil)

Nabil Bonduki (FAU USP e Escola da Metrópole IEA USP - Brasil)

Rodrigo de Faria (FAU UnB - Brasil)

Ana Patricia Montoya (IEU-UNAL - Colômbia)

Jorge Ramírez Nieto (FA-UNAL - Colômbia)

Rosa Aboy (FADU-UBA - Argentina)


Apoio

NAP Escola da Metrópole

Instituto de Estudos Avançados da USP